PUBLICIDADE
Noticia

Cirurgião-dentista e adolescente que foi fazer entrega estão entre vítimas de chacina

A morte do dentista informação foi confirmada pelo irmão dele, o jornalista Nathan Loiola, por meio de redes sociais, neste domingo, 18. Um adolescente identificado como Léo também foi vítima da ação. Ainda não há informação oficial sobre identidade das vítimas

Jéssika Sisnando
16:46 | 18/10/2020
Vítima de chacina em Quiterianópolis  (Foto: via WhatsApp O POVO )
Vítima de chacina em Quiterianópolis (Foto: via WhatsApp O POVO )

O cirurgião-dentista Gionnar Loiola está entre as vítimas da chacina de Quiterianópolis. A informação foi confirmada pelo irmão dele, o jornalista Nathan Loiola, por meio de redes sociais, neste domingo, 18. O dentista atuava na cidade de Novo Oriente.

A chacina deixou cinco pessoas mortas nesta tarde. Todos estavam em um alpendre quando criminosos armados com armas de grosso calibre chegaram no local, mandaram todos deitar no chão e efetuaram os disparos.

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) ainda não divulgou o nome das vítimas. Moradores da região informam que as vítimas são um adolescente de nome Léo, que trabalhava num bar e estaria no local para entregar bebidas; e outros homens identificados apenas como Ratinho, Reinaik e Pirineu, além do dentista Gionnar Loiola, cuja identidade foi confirmada pelo irmão.

Os alvos dos executores seriam, conforme testemunhas, Reinaik e Pirineu. Os demais teriam sido assassinados por estarem no local no momento do crime.

Uma sexta vítima foi baleada, sobreviveu e foi levada ao hospital.

Moradores utilizaram as redes sociais para comentar sobre o crime que assustou todos da vizinhança. A Polícia Militar está no local e o veículo da Perícia Forense para realização dos primeiros levantamentos. Na ocorrência foram cinco mortos e uma sexta pessoa foi baleada mas sobreviveu.  Um dos mortos utilizava tornozeleira eletrônica, mas ainda não foi informado qual das pessoas seria. 

Leia mais |

Chacina do Forró do Gago segue sem audiência após dois anos

Justiça condena réus na Chacina do Benfica a 189 e 170 anos de prisão; 3º acusado é inocentado