PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Apesar de decreto estadual, pessoas ainda circulam pelas ruas do Centro e Praia de Iracema

O POVO circulou por alguns bairros da Capital, como Benfica, Praia de Iracema e Centro

11:38 | 20/03/2020
Apesar de avisos, fortalezenses ainda estão nas ruas
Apesar de avisos, fortalezenses ainda estão nas ruas (Foto: Bárbara Moira)

Corrigida às 9h37min

Após um dia do decreto estabelecido pelo governador Camilo Santana para conter o coronavírus no Ceará, pessoas ainda circulavam pelas ruas da Capital na manhã desta sexta-feira, 20. O POVO circulou por alguns bairros como Benfica, Praia de Iracema e Centro.

Na Praia de Iracema, turistas, vendedores e fortalezenses ainda circulavam pela região. Na Praia dos Crushes, tradicional ponto turístico do bairro, apesar de as barracas de praia fechadas, alguns banhistas se aventuravam no mar e na praia. É o caso do vendedor Francisco Djair, 52. "Vim tomar um banho, um vinho", relatou na manhã desta sexta-feira. Diante dos 24 casos de coronavírus confirmados no Estado, Djair não se mostrou preocupado com a situação. "O pessoal comenta sobre a Itália e tudo... mas devemos respirar! Isso faz é incomodar as pessoas".

O casal Maria Ozenilda e Elso de Lima vieram de Manaus e chegaram em Fortaleza na última terça-feira, 17, para comemorar os 27 anos de casados. No entanto, a comemoração teve algumas mudanças na rotina dos dois. "Hoje iriamos para Jericoacoara, mas a agência de turismo nos ligou e cancelou nossa estadia devido à doença". A preocupação principal de Maria é de possíveis alterações no Aeroporto Internacional de Fortaleza e em sua passagem de volta, marcada para o próximo dia 27. Diante da doença, o casal tomou algumas providências, como a mudança de estadia de um hotel para um apartamento alugado. "Ontem tive uma síndrome do pânico, estamos preocupados. Gostaríamos de voltar para o nosso estado".

>>"Esse não é o momento de estar na praia, é de estar em casa", reforça major do Corpo de Bombeiros

Clique na imagem para abrir a galeria

Apesar do decreto e das chuvas nesta manhã, a rotina no Centro da cidade também continuava de forma parecida. Grande parte dos estabelecimentos da Praça do Ferreira estava de portas fechadas, com exceção de farmácias e bancos da região, que acumulavam pessoas em suas portas. Crianças, jovens e até mesmo idosos - grupo de risco para a doença - circulavam livremente pelo local usando máscaras. Entre as ruas General Bezerril e Perboyre e Silva, 

>> Saiba mais sobre outros mitos e verdades da transmissão do coronavírus 

Entre as ruas Barão do Rio Branco e Major Facundo, funcionários da Agência de Fiscalização de Fortaleza (Agefis) orientavam lojistas que continuavam com seus comércios abertos no local. Uma das determinações estabelecidas pelo Governo do Estado é de multar em R$ 50 mil por dia o estabelecimento que ficar aberto a partir desta sexta-feira.

A autuação se restringe à aplicação de multa, não haverão medidas como apreensão, interdição e o emprego de força policial. Os cidadãos que quiserem colaborar com denúncias podem fazê-las através do número 190.

No Benfica, com as aulas da UFC suspensas e com o fechamento de shoppings da região, poucas pessoas circulavam pelo bairro. Nas paradas de ônibus, os poucos passageiros usavam máscaras. O fluxo de trânsito, que costuma ser intenso entre o cruzamento da Avenida da Universidade e avenida 13 de Maio estava tranquilo.