PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Tempo de espera por transporte público na Grande Fortaleza é o quarto pior dentre regiões metropolitanas do Brasil

Foram analisadas dez regiões metropolitanas do Brasil para o panorama. De acordo com a Moovit, foram consideradas milhões de viagens em 99 cidades

Lucas Braga
14:58 | 15/01/2020
Terminal de ônibus da Parangaba em setembro de 2019.
Terminal de ônibus da Parangaba em setembro de 2019. (Foto: JÚLIO CAESAR)

Atualizada às 17h desta quinta-feira, 16

O tempo médio de deslocamento do usuário de transporte público em Fortaleza e região, em 2019, foi de 53 minutos. A metrópole ficou atrás apenas de Porto Alegre (RS) e Campinas (SP) que registraram média de 46 e 51 minutos por viagem, respectivamente. O Rio de Janeiro ficou na pior colocação, com 1h07min. Os dados são do aplicativo Moovit, divulgados nesta quarta-feira, 15.

O tempo de espera pelo transporte, porém, é o quarto pior do Brasil. São, em média, 19,9 minutos em aguardo. Se um deslocamento inclui baldeações, o tempo de espera em diferentes paradas/estações também foi computado. A Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) ficou à frente apenas de Recife, Brasília e Salvador, onde usuários precisam esperar mais (entre 22 e 24 minutos).

Segundo o presidente da Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor), Antônio Ferreira, a pesquisa do Moovit não pode considerar o sistema urbano e o sistema metropolitano iguais. “Eu não conheço bem a metodologia que eles usaram, mas essa pesquisa está levando em consideração a Região Metropolitana, que representa 1/3 do transporte urbano da Capital. Então eles estão comparando o sistema de transporte de Fortaleza com o sistema de transporte metropolitano”, explica Antônio. “Além disso nós fizemos uma pesquisa em parceria com o WRI Brasil Cidades Sustentáveis, em maio de 2018, e essa pesquisa revelou que 50% dos usuários do transporte da Capital levam entre 30 minutos e 1h30min para chegar ao seu destino. Isso considerando ida e volta”, completa.

Um outro ponto levantado pelo presidente da Etufor foi o aplicativo “Meu Ônibus”. De acordo com ele, a ferramenta facilita a rotina dos usuários, uma vez que dá para “programar viagens”. “O aplicativo é uma grande ferramenta que Prefeitura disponibilizou para os usuários. Você baixa e, antes de ir para o ponto, sabe a hora que o ônibus está passando no ponto”. Atualmente, garante Antônio, existe uma frota cadastrada de 1.841 ônibus em Fortaleza (sem considerar o sistema de vans). O número na Região Metropolitana é de aproximadamente 300 coletivos.

Numa boa experiência, seria ideal que o transporte chegasse em até 5 minutos. Mas, no País, o menor tempo de espera é de 13,2 minutos, em Curitiba (PR). Na Grande Fortaleza, 39,4% dos usuários têm costume de esperar mais de 20 minutos.

Na Capital cearense, o “Relatório Global sobre Transporte Público” considerou metrô, VLT e ônibus: concessionárias da Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor), e empresas que operam na RMF como Vitória, Via Metro, Penha, São Paulo, Fretcar, São Benedito e até transporte complementar ou alternativo.

Números sobre o trajeto com transporte público

Pelo menos 25,97% dos passageiros da RMF levam entre uma e duas horas no trajeto (incluindo caminhada, espera e deslocamento). E 3,3% levam mais de duas horas. Já 22,79% levam até 30 minutos.

Contudo, em Fortaleza e região, o trajeto das viagens é o menor do Brasil. A média de 7,55 km é a menos extensa dentre as localidades usadas no relatório. Já Brasília está na outra ponta: cada viagem com média de 14,3 km.

Ainda sobre a caminhada, o fortalezense só perde para o soteropolitano. Na RMF, caminha-se pouco, em média. São 558 metros por viagem, enquanto o paulista caminha em média 1,06 km. Na Grande Salvador, são 518 metros.

Cinquenta e três por cento dos usuários de transporte público na Grande Fortaleza fazem duas baldeações (troca de ônibus, por exemplo) por viagem. Já 14% fazem três ou mais baldeações, em média. Apenas 33% conseguem chegar ao destino sem precisar de baldeação. Em Porto Alegre, 53% em média conseguem usar apenas um ônibus para chegar ao destino.

Pesquisa entre usuários

Em Fortaleza e região, os cinco fatores que estimulariam mais a usar transporte público, segundo os entrevistados pela Moovit, seriam:

1) Maior frequência de veículos e menor tempo de espera

2) Cronograma de chegadas e partidas confiável (previsibilidade)

3) Sensação de segurança

4) Veículos menos lotados

5) Tarifas mais baratas

O levantamento

Os dados do relatório foram organizados em cinco critérios: tempo de deslocamento, tempo de espera, distância da viagem, número de baldeações e distâncias caminhadas.

De acordo com o Moovit, foram consideradas milhões de viagens em 99 cidades de 25 países. Dez regiões metropolitanas brasileiras estão incluídas no relatório: Belo Horizonte, Brasília, Campinas, Curitiba, Fortaleza, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo.

“O relatório é uma ferramenta especial para a compreensão das demandas dos cidadãos, e o que pode ser melhorado, com um retrato fiel da infraestrutura utilizada diariamente por milhares de passageiros”, afirma Yovav Meydad, diretor de marketing e crescimento do Moovit.

Destaques sobre transporte público no Brasil

- Rio de Janeiro é a região metropolitana com maior tempo médio de deslocamento no País, com a média de 67 minutos. Porto Alegre é a menor, com 46 minutos;

- Paulistanos andam, em média, um km ao longo dos seus trajetos;

- No Brasil, motivos que fariam mais pessoas usar transporte público são: maior frequência de veículos (12,0%); tarifas mais baratas (11,4%); e maior precisão nas informações sobre chegadas e partidas (11,3%);

- 58% dos passageiros de Salvador fazem duas baldeações em seus deslocamentos;

- 47% dos brasilienses percorrem mais de 12km em seus trajetos;

- 45% dos brasileiros não usam bicicletas e patinetes compartilhados. As principais razões são falta de ciclovias e condições ruins das vias.