PUBLICIDADE
Noticia

Família procura por empresária desaparecida há 3 dias em Maracanaú

Naiara foi vista pela última vez no bairro Meireles. A Polícia Civil do Estado do Ceará está investigando o caso

Jullie Vieira
16:06 | 04/09/2019
Kaynara Lima exibe cartaz com a foto da irmã Naiara Lima, que estava desaparecida
Kaynara Lima exibe cartaz com a foto da irmã Naiara Lima, que estava desaparecida(Foto: Alex Gomes/O POVO)

>> Encontrada empresária desaparecida há 3 dias em Maracanaú; CONFIRA AQUI

A família da empresária Naiara Queiroz Lima, 30 anos, está em busca de informações a respeito do paradeiro da mulher que desapareceu na manhã da última segunda-feira, 2, no município de Maracanaú na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). A Polícia Civil do Ceará está investigando o caso.

Naiara trabalhava em uma loja de vídeo games da família no bairro Luzardo Viana, em Maracanaú. De acordo com a irmã, Kaynara Lima, Naiara passava por alguns problemas familiares desde que perdeu a guarda do filho de 12 anos para o pai.

Ao POVO Online, Kaynara explicou que a irmã estava abatida desde que perdeu contato com o filho. No dia em que ela desapareceu, as duas não mantiveram contato. “Ela entrou em casa por volta das 10 horas da manhã, e logo em seguida pegou o carro e saiu”, conta. A família registrou um Boletim de Ocorrência (BO) na delegacia plantonista de Maracanaú.

Naiara foi vista pela última vez pelas câmeras do Sistema Policial Indicativo de Abordagem (Spia) entre os cruzamentos avenidas Abolição e Desembargador Moreira, no bairro Meireles.

A Polícia Civil informou que o caso está sendo investigado pela 12ª Delegacia do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), e que equipes estão realizando diligências para tentar encontrar Naiara.

A família pede para as pessoas que virem Naiara ou o veículo, entrem em contato com o número: 85 - 98846-7813.

Família procura por mulher desaparecida em Maracanaú.
Família procura por mulher desaparecida em Maracanaú. (Foto: Divulgação)

Denúncias

A Polícia Civil ressalta que a população pode contribuir com as investigações repassando informações que possam auxiliar os trabalhos policiais. As denúncias podem ser feitas pelo número 181, o Disque-Denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS); para o ‪‪(85) 3101.2779, do 28º Distrito Policial (DP), ou ainda para o número ‪‪‪(85) ‪99111-7498, que é o WhatsApp do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), por onde podem ser feitas denúncias via mensagem. O sigilo e o anonimato são garantidos.