Participamos do

Dia das Mães: em restaurantes, clientela preferiu delivery ao atendimento presencial

Fim de semana marca o retorno do funcionamento de atividades comerciais aos fins de semana em Fortaleza. Clientela recebeu rosas, bilhetes especiais e bombons. Estabelecimentos traçaram estratégias para receber clientela, que optou mais por delivery
14:13 | Mai. 09, 2021
Autor Marília Freitas
Foto do autor
Marília Freitas Estagiária do O POVO Online
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Neste Dia das Mães, 9 de maio, famílias aproveitaram a data em alguns restaurantes de Fortaleza. Sem alterações no último decreto de isolamento social, restaurantes poderão funcionar presencialmente das 10h às 15 horas nos fins de semana. Mas os pedidos por entrega seguiram liderando na data comemorativa.

O POVO circulou pelo polo gastronômico da Varjota, em Fortaleza, e percebeu uma tímida movimentação da clientela nos estabelecimentos. No primeiro fim de semana com o retorno das atividades comerciais após semanas de lockdown, os estabelecimentos traçaram estratégias para conquistar os clientes neste domingo.

Sacolas personalizadas com frases motivacionais e bombons foram algumas das ideias colocadas em prática no Carneiro do Ordones, no bairro Varjota. Sandra Soares, gerente administrativa do local, cita que o restaurante se preparou para movimentações maiores no presencial, o que não aconteceu. Cerca de 70% dos pedidos do restaurante neste domingo foram feitos por serviço delivery.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

"Fizemos divisões de salões, fechamos algumas partes do restaurante e estamos atendendo cerca de 30% dos nossos clientes hoje de forma presencial. O público preferiu ficar em casa", descreve. Diante da grande demanda, os pedidos no restaurante começaram a ser produzidos às 9 horas.

No Coco Bambu, no bairro Varjota, a movimentação foi dentro do esperado. Primeiro fim de semana aberto na data comemorativa desde o início da pandemia, o diretor da unidade, Lourrik de Melo, cita que a fidelização dos clientes ajudou bastante nos pedidos tanto via delivery quanto presencial.

"É uma readaptação, né? Então, as pessoas ainda se sentem um pouco inseguras, mas quando chegam ao estabelecimento e veem todos os cuidados, se sentem mais seguras", explica. Os funcionários e o local atendem aos protocolos, como o uso de face shield e distanciamento entre as mesas. Para conquistar as famílias, houve distribuição de rosas no restaurante e bilhetes especiais nos pedidos de entrega em domicílio.

Thalia Lourenço, 24, foi uma das pessoas que trouxe a família para comemorar o Dia das Mães fora de casa. A cabeleireira achou que teria mais gente no restaurante e menciona ainda a timidez da clientela em consumir nos locais de forma presencial. "Como é uma data especial, preferimos sair. É muito difícil a gente fazer isso", comenta.

Decreto em vigor

Primeiro fim de semana com o retorno das atividades comerciais, as atividades em restaurantes e outros estabelecimentos de forma presencial seguem das 10h às 15h. Durante o fim de semana, o toque de recolher é às 19 horas.

Ao longo da semana, o toque de recolher continua das 20h às 5h, com atividades comerciais de restaurantes e outros comércios de rua autorizadas a funcionar das 10h às 16h. Em todos os dias, os estabelecimentos devem atender a apenas 40% da capacidade.

Movimentação em missas e barracas de praia também marcam a data comemorativa

A manhã também foi marcada por celebrações em templos religiosos. Com capacidade de funcionamento 25% da capacidade total aos sábados e domingos e com celebrações até às 17 horas, fieis participaram das preces. 

Já nas praias da Capital, o movimento foi pouco. Apesar da presença de algumas pessoas na faixa de areia, o fluxo estava baixo em relação aos outros dias. De acordo com o supervisor de atendimento da barraca Crocobeach, o movimento está dentro do esperado. De acordo com as medidas anunciadas, os estabelecimentos podem funcionar aos sábados e domingos com limitação de 40% da capacidade, das 10 às 15 horas. 

Com informações da repórter Irna Cavalcante

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags