PUBLICIDADE
NOTÍCIA

Chuva alaga nova Câmara dos Vereadores de Juazeiro do Norte antes da entrega

Inutilizado, primeira etapa do prédio foi entregue em sessão solene pelo antigo presidente do legislativo municipal

Ítalo Cosme
13:38 | 09/12/2019
Estátua do padre Cícero no meio da câmara de Juazeiro do Norte alagada
Estátua do padre Cícero no meio da câmara de Juazeiro do Norte alagada (Foto: Reprodução/WhatsApp)

O acumulado da chuva de 56 milímetros, entre esse domingo e a manhã desta segunda-feira, 9, que atingiu o município de Juazeiro do Norte, alagou a nova Câmara dos Vereadores da Cidade. O estacionamento do equipamento afundou, a área administrativa e o auditório com capacidade para 150 pessoas estão totalmente alagados. Não havia funcionários no espaço, que ainda não é utilizado. O entorno do local também é de difícil acesso. A via ainda carece de pavimentação, o barro prevalece.

Há cerca de cinco meses, uma solenidade, organizada pelo até então presidente da Câmara, Gledson Bezerra, marcou a entrega da primeira etapa da obra. O novo prédio do legislativo municipal de Juazeiro deveria ser entregue próximo 15 de dezembro por Darlan Lobo, atual mandatário da câmara.

De acordo com as informações apuradas pelo O POVO, faltava licitação da mobília e de todo o sistema de informação do estabelecimento. Procurado, o presidente da Câmara Municipal, Darlan Lobo, indicou contato de quatro vereadores.

Segundo ele, os parlamentares fazem parte da comissão da casa que acompanhou os trabalhos da nova sede. "Eles estão tratando talvez até direto com o ex-presidente, que foi quem contratou a empresa e parte de engenharia. Eu já peguei nos finalmente, faltando pouca coisa para concluir", afirmou.

Entre as pessoas sugeridas pelo atual presidente está a vereadora Auricélia Bezerra (PDT). Ela informou ao O POVO que não sabe qual empresa fez o serviço. "Teve uma comissão para receber a Câmara, mas não tinha como saber que na primeira chuva ia acontecer isso", lamentou.

O POVO tentou contato com o ex-presidente da Câmara dos Vereadores, Gledson Bezerra, mas as ligações não foram atendidas até as 17h40min.

Clique na imagem para abrir a galeria

Distante 489 quilômetros de Fortaleza, Juazeiro do Norte registrou o quarto maior volume de água entre as 7 horas de domingo e o mesmo horário desta segunda-feira.

Conforme dados da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), a macrorregião do Cariri teve as maiores precipitações no período. O posto pluviométrico do órgão em Barbalha registrou a maior quantidade de chuva, 90 milímetros. Crato, na mesma região, segundo maior contabilizado, vem em seguida com 75 mm. O terceiro maior registro foi percebido em Assaré.

Pré-Estação

A pré-estação da quadra chuvosa no Ceará começa em dezembro e segue até janeiro, quando o período finaliza e o estado entra na quadra chuvosa, de fato. A média pluviométrica é de 130,3 milímetros, sendo 31,6 mm no primeiro mês e 98,7 mm no segundo, conforme dados da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme).

Geralmente, as primeiras precipitações da Pré-Estação chegam ao sul do Estado, como as que ocorreram nas 24 horas estre domingo e sábado, em maior quantidade na macrorregião do Cariri, ou na última quinta-feira, em seis municípios do Sul do Estado. Por outro lado, em janeiro, as chuvas tendem a ser mais generalizadas e significativas, banhando uma maior área do território.

Raul Fritz, meteorologista da Funceme, destaca que o sistema meteorológico que atingiu a Região do Cariri é passageiro e já se afastou da área. "Nesse período, começa a se estabelecer na atmosfera as primeiras condições de formação de nuvens de chuvas. Mas o que acontece nesse período é que se formam rapidamente e não demoram muito". Conforme o especialista, nos próximos três dias, pelo menos, não há previsão de chuva para a região. Sobre a quadra chuvosa de 2020, a previsão deve ser divulgada no início do próximo ano.

Calaborou o repórter Luciano Cesário/CBN Cariri