PUBLICIDADE
NOTÍCIA

Polícia apreende 10 armas em terreno em Caucaia

Um revólver calibre 12 e nove armas calibre 38 foram encontrados dentro de sacos plásticos. As armas seriam da facção que tinha como chefe Cilas de Moura Araújo, conhecido como Mago, preso na última terça

13:45 | 09/07/2020
Alceu Viana, delegado adjunto da DRACO, durante coletiva para apresentação de armas apreendidas pela polícia civil do Ceará em Caucaia (Foto: Foto: Fábio Lima)
Alceu Viana, delegado adjunto da DRACO, durante coletiva para apresentação de armas apreendidas pela polícia civil do Ceará em Caucaia (Foto: Foto: Fábio Lima)

Após a prisão, na última terça-feira, 7, de um dos homens mais procurados no Estado, o chefe de facção Francisco Cilas de Moura Araújo, a Polícia apreendeu, na noite da última quarta, 8, 10 armas de fogo - nove revólveres calibre 38 e uma arma calibre 12 - pertencentes à quadrilha em um terreno baldio no bairro Baixa Grande, em Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). Segundo o comandante da operação, delegado adjunto da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco), Alceu Viana, o armamento foi encontrado após uma denúncia anônima de que os criminosos estavam escondendo os revólveres no terreno. Cerca de 15 agentes da Polícia Civil se dirigiram ao local e encontraram o material.

Apesar de os policiais terem montado campana na área, ninguém foi capturado no terreno. A Polícia ainda não tem o nome do proprietário da área. Apreensão faz parte da Operação Focus, que visa a identificação dos líderes de facções que atuam em Caucaia e prendeu, até a última quarta, oito pessoas. “Com o cumprimento desses mandados de prisão, a população se sente mais segura para cooperar com o trabalho policial”, avalia Viana.

A prisão do grupo pode ter motivado, ainda de acordo com o delegado, as denúncias realizadas pela população e tenha instigado aos criminosos a se desfazerem do armamento ou, ainda, escondê-lo em um local diferente de onde as armas estavam originalmente. As investigações seguem no intuito de identificar os indivíduos que estavam de posse das armas.

Todo o armamento estava sem munição e acondicionadas em sacos plásticos. O delegado afirma que não é possível para a Polícia precisar se a organização criminosa possua outras armas, mas que a perda desse equipamento, “um verdadeiro arsenal foi um duro golpe na facção”, diz.