Participamos do

BNB aplicou mais de R$ 4,07 bilhões em crédito para agricultura familiar em 2021

No Ceará, foram concedidos R$ 460 milhões em crédito para 210 mil pessoas
17:05 | Jan. 24, 2022
Autor Irna Cavalcante
Foto do autor
Irna Cavalcante Repórter no OPOVO
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Os agricultores familiares e assentados da reforma agrária receberam, em 2021, um total de R$ 4,07 bilhões em crédito pelo Banco do Nordeste (BNB) para investimento na produção de alimentos em estrutura de pequeno porte. Este valor representa um acréscimo de 17,16% em relação ao ano anterior. Do montante, R$ 460 milhões foram aplicados no Ceará.

Os dados foram divulgados nesta segunda-feira, 24.  Segundo o banco, os valores beneficiaram 607.404 clientes e suas famílias na área de atuação do banco (Nordeste e parte dos estados de Minas Gerais e Espírito Santo). Os recursos são do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE) e beneficiam famílias que dependem da agricultura para sua sobrevivência.

 

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

As operações de crédito para agricultura familiar foram realizadas em dois programas ao longo do ano passado. O Agroamigo, microcrédito do Banco do Nordeste para apoio à produção rural, fechou o ano com aplicação de R$ 3,39 bilhões. Foram realizadas 589.757 operações de crédito. Crescimento de  16,7%, ante igual período do ano anterior. 

As demais linhas de crédito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) liberaram R$ 675,84 milhões em 17.647 operações, em 2021. Na comparação com o ano anterior, houve alta de 19,59%.

No Ceará, o crédito para agricultura familiar somou R$ 460 milhões, em 2021. Foram 65.793 operações que atenderam núcleos familiares rurais e beneficiaram, diretamente, mais de 210 mil pessoas no estado.

Para o superintendente de microfinança e agricultura familiar, em exercício, do BNB, Céliton Nogueira, o crédito é fundamental para impulsionar as atividades desenvolvidas pelo pequeno produtor familiar.

“Esses recursos permitem agregar valor à produção e movimentar a economia dos municípios atendidos pelo Banco do Nordeste. E ele atende diretamente a quem precisa. No caso do Agroamigo, por exemplo, a maior parte do crédito é destinado para o agricultor cuja renda bruta familiar anual não seja superior a R$ 23 mil”, explica.

O crédito rural familiar do Banco do Nordeste atende uma importante parcela do setor produtivo nacional. Segundo o Censo Agropecuário de 2017, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, 77% dos estabelecimentos agrícolas do país foram classificados como da agricultura familiar. Em extensão de área, a agricultura familiar ocupava no período da pesquisa 80,9 milhões de hectares, o que representa 23% da área total dos estabelecimentos agropecuários brasileiros. O levantamento foi feito em mais de 5 milhões de propriedades rurais de todo o Brasil.

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags