Participamos do

Com chuvas da pré-estação, Cachoeira do Boi Morto volta a registrar quedas d'água em Ubajara

Atração turística da cidade em época chuvosa, cachoeira teve a paisagem modificada pelas primeiras chuvas de 2022
20:31 | Jan. 14, 2022
Autor Luciano Cesário
Foto do autor
Luciano Cesário Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

As fortes chuvas registradas nos primeiros dias de janeiro em Ubajara, na Serra da Ibiapaba, transformaram a paisagem da Cachoeira do Boi Morto, um dos principais cartões postais da cidade, localizada a 340 km de Fortaleza. Nesta quinta-feira, 13, a cascata voltou a registrar quedas d'água para a surpresa dos moradores, que esperavam o transbordo durante o período da quadra chuvosa, entre fevereiro e maio.

Com a cheia, a expectativa é que a cachoeira receba um grande número de visitantes neste fim de semana. A movimentação no local se mantém alta desde os primeiros instantes do derrame das águas. A maioria dos frequentadores são oriundos de outros municípios da região, como Guaraciaba do Norte, Ibiapina, Ipu e Tianguá.



A abundância hídrica que embeleza o cenário da cascata é resultado do bom volume de chuvas registrado no início de 2022 na Serra da Ibiapaba. Segundo o Calendário de Chuvas, painel monitorado pela Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), entre os dias 1º e 14 de janeiro, a região registrou média pluviométrica de 98 milímetros (mm), cerca de 84% a mais do que o volume de todo o mês observado em 2021, que foi pouco mais de 53 mm.

Embora os números sejam positivos, ainda estão abaixo da normal climatológica prevista para o período, algo em torno de 108 mm. Contudo, como ainda faltam mais de quinze dias para o mês acabar, a expectativa é que esse indicador também possa ser superado, caso haja registros de novas precipitações.

Em Ubajara, onde a cachoeira fica localizada, o acumulado das chuvas ficou acima da média regional. Até esta sexta-feira, 14, o indicador pluviométrico do município marcava aproximadamente 155 mm, volume acima da normal climatológica (133 mm) e maior do que o índice registrado durante todo o mês de janeiro do ano passado (141 mm).

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Chuvas fazem açude sangrar em Crateús

Com as chuvas de pré-estação registradas em janeiro no Ceará, os reservatórios hídricos começam a reagir ao cenário de escassez vivenciado até o fim de 2021. Um deles é a Barragem do Batalhão, em Crateús, que foi o primeiro açude do Estado a registrar sangria das águas em 2022. Conforme consta no Portal Hidrológico, da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh), o transbordo começou no último dia 8. Desde então, o aporte hídrico do reservatório se mantém acima de 100%. Até dezembro do ano passado, o volume era apenas 22,15%.

Se mais chuvas forem registradas nos próximos dias, o açude Germinal, em Palmácia, pode verter ser o próximo reservatório do Estado a verter suas águas. Atualmente, a barragem registra armazenamento de 94% da sua cota máxima. No começo do mês, em 1º de janeiro, o nível era de pouco mais de 77%.

Tenha acesso a todos os colunistas. Assine O POVO+ clicando aqui

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags