Logo O POVO+

Jornalismo, cultura e histórias em um só multistreaming.

Participamos do

Maio de 2022 é o mais chuvoso dos últimos 11 anos no Ceará

Números prévios da Funceme apontam que o último mês da quadra chuvosa de 2022 apresenta precipitações em torno da média histórica, com 102,1 mm observados

A apenas dois dias para o término de maio e, consequentemente, para o fim da quadra chuvosa no Ceará, o quinto mês do ano de 2022 é mais chuvoso dos últimos 11 anos, se comparado com o mesmo período. Os 102,1 milímetros (mm) de chuvas observados até a noite desta segunda-feira, 30, só ficam atrás dos 134,7 mm registrados em maio de 2011, de acordo com números preliminares divulgados pelo portal da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme).

A normal climatológica para o período é de 90,6 mm. Apesar do desvio positivo, a Funceme esclarece que o volume de precipitações registrado até agora ainda encontra-se dentro da categoria em torno da média, pois seu limiar é de 115,63 mm.

A Fundação destaca que os dados disponibilizados no portal ainda podem passar por alterações, já que apresentam números prévios. É esperado que haja uma consolidação desses números até a próxima sexta-feira, 3. Para os últimos dois dias do mês, a previsão é de chuvas isoladas e passageiras em todas as macrorregiões, principalmente, na faixa litorânea, Cariri, Jaguaribana e sul do Sertão Central e Inhamuns.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

De acordo com a Funceme, as chuvas registradas em maio — assim como em maior parte do período da quadra chuvosa — foram impulsionadas pela ação de fenômenos meteorológicos característicos desta época do ano, como a Zona de Convergência Intertropical (ZCIT), as áreas de instabilidade e, já nesse último fim de semana, um sistema chamado Ondas de Leste.

Em uma análise mais ampla dos dados disponibilizados no portal da Funceme, entre os meses de fevereiro e maio, período da quadra chuvosa no Estado, foram observados 614,7 mm, quando o volume normal para o período é de 600,7 mm.

Com os números atuais, o nível de precipitações na estação chuvosa encontra-se dentro da normalidade, pois, apesar de apresentar saldo percentual positivo de 2,3%, somente considera-se acima da média quando o observado ultrapassa 707,58 milímetros.

Atuação da La Niña para as chuvas no Ceará

Os acumulados de chuva registrados neste ano no Ceará são resultado da atuação predominante da La Niña, fenômeno caracterizado pela intensificação de ventos alísios [massas de ar quente e úmido], entre o Centro e o Leste do Oceano Pacífico. "Quando o cenário é de influência da La Niña, há um aumento de chuvas na região Nordeste, inclusive no Ceará", pontua a meteorologista do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), Morgana Almeida.

A especialista ainda destaca que, além da La Niña, as chuvas em território cearense têm relação com o aquecimento das águas do Oceano Atlântico, condição que aproxima a Zona de Convergência da região Nordeste. "A junção desses fenômenos fez com que a ZCIT atuasse na nossa região muito além do seu período climatológico, porque normalmente em meados de abril ela já começa a migrar para o Norte. Este ano está sendo bem atípico", explicou Almeida.

Levantamentos do Inmet indicam que nos últimos dias a ZCIT está migrando aos poucos em direção à região Norte do Brasil. Atualmente, segundo a meteorologista, o sistema está posicionado na altura do estado do Amapá. "Mesmo com essa distância maior, algumas instabilidades nas ondas dela [ZCIT] podem, eventualmente, conseguir atingir o Ceará nos meses de junho, julho e agosto, favorecendo a ocorrência de mais chuvas", complementou a especialista.

A análise consolidada sobre o volume de precipitações da quadra chuvosa no Ceará só deve ser divulgada pela Funceme nos primeiros dias de junho. Na transição para o próximo mês, as previsões do órgão apontam tendência de chuvas pontuais e concentradas nos extremos do Estado, ou seja, no litoral e no sul do Ceará. (Colaborou Luciano Cesário)

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar