PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Relíquia da Cruz de Cristo trazida de Roma em 1928 é encontrada no subsolo da Catedral de Fortaleza

Missa que marca o início da quaresma foi realizada na Catedral Metropolitana de Fortaleza na noite desta Quarta-Feira de Cinzas, 26

Matheus Facundo
23:03 | 26/02/2020
 Missa de Cinzas ministrada pelo Arcebispo de Fortaleza Dom José Tosi Marques. Dom José, mostrou aos fiéis documento encontrado na Catedral datada de 1928 e recebido pelo primeiro arcebispo de Fortaleza, este documento escrito em latim fala sobre a importância da quaresma, período que se inicia nesta data
Missa de Cinzas ministrada pelo Arcebispo de Fortaleza Dom José Tosi Marques. Dom José, mostrou aos fiéis documento encontrado na Catedral datada de 1928 e recebido pelo primeiro arcebispo de Fortaleza, este documento escrito em latim fala sobre a importância da quaresma, período que se inicia nesta data (Foto: JÚLIO CAESAR)

O final da missa de abertura da Campanha da Fraternidade 2020, realizada na Catedral Metropolitana de Fortaleza na noite desta Quarta-Feira de Cinzas, 26, foi marcada pela divulgação de uma relíquia religiosa encontrada no local. O arcebispo Dom José Antonio anunciou o achado de uma Cruz de Cristo trazida de Roma em 1928.

Peça foi encontrada no subsolo da Catedral durante reformas. A relíquia data de 29 de março de 1928 e foi recebida pelo primeiro arcebispo de Fortaleza, Dom Manuel da Silva Gomes. Ao final da celebração desta quarta-feira, os fiéis puderam subir ao altar para tocar e contemplar a Cruz.

A tradicional missa, além de abrir a Campanha da Fraternidade, com o tema "Fraternidade e Vida: Dom e Compromisso”, marca o início do período da quaresma, a exatamente 40 dias da celebração da Páscoa.

Para o padre Antônio Furtado, da Comunidade Católica Shalom, esta época abre os caminhos para "a maior festa da liturgia católica". "A quaresma é um período em que os fiéis buscam a igreja através da oração, do jejum, da caridade e do amor ao próximo. Nesta Quarta-Feira de Cinzas os fiéis são chamados a escutar a palavra de Deus como sugere uma leitura feita hoje: 'depois de um dia de jejum, é momento de receber as cinzas'", disse.

Na ocasião, os presentes na celebração receberam o sinal da cruz em cinzas na testa e comungaram. O fiel Carlos Cruz, de 61 anos, afirma que o momento para ele "é sempre bom". "É uma purificação da vida, sempre fui católico e nessas horas a gente fica mais em paz com a gente e com o próximo. Espero que [a fraternidade] possa ser aplicada não só na quaresma, mas por todo ano e toda a nossa vida", comenta.

Adoração

A missa desta quarta foi especial para a aposentada Gleide Santiago, 66. Acometida por um desgaste ósseo no quadril, ela passou dois anos com a saúde comprometida e sem poder comparecer a compromissos religiosos. "Em 2018 eu fiquei sem andar mas graças a Deus em 2019 fiz uma cirurgia de prótese no quadril e meu objetivo a partir de hoje é retomar minha vida de oração", declarou.

Gleide Santiago espera renovar a fé nesta quaresma
Gleide Santiago espera renovar a fé nesta quaresma (Foto: JÚLIO CAESAR)

Gleide avalia que o momento é de reconciliação consigo mesma e com a relação com Deus. "Ao longo do ano a gente pode se distanciar um pouco de Deus então hoje [Quarta-Feira de Cinzas] foi um momento de renovar não só nosso jejum de comida mas como o da vaidade e o do orgulho".

Campanha da Fraternidade 2020

A 56ª edição da campanha cristã inspira-se na primeira santa brasileira, Santa Dulce dos Pobres, ao objetivar “conscientizar para o sentido da vida” em relação ao mútuo cuidado entre as pessoas.

Criada pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) em 1964, a campanha pretende discutir temáticas de interesse nacional e procurar soluções a partir da solidariedade e mobilização cristã. Desde 1985, a CNBB tem focado em abordagens referentes a situações existenciais do povo brasileiro, considerada a terceira fase da CF. No ano, o tema foi “Fraternidade e Fome”.

Confira galeria de fotos da missa de Quarta-feira de Cinzas

Clique na imagem para abrir a galeria