Participamos do

Fortaleza é a 8ª cidade com maior movimentação aérea do Brasil

A pesquisa destaca a Capital cearense como detentora de um dos modais aéreos mais conectados e utilizados do País
12:15 | Dez. 10, 2021
Autor Alan Magno
Foto do autor
Alan Magno Estagiário de jornalismo
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Com transporte de 6,34 milhões de passageiros e fluxo de 36,7 mil toneladas de cargas no ano de 2019, antes da pandemia, Fortaleza é considerada a oitava cidade com maior movimentação aérea do Brasil, sendo a segunda maior do Nordeste, atrás apenas de Recife.

A informação foi revelada pelo estudo Ligações Aéreas 2019-2020 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgado nesta sexta-feira, 10. A pesquisa destaca a Capital cearense como detentora de um dos modais aéreos mais conectados e utilizados do País.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

A pesquisa revela ainda que do total de passageiros embarcados no aeroporto de Fortaleza, 16% são provenientes de outras cidades. Ao todo, passageiros de 101 cidades se deslocam até a Capital para ter acesso ao serviço de transporte aéreo, vindo até mesmo de estados vizinhos como Rio Grande do Norte.

Em 2019, ao somar o fluxo de passageiros e cargas de Fortaleza com o saldo de Juazeiro do Norte; Cruz e Aracati, o Estado representou 7,2% da movimentação aérea de passageiros e 9,4% do total da carga aérea transportada no Brasil.

Fluxos nas cidades cearenses

 

Nesse cenário, de todas as viagens aéreas partindo do Ceará, 35,4% tinham como destino São Paulo. Em segundo lugar na preferência dos cearenses, Pernambuco computou 14,2% da movimentação aérea de Fortaleza.

Entre as cidades com aeroportos no Ceará, Aracati foi a única em que voos para São Paulo foram a maioria. No município, o principal destino é Recife. O fluxo de cargas no Estado seguiu a mesma proporção, sendo a maior parte para São Paulo, seguida por Pernambuco. O município de Cruz, porém, teve Belo Horizonte como principal destino das cargas despachadas no aeroporto, sendo a exceção no Estado.

Com 12 opções de voos diretos com atendimento regular, Fortaleza apresenta possibilidades de conexão regular para 76 cidades considerando escalas e destinos indiretos viabilizados pelos voos regulares. Dessa forma, a cidade ocupa a 13ª posição do ranking de acessibilidade geográfica com base na quantidade total de destinos a partir de um aeroporto em específico.

Nesse mesmo comparativo, com apenas três destinos regulares, a cidade de Juazeiro do Norte ficou no 38ª enquanto Cruz ocupa a posição de 71ª no ranking com 96 cidades considerando a quantidade de destinos possíveis por aeroporto.

Apresentando uma "demanda desequilibrada", dos passageiros embarcados em Juazeiro do Norte, 45% são provenientes de outras cidades. Na cidade de Cruz, o número de moradores de outras localidades que utilizam o aeroporto do município é maior do que o dos residentes na cidade.

Conforme a pesquisa, 97,43% dos passageiros que usam o aeroporto de Cruz não moram no município, sendo o segundo aeroporto do Brasil com maior percentual de passageiros regionais (vindo de outras cidades) do Brasil. O IBGE destaca que tal fato está diretamente relacionado ao fluxo de turistas e moradores da cidade de Jericoacoara, um dos principais destinos turísticos do Ceará e do Nordeste.

Em média, os passageiros do aeroporto de Juazeiro do Norte gastam 2h46min para chegar até a unidade, enquanto os de Cruz precisam se deslocar por cerca de 3h10min até chegarem ao aeroporto. Em Fortaleza, o tempo médio gasto por passageiros entre suas residências e o aeroporto chega a ser de 3h30min.

Os tempos, conforme reforça o IBGE, são influenciados diretamente pela quantidade de passageiros que se deslocam de outras cidades para utilizarem os serviços aéreos de tais municípios.

Impactos da pandemia 

 

Em 2020, devido à pandemia de Covid-19, Fortaleza registrou uma queda de 54,8% de passageiros, bem como uma redução de 28% na carga aérea transportada, porém, manteve a regularidade de voos e conexões.

As demais Cidades com aeroportos do Estado tiveram quedas entre 42,0% e 63,4% na movimentação de passageiros e entre 29,9% e 52,6% na movimentação de carga, com impactos na regularidade de voos.

Mesmo com a redução da demanda, o IBGE destaca que não houve redução expressiva nas tarifas cobradas por cada viagem aérea no Ceará. O ticket médio gasto por passageiro que embarcou no aeroporto de Fortaleza em 2019 foi de R$ 397,77. Valor colocou os voos partindo da Cidade como na 19ª colocação do ranking de acessibilidade econômica.

Em meio à crise da Covid-19, o preço médio das passagens aéreas em Fortaleza caiu 1,5% em 2020, ficando no patamar de R$ 391,80. Em Juazeiro do Norte, o valor médio chegou a R$ 432,20 em 2019 e fechou o ano passando custando R$ 429,60, os valores deixam o município da região do Cariri na 28ª posição do ranking de preços no Brasil.

Por sua vez, no mesmo levantamento, Cruz ocupou a 73ª colocação dentre as 96 cidades com serviço regular de transporte aéreo de passageiros com relação ao preço médio das passagens. Em 2019, o ticket médio do aeroporto da cidade cearense ficou em R$ 606,31 e sem variação para em 2020.


Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags