PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Apenas serviços essenciais poderão funcionar em Fortaleza após 20 horas, anuncia Camilo

As novas medidas foram adotadas após reunião do comitê para combate ao novo coronavírus. Durante os fins de semana, restaurantes e demais estabelecimentos de alimentação fora do lar poderão funcionar apenas até as 15 horas

Leonardo Maia
19:06 | 02/02/2021
Participaram do anúncio o governador Camilo Santana, o prefeito de Fortaleza, Sarto Nogueira e o secretário da saúde do Ceará, Dr. Cabeto. (Foto: Reprodução/Facebook)
Participaram do anúncio o governador Camilo Santana, o prefeito de Fortaleza, Sarto Nogueira e o secretário da saúde do Ceará, Dr. Cabeto. (Foto: Reprodução/Facebook)

Atualizada às 20h11min

Apenas serviços essenciais poderão funcionar em Fortaleza após às 20 horas, de acordo com anúncio do governador Camilo Santana, em transmissão ao vivo. A medida começa a vigorar nesta quarta-feira, 3, e segue por 15 dias. As demais atividades econômicas — não essenciais — só poderão operar por via delivery após o horário determinado. O decreto com as novas medidas deve ser publicado nesta quarta-feira.

O POVO solicitou à assessoria do Governo do Estado uma lista com os serviços essenciais autorizados para funcionar durante o período determinado e aguarda resposta.


Nos fins de semana, os restaurantes e outros estabelecimentos de alimentação fora do lar só funcionarão até às 15 horas, para o horário de almoço. O Governo do Estado encaminhará ainda um projeto de lei para a Assembleia Legislativa para prorrogar prorrogar por seis meses o estado de calamidade pública, decorrente da pandemia do novo coronavírus.

"O grande objetivo disso é evitar atividades lúdicas, evitar as festas. Isso para que a gente possa ter tempo para fazer isso e evitar novas mortes”, disse Camilo. Ele lembrou ainda que não haverá feriado no Carnaval nas esferas pública e privada, com funcionamento de escolas, do setor comércio e da indústria.

Leia Também | Camilo proíbe festa de Carnaval e cancela ponto facultativo

O governador explicou que as novas medidas restritivas foram tomadas em consequência do aumento significativo do número de casos no Estado, especialmente em Fortaleza, além da maior pressão causada na rede assistencial do Ceará. Ele ponderou ainda que o Estado não tem condições para vacinar a população cearense em massa, o que ajudaria na contenção dos casos.

O secretário de Saúde do Estado do Ceará, Carlos Roberto Martins Rodrigues Sobrinho, o Dr. Cabeto, falou sobre a preocupação com a nova variante do novo coronavírus, aparentemente mais transmissível. "Queremos evitar mutações, que têm muita influência no aumento de casos. O exemplo de Manaus é muito elucidativo e notamos que obedece um perfil epidemiológico também em outros estados (que confirmaram a circulação da nova cepa)".

“Precisamos que todos façam um pouco mais de força para minimizar a contaminação. Procure preservar sua família e as pessoas ao seu redor. Estamos fazendo um esforço para vacinar da forma mais rápida possível, esperamos que todos façam um grande movimento solidário”, ressaltou Cabeto.

Camilo disse ainda que fez uma solicitação à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e ao Governo Federal para que o fluxo de passageiros que chegam à Fortaleza seja controlado. Ele quer que seja exigido a apresentação de teste negativo contra Covid-19 quando os pacientes cheguem à Capital. O prefeito de Fortaleza, Sarto Nogueira, pediu para que as pessoas que têm sintomas do novo coronavírus não virem à Fortaleza, assim como os habitantes da Capital não se desloquem para o interior.

Na próxima sexta-feira, 5, será realizado um novo anúncio pelo governador para anunciar medidas específicas para o período de Carnaval no Estado. As decisões ocorrem após deliberação do Comitê Estadual de Enfrentamento à Pandemia do Coronavírus.

O grupo é composto pelo Governo do Estado, a Prefeitura de Fortaleza, o Tribunal de Justiça, a Assembleia Legislativa, os Ministérios Públicos Estadual e Federal e os especialistas de saúde do Executivo estadual.