Participamos do

Telefone fixo: Anatel aprova aumento nas tarifas locais

Alteração incide sobre planos básicos e entra em vigor a partir de 23 de setembro
17:34 | Set. 10, 2021
Autor Armando de Oliveira Lima
Foto do autor
Armando de Oliveira Lima Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Os planos básicos de serviços de telefonia fixa devem sofrer reajuste a partir de 23 de setembro deste ano, com impacto máximo de 14,133% sobre a cesta contratada, segundo informou a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

A alteração deve-se à aprovação de reajuste na tarifa local cobrada pelas concessionárias na última reunião do conselho da Anatel, na quinta-feira, 9.

Usuários da OI SA e da Telemar - ambas empresas do mesmo grupo econômico e com atuação no Ceará - terão reajuste máximo de 12,598% na cesta local.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

A maior variação aprovada na reunião do conselho da Anatel foi para a cesta da Sercomtel, de 14,133%. Mas Algar Telecom (7,257%) e Telefônica (11,819%) também passaram por ajustes.

Números da telefonia fixa

Mercado marcado pela redução nas conexões desde a popularização da telefonia móvel, a telefonia fixa ainda acumula cerca de 30 milhões de acessos no Brasil, segundo os dados compilados pela Anatel em junho.

Com um total de 573.498 contratos de telefonia fixa ativos, o Ceará é o terceiro da região no setor. Bahia (952.841) e Pernambuco (647.551) lideram os contratos na Região, que acumula um total de 3,23 milhões acessos.

O Ceará é apenas o 19º estado do País em acessos por mais de 100 domicílios, a chamada densidade da telefonia fixa. A média cearense é de 19,35 conexões a cada 100 domicílios.

Entre os estados do Nordeste é o segundo, abaixo apenas de Pernambuco, que possui 20,87 acessos a cada 100 domicílios. No topo, estão o Distrito Federal (71,14), São Paulo (70,24) e Rio de Janeiro (56,76).

Já as menores densidades, segundo a Anatel, estão em Maranhão (10,95), Alagoas (12,45) e Pará (13,79).

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags