Participamos do

Agentes de combate a endemias voltam a visitar domicílios após aumento de casos de arboviroses

Diminuição de notificações de casos de Covid-19 e aumento dos casos de arboviroses são as razões centrais para a volta dos profissionais às residências
14:58 | Set. 29, 2021
Autor Euziane Bastos
Foto do autor
Euziane Bastos Repórter Estagiária de Cidades
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O aumento de casos de arbovirosesArboviroses são as doenças causadas pelos arbovírus, que incluem os vírus da dengue, zika, chikungunya e febre amarela. A classificação “arbovírus” engloba todos aqueles transmitidos por insetos e aracnídeos (como aranhas e carrapatos).  e a diminuição no índice de transmissão da Covid-19 no Ceará são as principais razões para que a Secretaria da Saúde do Estado (Sesa) e o Conselho das Secretarias Municipais de Saúde (Cosems) voltassem a enviar agentes de controle de endemias para visitar residências.

LEIA TAMBÉM| Dengue pode ser confundida com Covid-19; conheça particularidades dos sintomas e prevenção

Em nota nessa terça, 29, a Sesa informou que o retorno dos agentes em de endemias em visitas residenciais seguirá as normas sanitárias contra a pandemia de Covid-19 e que todos os profissionais estarão imunizados, além de utilizarem equipamento de proteção individual (EPI). 

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

O orientador da Célula de Vigilância Entomológica e Controle de Vetores da Sesa, Luiz Osvaldo, afirma que "é um momento oportuno para o Município reorganizar seus serviços e fazer um planejamento para essa retomada", trazendo o foco também para a participação da população no combate às arboviroses a partir de ações conhecidas, como eliminar água parada em recipientes (vasos de plantas, caixas d'água, pneus...) e receber o agente em sua casa.

LEIA TAMBÉM | Sarto assina projeto que reajusta em 10,7% salário de agentes de combate às endemias e agentes comunitários

Casos de dengue 

Em boletim recente, do dia 27 de setembro, a Sesa informa que houve elevação no número de notificações de doenças causadas por arbovírus, como zika, chikungunya, febre amarela e dengue. Desta última, há circulação predominante do tipo 2, que oferece maior risco de ocorrência de casos graves e mortes, principalmente em crianças.

LEIA TAMBÉM | Casos de dengue aumentam 51% em Fortaleza durante o ano de 2021

Até o dia 25 de setembro, 46,3% dos casos de dengue notificados foram confirmados (27.988 casos). Notificações são provenientes, em sua maioria, do Norte e Litoral Leste do Estado. Nas regiões do Cariri e do Sertão Central, houve redução no número de casos neste ano em relação ao ano anterior.

 

 

 

 

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags