PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Presos dois suspeitos envolvidos na morte de policial militar

Iago dos Santos Monteiro, de 28 anos, e Wesley Mesquita Pinto, sem idade declarada, foram presos ainda nesta terça-feira, 5, logo após o crime

12:16 | 06/11/2019
O militar estava na corporação desde 2018
O militar estava na corporação desde 2018 (Foto: Via WhatsApp O POVO )

Os suspeitos de estarem envolvidos na morte do policial militar Pedro Henrique Siqueira, de 23, anos, durante um assalto em uma gráfica no bairro João XXIII, foram presos na última terça-feira, 5. O primeiro a ser encontrado foi Iago dos Santos Monteiro, ainda na tarde da terça, minutos depois de o crime acontecer. Ele foi atingido por um disparo do policial, que reagiu ao assalto no local. Iago procurou atendimento no Frotinha da Parangaba, onde ainda está internado.

O acusado também entregou o parceiro, identificado como Wesley Mesquita Pinto - preso na noite da terça, 5, em uma residência onde estava com seus familiares. Também foi apreendida uma arma, que passará por testes de balística, a fim de saber se foi ela a utilizada contra o policial militar. Iago dos Santos possui antecedentes criminais por roubo e associação criminosa, mas é a primeira prisão do segundo suspeito, Wesley Mesquita.

As informações foram dadas durante coletiva de imprensa na manhã desta quarta-feira, 6, no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Estavam presentes dois representantes da Polícia Militar e o delegado do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Leonardo Barreto. Os três lamentaram a morte do colega Pedro Henrique, que chegou a ser levado para o Instituto Doutor José frota (IJF), mas não resistiu. Informações sobre número e locais dos tiros não foram cedidas para “não atrapalhar a investigação”, disse o coronel da Polícia Militar, Manoel Ozair Santos.

Durante a entrevista coletiva, o delegado também relembrou o número de policiais mortos nos últimos três anos. “Em 2017, foram 27 policiais. Em 2018, foram 13 e, agora em 2019, com o Pedro, foram dois”, comentou Barreto. Em nome de suas corporações, os três lamentaram a morte do colega PM.

O coronel Manoel descartou a possibilidade dos suspeitos saberem que Pedro Henrique era policial. Ele foi nomeado em 2018. “Estava na gráfica fazendo trabalhos da faculdade. Houve uma ação. Infelizmente, nessa ação dele, ele veio a óbito”, argumentou Manoel.

Os dois suspeitos foram autuados por crime de latrocínio (roubo seguido de morte) e encontram-se à disposição das investigações. “Com relação à dinâmica de como aconteceu, a investigação da DHPP e o processo futuro vão esclarecer como tudo aconteceu”, encerrou o coronel da PM.