PUBLICIDADE
Fortaleza
Noticia

Tutores de Pitbull que atacou animais na Sapiranga são investigados por maus-tratos

O animal foi levado ao Centro de Controle de Zoonoses e ficará lá até decisão da Justiça. Os tutores viajaram para o Rio de Janeiro e já haviam esquematizado traslado do animal

21:51 | 08/07/2021
Cachorro deve permanecer no Centro de Controle de Zoonoses até decisão da Justiça sobre o destino dele  (Foto: O Povo)
Cachorro deve permanecer no Centro de Controle de Zoonoses até decisão da Justiça sobre o destino dele (Foto: O Povo)

O cachorro da raça Pitbull que atende pelo nome de Thor foi levado nesta quinta-feira, 8, ao 13º Distrito Policial, na Cidade dos Funcionários, após atacar outros animais no bairro Sapiranga. Os tutores estão sendo investigados por maus-tratos  e falta de cautela na guarda de animal perigoso. De acordo com o delegado Hélio Marques, o animal estava sendo treinado para cometer ataques. Em fevereiro, uma câmera de segurança registrou o momento em que Thor partiu violentamente para cima de outro cachorro no bairro e, na tarde dessa quarta-feira, 7, o alvo foi o jumento de um carroceiro. 

Os donos do animal viajaram ao Rio de Janeiro na noite dessa quarta-feira, 7. De acordo com o delegado, na manhã desta quinta, 8, os policiais montaram uma campana em frente à casa onde moram os tutores. Por volta das 11 horas, a irmã do tutor saiu da residência para receber uma entrega de comida, e foi nesse momento que os policiais a abordaram. Além de Thor, outros três cachorros ainda estavam na casa.

Segundo a investigação policial, os donos de Thor já haviam esquematizado o traslado do cachorro, que aconteceria na noite desta quinta, 8, quando a irmã também viajaria ao Rio. 

A familiar e o cachorro foram conduzidos à delegacia, e de lá o animal foi levado ao Centro de Controle de Zoonoses, localizado na Maraponga, onde permanecerá até que a Justiça decida qual destino dar ao animal.

De acordo com Hélio Marques, titular do 13º DP, a população da rua estava apavorada com os relatos de ataques. "A condição de tratamento e acomodação estava levando o animal à agressividade, quando saía na rua se transformava numa arma mortal, porque se ele ataca uma criança com aquela virulência, seria letal", destacou o delegado, acrescentando relatos de ataques a cabras e outros animais domésticos. 

O carroceiro foi ouvido nesta manhã, assim como o dono do cachorro atacado em fevereiro. "Eu estava passeando com meu cachorro, nas redondezas da minha casa, como sempre faço, quando olhei para trás, meu cachorro já estava sendo atacado pelo Pitbull", conta Bello Rodrigues, 45.

O ataque durou cerca de três minutos e meio. Bello tentou separar os cães, jogando pedras, mas o cachorro só parou quando o dono apareceu. As despesas com o cão atacado foram pagas pelo dono de Thor, que prometeu a Bello que manteria o cachorro preso.

No 13º DP, foi registrado um Termo Circunstanciado de Ocorrência  (TCO) contra a irmã do tutor por falta de cautela na guarda de animal feroz e perigo que o cachorro representava. Em relação aos donos do animal, foi instaurado um inquérito de investigação por crime de maus-tratos contra animais e falta de cautela na guarda de animal perigoso, conforme os artigos 136 e 31 do Código Penal, respectivamente.