Participamos do

Tiktokers da Ucrânia deixam trends de lado para mostrar país em guerra

O próprio presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, pediu que os tiktokers registrassem e publicassem o que está acontecendo no país
18:35 | Mar. 10, 2022
Autor Sâmya Mesquita
Foto do autor
Sâmya Mesquita Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A guerra na Ucrânia, iniciada após a invasão do país pela Rússia, fez com que usuários do TikTok, a popular rede social de vídeos, deixassem de lado as trends e dancinhas para expor o cenário de terror nas ruas do país.

Desde o dia 24 de fevereiro, a Ucrânia combate a invasão das Forças Armadas russas. O próprio presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, pediu que os tiktokers registrassem e publicassem o que está acontecendo no país. 

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Tiktokers ativistas

Alina Volik tem mais de 70 mil seguidores e parou de postar vídeos de suas viagens pelo mundo para mostrar sua rotina durante o conflito. Nas postagens, ela escreve em inglês. "Eu mostro a verdade sobre a Ucrânia", diz a bio do seu perfil no TikTok.

@alina__volik

And this is nothing to what people are going through in other regions and cities… watch my inst stories alina__volik ‼️

♬ bringing the era back yall - chuuyas gf

Em uma das postagens, ela aparece deitada numa cama, mas subitamente é acordada por uma sirene. "Som de bom dia na Ucrânia", diz, acrescentando que escutou o barulho de alerta de bombas quatro vezes num mesmo dia. Em outro vídeo, Alina mostra prateleiras do supermercado sem produtos.

A jovem conta o que mudou na sua vida desde a invasão. "Nossa academia: ir até o abrigo e voltar para casa. Nosso entretenimento nesses dias é ir até o mercado ou à farmácia. Notícias ao invés de filmes", diz a blogueira, que posta esses vídeos com músicas virais, para aumentar o alcance de seus conteúdos.

Alina ainda revela ter deixado pronta uma mochila de emergência, ao lado da cama, com kit de primeiros socorros, documentos e dinheiro físico. "Nossas janelas são seladas, então estilhaços não vão se espalhar. Você dorme vestida porque o alarme pode soar de repente. Seus amigos mandam vídeos dos abrigos", diz a legenda nas imagens.

Outra blogueira com conteúdos de estilo de vida é Marta Vasyuta, com mais de 250 mil seguidores. Ela não filma seus vídeos, mas os reposta de agências de notícias e virais da internet. Marta também mostra ruas destruídas pelos ataques aéreos e faz críticas ao presidente russo Vladimir Putin.

Uma usuária que atende pelo nome Zaluznik também tem preenchido seu feed no Tiktok, ultimamente, com postagens acerca do conflito. Com mais de 2 milhões de seguidores, Zaluznik mistura imagens do cotidiano da população civil com cenas de ataques. Em um deles, aparece com uma criança no colo, correndo, após soar o alerta de bomba. 

@zaluznik ЭТО НАША РЕАЛЬНОСТЬ СЕЙЧАС, наши дети живут в страхе каждый день! #войнавукраине ♬ оригинальный звук - ZALUZNIK

 

Jovens e política

Em entrevista ao O POVO, o professor Camilo Aggio, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), afirma que  influência das redes sociais na divulgação de ideais políticos é um fenômeno global, ainda que assimétrico.

"A hipervisibilidade que se dá a eventos, a fatos, a episódios, a personagens, vem se tornando cada vez mais importante. E não é diferente do que a gente está vendo na guerra na Ucrânica", explica.

O pesquisador, que faz parte do Grupo de Pesquisa em Democracia e Justiça, Margem, ressalta a importância da mobilização da opinião pública e das representações simbólicas desse conflito no envolvimento político. E destaca ainda que a ideia de que os jovens são despolitizados é uma falácia.

"É um pouco esnobe essa ideia de que jovens são desinteressados com a política. Isso é conveniente para a autoestima, mas péssimo para descrever a realidade. Os jovens estão encontrando novas ferramentas e instrumentos para se manifestar politicamente", afirma em entrevista ao O POVO.

O professor diz ainda que o TikTok é uma engrenagem integrante desse ecossistema comunicacional digital, por onde circulam muitas representações. "Os influencers nada mais são do que lideranças de opinião. E são cada vez mais diversificadas", destaca, evidenciando a necessidade de análise desses personagens.

@alina__volik

And it's not the worst what I have right now. People in other cities can’t even go to the grocery and they sleep on the floor in the metro.

♬ оригінальний звук - ukr.kozak


Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags