PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Moradores reclamam de recorrência de acidentes em cruzamento na Aldeota

O cruzamento, entre as ruas Carlos Vasconcelos e Rocha Lima, tem sido caminho para os motoristas que se dirigem ao Hospital Leonardo da Vinci. Nesta noite, outro acidente envolvendo dois veículos assustou moradores da região

Leonardo Maia
23:52 | 07/04/2021
O acidente aconteceu na noite desta quarta-feira, 7. (Foto: Fco Fontenelle/O POVO)
O acidente aconteceu na noite desta quarta-feira, 7. (Foto: Fco Fontenelle/O POVO)

Atualização às 11h52min de 08/04/2021 

O som de batida de carro e o drama de danos materiais, além de eventuais feridos, tem se tornado comum para os moradores das proximidades do cruzamento entre as ruas Carlos Vasconcelos e Rocha Lima, no bairro Aldeota, em Fortaleza. Na noite desta quarta-feira, 7, mais um episódio envolveu dois veículos em um acidente que causou prejuízos financeiros para os proprietários dos carros — um deles estava a caminho do Hospital Leonardo da Vinci, para buscar a mãe.

Régis Studart, 56, vive desde o nascimento em uma casa que fica no cruzamento das duas ruas e diz que o número de acidentes sempre foi alto, sendo pelo menos dois por semana nos últimos meses. Ele pondera que, em determinado momento, os números caíram quando a prefeitura reforçou a sinalização no local, mas com o passar dos anos os acidentes voltaram a aumentar.

| Leia Também |

AMC e Detran definem: carro deve ser retirado do local em acidentes sem vítima

Motorista que colidiu em vários carros e motos na Aldeota é presa

Saiba o que fazer depois de bater o carro

Ele explica que a sinalização já está quase apagada nas vias e uma mudança tem confundido os motoristas: algumas ruas que anteriormente exigiam que os condutores parassem agora são preferenciais. Studart critica que o poder público ainda não instalou lombadas no cruzamento, o que forçaria os motoristas a reduzir a velocidade.

Ainda que o movimento de carros tenha diminuído durante o período de lockdown no Ceará, o cruzamento tem sido um ponto recorrente para os motoristas que têm o Hospital Leonardo da Vinci como destino, inclusive as ambulâncias. A unidade, antes da rede privada, foi comprada pelo Estado e se tornou um equipamento de referência para tratamento de pacientes com a Covid-19.

Em nota, a "Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) esclarece que a sinalização no referido cruzamento será renovada ainda hoje (quinta-feira, 8) de forma emergencial com instalação de tachões para evitar o avanço de preferencial". (Colaborou: Fco Fontenelle/O POVO)