Participamos do

Temperaturas máximas de outubro e novembro foram maiores do que o esperado em Fortaleza

Calor dos últimos meses do ano tem incomodado fortalezenses. Sensação de calor nesta época do ano é piorada pela baixa nebulosidade, segundo Funceme.
17:46 | Dez. 10, 2021
Autor O Povo
Foto do autor
O Povo Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Todas as temperaturas máximas de Fortaleza monitoradas pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) durante os meses de outubro e novembro foram maiores do que o esperado. As médias de máximas calculadas para os meses foram de 31,2°C e 31,5°C, respectivamente. No entanto, em alguns dias, a temperatura registrada na Capital chegou a ser 2°C maior.

A média de temperaturas é calculada em um período de 30 anos e é chamada de normal climatológica. Os números utilizados pelo Inmet dão conta dos registros do período de 1981 até 2010. Com o monitoramento dessas três décadas, é possível traçar quais seriam as temperaturas máximas esperadas para cada mês do ano. Também é possível comparar para perceber valores extremos e fora do calculado.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Em outubro, primeiro mês do chamado B-R-O-Bró, quando a média de temperatura máxima para Fortaleza é de 31,2°C, segundo a climatologia, apenas dois dias tiveram temperaturas máximas abaixo de 32°C. Já no mês de novembro, que tem média de temperatura máxima de 31,5°C na série histórica, por 13 dias monitorados pelo instituto as máximas foram maiores que 33°C.

Por que o período é tão quente?

Segundo Meiry Sakamoto, gerente de Meteorologia da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), a baixa nebulosidade - a quantidade de nuvens no céu - dos últimos meses do ano influencia nas altas temperaturas sentidas pelos fortalezenses.

LEIA TAMBÉMB-R-O Bró: Ceará entra em época mais quente do ano

“O primeiro semestre é o período onde a gente tem as chuvas. Depois que passa o período das chuvas, vem o período dos ventos, em agosto e setembro. Depois disso os ventos continuam mais intensos, mas a gente tem menos nuvens no céu”, explica.

Em outubro, de acordo com a especialista, a incidência de radiação solar também é maior. “Isso acaba fazendo com que a temperatura máxima, aquela registrada em torno das 14h, seja maior”.

E não é só Fortaleza que acaba ficando mais quente. Na lista das temperaturas mais altas do Brasil dessa quinta-feira, 9, a cidade de Morada Nova, no interior do Ceará, ficou em primeiro lugar. O município chegou a registrar 38,2°C, que é quase 3°C a mais do que a média para o mês de dezembro no local, calculada em 35,6°C.

Temperaturas mais altas são resultado do aquecimento global?

Apesar do Ceará não estar imune às mudanças climáticas causadas pelo aquecimento global, Meiry explica que é necessário um estudo mais aprofundado para entender quais são de fato os impactos do fenômeno nas temperaturas do Estado.

Um estudo feito por pesquisadores cearenses analisou as normais climatológicas do período entre 1961 e 1990 e do período entre 1994 e 2015, comparando as décadas para entender se houve mudança nos padrões de temperatura do Ceará.

O que eles encontraram foi um padrão de aumento de 0,4°C a 0,7°C comparando os dois períodos estudados. Segundo a conclusão do estudo, intitulado “Análise Espaço-Temporal das Temperaturas no Ceará no Contexto das Mudanças Climáticas”, “o estado está vivenciando um aumento real e significativo em sua temperatura nas últimas décadas. Isso corrobora em escala menor o indicativo de aquecimento global sugerido pelas principais agências nacionais e internacionais envolvidas com essa questão”.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags