Participamos do

Operação mira grupo de empresas suspeito de fraudar licitações em várias prefeituras cearenses

Três pessoas foram presas pela Polícia Civil nesta quarta-feira, 6, por suposta participação no esquema
21:18 | Out. 06, 2021
Autor Luciano Cesário
Foto do autor
Luciano Cesário Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Operação deflagrada pela Polícia Civil do Ceará (PC-CE) nesta quarta-feira, 6, prendeu três pessoas suspeitas de integrar um esquema de fraude em licitações e contratos públicos envolvendo várias prefeituras cearenses. A ofensiva também cumpriu sete mandados de busca e apreensão em endereços ligados a outros alvos da investigação. Houve ainda uma quarta ordem de prisão que não foi efetuada em virtude de os policiais não terem localizado o suspeito. Os nomes dos presos não foram divulgados.  Coordenada pela Delegacia de Combate à Corrupção (Decor), a ação contou com a participação de ao menos 50 policiais civis.

O nome da operação, “Clavus” – palavra do Latim que significa “prego” ou semelhança de forma–, faz referência aos métodos padronizados utilizados pelos supostos criminosos para cometer os mesmos crimes em diferentes municípios do Estado. Segundo as investigações, o esquema consiste em um grupo de empresas que teriam firmado um ‘pacto’ para cooptar servidores públicos de Prefeituras e obter favorecimento em processos licitatórios relacionados à prestação de serviços de locação, estes não especificados pela Polícia.

De acordo com o inquérito, através da intermediação ilegal dos funcionários públicos, as organizações conseguiam se sair vencedoras na maioria das licitações que disputavam. A PC-CE também investiga indícios de superfaturamentos nos contratos que eram firmados após os procedimentos. O órgão não divulgou a quantidade exata de prefeituras envolvidas no esquema, mas disse que o alvo preferencial do grupo eram as Prefeituras de Tamboril e Nova Russas, ambas localizadas nos Sertões dos Crateús.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Documentos obtidos pelos investigadores indicam que as empresas alvo da operação possuem contratos estimados em R$ 160 milhões levando em conta todas as prefeituras envolvidas no esquema. Mais detalhes sobre a operação policial serão divulgados nesta quinta-feira, 7, às 11 horas, em coletiva de imprensa na sede da Superintendência Estadual da PC-CE, Fortaleza.

O POVO entrou em contato com a assessoria de imprensa da  Prefeitura de Tamboril, que informou, por meio de nota, que as investigações da “Operação Clavus” estão relacionadas a governos anteriores e não têm “qualquer vinculação com a atual gestão municipal”. 

Por meio de nota, a Prefeitura de Nova Russas informou que, na manhã desta quarta-feira, 6, foi comunicada da Operação "Clavus", realizada pela Polícia Civil do Ceará. Conforme a Polícia Civil, três empresas que estariam sob investigação prestavam serviços à Prefeitura.

No entanto, a Prefeitura de Nova Russas afirma que, das duas empresas citadas, duas eram referentes a governos anteriores à atual gestão e não prestavam mais serviços ao município. Uma delas teve o contrato rescindido na data de 6 de outubro deste ano e segue desvinculada.

"Nossas áreas jurídica e de controle interno são orientadas, por determinação expressa da prefeita Giordanna Mano, a fazer constante verificação da legalidade de todos os contratos celebrados", informou a Prefeitura.

"Essa atitude proativa é, além de uma obrigação legal, um compromisso pessoal da nossa gestora, sempre disposta a colaborar com as autoridades na preservação da probidade e do direito fundamental à boa administração pública", divulgou.

 

Leia + Duas pessoas são presas em operação contra fraude em licitação e corrupção no Ceará

Família suspeita de usar laranjas em fraudes de R$ 132 milhões é alvo de operação no Ceará

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags