PUBLICIDADE
Economia
NOTÍCIA

Bares e restaurantes: quase 1.000 empreendimentos em Fortaleza encerram atividades após novo limite de hora para funcionamento

Entidade projeta que o índice suba para 2 mil locais nas próximas semanas. Decreto estadual, válido até o dia 17, obriga estabelecimentos a fechar às 20 horas de segunda a sexta e às 15 horas nos sábados e domingos

Gabriela Almeida
19:49 | 09/02/2021
Novo decreto do governador Camilo Santana, com restrições ao funcionamento  de vários setores depois das 20 horas, motivou protestos e Fortaleza (Foto: Aurelio Alves)
Novo decreto do governador Camilo Santana, com restrições ao funcionamento de vários setores depois das 20 horas, motivou protestos e Fortaleza (Foto: Aurelio Alves)

Um total de 980 empreendimentos do setor de bares e restaurantes de Fortaleza encerraram suas atividades somente nos três primeiros dias em que o novo Decreto estadual, publicado no início deste mês, passou a valer e limitou o horário de funcionamento da área. De acordo com informações divulgadas nesta terça-feira, 9, pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), a projeção é de que o índice suba para 2 mil nas próximas semanas. 

O documento limita o funcionamento de atividades econômicas não essenciais até as 20 horas na semana e determina ainda que bares e restaurantes só funcionem presencialmente até as 15 horas no sábado e no domingo, medida que dura até o dia 17 deste mês. Determinação foi tomada visando combater a segunda onda de Covid-19 que atinge a Capital, prevenindo lotação na rede de saúde pública e privada.

Segundo Taiene Righetto, presidente do órgão, desde que o novo limite foi imposto os empresários da área têm observado uma queda brusca do faturamento. Dados levantados pela associação apontam que a receita do setor caiu em 50% nos três primeiros dias após a adoção de medidas e que sofreu uma queda de 80% no primeiro fiml de semana cumprindo as determinações.

| LEIA MAIS | Na contramão do Estado, órgãos federais no Ceará terão ponto facultativo no Carnaval

Diante desse cenário, representantes do setor estiveram reunidos com o Governo do Estado, nesta segunda-feira, 8, para solicitar suporte durante o período em que o novo decreto esteja valendo. Righetto afirma que foram solicitadas à gestão estadual a redução ou a isenção de tributos como o Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU). 

Além disso, empresários também reivindicaram o auxílio a pequenos negócios quanto ao pagamento de contas de água e de energia. Essas medidas, contudo, só devem "amenizar" quadro financeiro e, por esse motivo, a solicitação principal foi a de que houvesse uma "flexibilização do horário de funcionamento". Governo prometeu estudar demandas e marcar uma nova reunião com os representantes em breve.

Também foram realizadas manifestações dos integrantes do setor em frente a locais estratégicos, como à Assembleia Legislativa do Ceará. Erguendo cartazes com as mãos, mais de dois mil participantes faziam pedidos ao Governo, todos em reivindicação ao novo limite de funcionamento imposto.