Participamos do

Comerciantes aguardam reforma do Mercado São Sebastião; teto é um dos maiores problemas

Expectativa é de que o processo de contratação para a reforma do mercado ocorra ainda este mês
14:49 | Set. 28, 2021
Autor Gabriel Borges
Foto do autor
Gabriel Borges Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Um dos símbolos da cidade de Fortaleza, o Mercado São Sebastião deverá passar por intervenções em parte da sua estrutura durante os próximos meses. No último dia 20, o prefeito da Capital, José Sarto (PDT), anunciou que o local passará por algumas reformas pontuais.

De acordo com a administração municipal, estão previstas intervenções na cobertura metálica, além de uma reforma e pintura das esquadrias do Bloco C. Cuidados de prevenção contra incêndio e a requalificação da pavimentação e da sinalização do estacionamento também fazem parte do projeto. Há ainda a previsão da realização de uma manutenção nas rampas do equipamento.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Na manhã desta terça-feira, 28, O POVO foi até o Mercado e constatou o desgaste de algumas partes da estrutura. Parte do teto encontra-se com buracos e outros pontos estão enferrujados.

O administrador do local, Firmo Bezerra, reconhece que a estrutura precisa de reparos e comemora o anúncio da reforma realizado pelo prefeito.

"Acho que a gente precisa demais dessa reforma, ela vem em boa hora. É importante, principalmente no tocante ao telhado, que é uma área que já existe há mais de 20 anos e ainda não houve uma reforma que pudesse cobrir as necessidades que a gente tem aqui", relata.

Os efeitos do tempo

Teto está com problemas na estrutura e causa preocupação
Teto está com problemas na estrutura e causa preocupação (Foto: Bárbara Moira)

 

Firmo lembra que o local não passou por nenhuma grande reforma desde que foi inaugurado em 1997, apenas mudanças paliativas. Ele afirma que o tempo acabou desgastando parte da estrutura.

LEIA TAMBÉM| Ao menos 12 cidades do Ceará já exigem o passaporte da vacina

"Foram criados dutos de ar, que é uma passagem de ar dentro do mercado, eles têm como cobertura aquele policarbonato, que na época, era o que se tinha de mais moderno. Mas tem uma vida útil que se trabalha em oito ou dez anos, e esses já estão com 23 anos", comenta.

Os permissionários que trabalham no local dizem esperar ansiosamente pelas intervenções prometidas pela Prefeitura. Lucas Bruno, 22, conta que sua família possui um box no local há mais de 15 anos. O ponto de venda dele está bem próximo a uma das falhas no teto. Pelo chão, é possível ver algumas fezes de pombos no local.

"Acaba atrapalhando, a gente tem medo do que os pombos podem causar. Olha aí o chão, às vezes cai na mercadoria também. Imagina o cliente chegar e encontrar a mercadoria suja? Prejudica", lamenta o jovem.

Alguns permissionários, de forma paliativa, colocaram algumas lonas nos buracos existentes no teto, uma tentativa de evitar a entrada de pombos e da água da chuva. Inclusive, a aproximação do período chuvoso é uma das preocupações dos comerciantes do local.

"Tem atrapalhado muito a gente. Mesmo sem chuva, tem o sol entrando muito forte. Já vimos como foi péssimo nas chuvas desse ano, fica tudo alagado aqui. Espero que façam as reformas antes das chuvas do próximo ano", comenta João Nunes, 53, que trabalhou durante toda a vida no mercado.

LEIA TAMBÉM| Camilo anuncia ao vivo medidas para recuperação econômica e geração de empregos no Ceará

"Para resolver o problema mesmo tem que reformar o teto todo direito e ter uma manutenção. O teto é muito antigo e está corroído pela ferrugem", destaca José Gilson, 48, que trabalha no mercado há 20 anos.

Obra orçada em R$ 1 milhão

 

A obra no local está orçada em cerca de R$ 1 milhão e contará com recursos municipais, além de uma emenda parlamentar do deputado federal André Figueiredo (PDT).

De acordo com Firmo Bezerra, administrador do mercado, a expectativa é de que as obras principais sejam concluídas antes mesmo do início da quadra chuvosa de 2022. Ainda não há uma previsão da data de início das obras e nem do tempo de duração.

"Nenhuma empresa veio aqui ainda porque não foi feita a licitação. A partir da licitação, o prefeito deve pedir urgência, devido à aproximação do inverno. E a gente precisa que isso seja feito antes que o inverno chegue, senão vai ser um destroço para o mercado", finaliza.

De acordo com a administração do local, o funcionamento do mercado não deverá ser afetado durante o período de realização dos reparos.

LEIA TAMBÉM| Mulher é sequestrada após sair de estabelecimento na Aldeota

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags