Participamos do

Veja a previsão do tempo no Ceará para a última semana de janeiro

Segundo a Funceme, o tempo apresentará condições mais estáveis, no entanto, há cenário para chuvas em determinadas macrorregiões
10:38 | Jan. 25, 2022
Autor Redação O POVO
Foto do autor
Redação O POVO Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) divulgou nessa segunda-feira, 24, boletim sobre as condições meteorológicas para a última semana do mês de janeiro. Segundo o órgão, o tempo apresentará condições mais estáveis, no entanto, há cenário para chuvas em determinadas macrorregiões.

No início da semana, a tendência é de céu variando de parcialmente nublado a sem nuvens em todas as regiões, com baixa possibilidade de chuva no Litoral Norte, Ibiapaba, Cariri e sul do Sertão Central e Inhamuns. Entre terça-feira, 25, e quarta-feira, 26, há expectativa de condições mais favoráveis para chuvas, uma vez que, a previsão, neste momento, é de alta possibilidade de precipitações, principalmente em Ibiapaba, no Litoral Norte, Litoral de Fortaleza e Litoral do Pecém.

Até esta manhã de terça, o site da Funceme havia registrado chuvas em quatro cidades cearenses: Missão Velha, 3 mm; Alto Santo 9 mm; Litoral de Fortaleza, 0,4 mm; e Limoeiro do Norte, que registrou quase 19 mm de chuvas. Para o resto da semana, a Funceme informou que pode haver o predomínio de céu mais claro em todo o território com baixa possibilidade de chuva, entre 20% e 40%, em todas as macrorregiões.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Expectativas para os meses de fevereiro a abril

 

O prognóstico climático divulgado pela Funceme para os próximos três meses indica 40% de probabilidade de chuvas acima da média. De acordo com a Fundação, o cenário esperado para os próximos meses se dá a partir da análise das condições atmosféricas e oceânicas e dos resultados de modelos numéricos de previsão.

Em relação ao mesmo período do ano passado, a expectativa para esse recorte de 2022 é mais otimista, já que, em 2021, a maior probabilidade era de precipitações abaixo da média, o que acabou se confirmando ao final do período de três meses.

“A Funceme está iniciando agora a análise da subsazonalidade, uma palavra meio complicada, mas no final significa a expectativa do que acontece entre a previsão de tempo, até três dias e a previsão climática, que são esses três meses apontados pela Funceme. A subsazonalidade é essa variabilidade que a gente vai estar apontando ao longo das semanas. Por exemplo, as chuvas dos primeiros sete dias, primeiros 14, 15 dias e assim por diante”, explicou a gerente de Meteorologia, Meiry Sakamoto.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags