Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Programa CNH Popular no Ceará deve voltar em outubro com 20 mil carteiras

Programa foi lançado no ano de 2009 e já contemplou cerca de 140 mil cearenses
12:28 | Set. 14, 2021
Autor Gabriel Borges
Foto do autor
Gabriel Borges Jornal
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Programa CNH Popular no Ceará deve voltar em outubro com 20 mil carteiras habilitação. A informação é do governador Camilo Santana (PT), divulgada em live nesta terça-feira, 14. No início de setembro, Camilo já havia anunciado a retomada do programa, mas não havia confirmado a data.

Criado em 2009, o programa abre a oportunidade para que pessoas de baixa renda possam ter acesso, sem nenhum custo, à carteira de habilitação, tanto da categoria A, que serve para motos, quanto para categoria B, que autoriza a condução de carros. O programa prevê que os motoristas que realizem o curso para receberem a categoria do tipo A também ganhem um capacete.

Desde de sua criação, o programa CNH Popular já contemplou quase 140 mil cearenses, que, graças à gratuidade do projeto, conseguiram ter acesso ao processo de habilitação de motos e carros. Vale destacar que o programa só é válido para pessoas sem habilitação nas categorias.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Crise energética: após pressão, Petrobras vai voltar a fornecer gás natural ao Ceará em outubro

ECONOMIA
12:57 | Set. 14, 2021
Autor Beatriz Cavalcante
Foto do autor
Beatriz Cavalcante Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Desde março que o Ceará está sem o navio de regaseificação no Porto do Pecém que abastecia as térmicas do terminal de Gás Natural Liquefeito (GNL) para geração de energia e já havia tido retorno negativo da Petrobras sobre a retomada da atividade. Acontece que o presidente da estatal, Joaquim Silva e Luna, disse nesta terça-feira, 14, que o reposicionamento da embarcação será feito em outubro.

"A Termofortaleza voltará em outubro com reposicionamento de navio", disse ele, ao vivo, em audiência na Câmara dos Deputados para esclarecer os preços altos dos combustíveis e a situação do acionamento das térmicas ante a crise energética que o País passa.

Mas, conforme O POVO publicou em agosto deste ano, o Governo do Ceará já havia recebido um retorno negativo sobre o navio regaseificador Golar Winter, da Petrobras, ao pier 2 do Terminal de GNL no Porto do Pecém.

Sem o navio, o Ceará estava desabastecido de gás natural pela Petrobras, que atende especialmente as termelétricas do Estado e também as demandas dos vizinhos Rio Grande do Norte e Piauí. Quem confirmou a situação à época foi o titular da Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Trabalho do Ceará (Sedet), Maia Júnior.

O secretário teve uma reunião com representantes da estatal em agosto e questionou sobre o retorno do navio ao Pecém, já que desde março ele zarpou sem que a estatal desse qualquer explicação mais aprofundada do porquê nem de quando seria o retorno.

A resposta, porém, havia sido negativa. Segundo Maia, a explicação que recebeu é que a Petrobras estaria seguindo ordens do Ministério de Minas e Energia, que resolveu suspender o abastecimento no Ceará para incrementar a produção de energia elétrica nas térmicas da Bahia para que elas produzissem energia a ser enviada ao Sudeste.

Maia reclamou, diz que isso obriga as empresas a buscar outras alternativas de abastecimento. Essa crise acontece num momento de risco de desabastecimento energético, em que as térmicas são a reserva de emergência.

"Foi uma escolha (do Ministério de Minas e Energia) que nem foi comunicada ao Estado. O que eu vou dizer para esse investidor que investiu bilhões de dólares nessas termelétricas do Ceará?".

Maia acrescentou que, para o Nordeste, a posição ainda é confortável e não existe risco de desabastecimento: "(Não há risco) Graças aos avanços na produção de energias renováveis no Ceará e nos estados nordestinos - em meio à essa priorização de destinar energia ao Sudeste -, e se não fosse as energias renováveis, mais uma vez nosso Nordeste iria ficar a ver navios."

"Isso é uma insegurança! O que é que eu vou dizer aqui para a Mitsui, que comprou uma parte da empresa do Estado (Cegás) e em outros estados também. "Te vira"?. Porque a minha exigência como Estado é que você precisa garantir abastecimento de gás na indústria, residências. O que eu digo para os investidores que compraram automóveis a gás neste País se não tiver garantia de gás? O que eu digo para os investidores que operam termelétricas no Ceará? A Petrobras retira o seu navio de suprimento de gás do Porto do Pecém sem dizer nada ao Estado", afirmou.

Mas, pelo visto, após a pressão e sessão de debate na Câmara dos Deputados, a Petrobras retomará o fornecimento de gás no Ceará, que é menos poluente em relação ao acionamento das térmicas a carvão.

Antes, a Petrobras havia informado ao O POVO, em nota, que a "disponibilidade de dois navios regaseificadores na frota da Petrobras decorre do processo em curso de arrendamento do Terminal de Regaseificação da Bahia (TRBA), objeto do compromisso assumido pela Petrobras no âmbito do TCC celebrado com o CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica)".

A companhia dizia ainda que, "conforme previsto no processo, em havendo um vencedor, é esperada a alocação de um novo navio regaseificador pela empresa arrendatária, e a Petrobras poderá deslocar o navio ora posicionado no TRBA de volta para o Terminal do Pecém (TRPECÉM), momento em que os três terminais de regaseificação estarão operacionais".

"Até que haja a assunção de posse do TRBA pela empresa arrendatária e considerando o atual patamar de despacho termelétrico, a manutenção dos navios regaseificadores no terminal da Baía de Guanabara (TRBGUA) e no TRBA assegura uma operação para o sistema com maior disponibilidade total de gás para o sistema brasileiro, o que, juntamente com a operação da UTE Termoceará a diesel (por ser uma usina bicombustível), já oferecida pela Petrobras, provê a máxima oferta total de geração de energia."

"A Petrobras fez com que os estados estruturassem empresas (no Ceará, a Cegás), a estatal concede às empresas operação e distribuição de gás natural e ontem (quinta-feira, 5 de agosto), uma semana após vender seus ativos nessas empresas estaduais tripartite à Cosan - logicamente ainda têm alguns carnavais para serem discutidos, pois há acordos de acionistas e estados e entes privados têm prioridade na aquisição das ações - a Petrobras anuncia ao País que não vai mais garantir gás natural às empresas distribuidoras que ela própria criou", reclamou Maia Júnior.

Solicitação da volta do navio ao Ceará

O Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) também já havia solicitado à Agência Nacional de Petróleo (ANP) esforços para que a Petrobras colocasse em operação novamente o Terminal GNL do Pecém, no Ceará, até o fim de setembro.

Inaugurado em 2008, o terminal com capacidade de transferir até 7 milhões de m³/dia de gás natural para o Gasoduto Guamaré-Pecém (Gasfor) está parado desde março deste ano.

Nas contas do Ministério de Minas e Energia (MME), a reativação do equipamento viabilizará a operação de importantes usinas no Nordeste e acrescentaria 570 MW de disponibilidade termelétrica ao Sistema Interligado Nacional (SIN).

Essa produção viria do acionamento da Termofortaleza e Termoceará, no Ceará, e da usina Vale do Açu, no Rio Grande do Norte.

Dados do Operador Nacional do Sistema (ONS) mostram que as termelétricas cearenses movidas à gás natural - que tem um custo menor do que aquelas à diesel - acrescentaram ao sistema uma geração de 423 MWmed, em janeiro, e de 211 MWmed, em fevereiro.

O montante representou apenas 8,05% dos mais de 7,8 mil MWmed produzidos pelas termelétricas a gás no Brasil neste ano até o mês de junho.

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Instalação de acesso gratuito a internet no Ceará começará por cidades do Cinturão Digital

ECONOMIA
12:48 | Set. 14, 2021
Autor Alan Magno
Foto do autor
Alan Magno Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Anunciado há um mês, o programa Ceará Conectado, cuja implementação foi sancionada em lei na última sexta-feira terá cronograma divulgado amanhã quarta-feira, 14 de setembro. O projeto prevê instalação de pontos de acesso a internet gratuito em todas as cidades do Estado. 

O detalhamento de como será feito a implementação, quais municípios serão beneficiados na primeira etapa de instalação e em quais locais das cidades beneficiadas serão disponibilizados os pontos de acesso gratuito será feito pelo governador do Estado, Camilo Santana (PT). 

"São duas etapas, primeiro, de forma imediata iremos disponibilizar um primeiro ponto de acesso gratuito nas 77 cidades que já fazem parte do cinturão digital, depois, o processo é expandir o cinturão para então levar o acesso", destaca Camilo. 

A informação foi divulgada pelo gestor estadual em transmissão ao vivo nas redes sociais na manhã desta terça-feira, 14 de setembro. Medida representa a consolidação de um novo hub de desenvolvimento no Estado, com foco em conectividade e infraestrutura de dados, que começou a ser construído com a instalação de Data Centers no Estado

O projeto representa uma expansão do ideal de conectividade implementado por meio do "Cinturão Digital", que garante a integração de todos os sistemas públicos do Estado. De acordo com Camilo, a meta é consolidar uma expansão do Cinturão, fazendo com que ele conecte no mínimo o dobro de entidades já integradas e a partir disso, permitir o acesso gratuito da população à internet em determinados espaços de cada cidade.

A Empresa de Tecnologia da Informação do Ceará (Etice), responsável pelo Cinturão Digital, ficará encarregada de operacionalizar o novo programa. 

"Temos hoje no Ceará a maior rede pública de fibra ótica do Brasil, e somos o segundo lugar mais conectado do mundo, por meio dos cabos submarinos. A ideia é levar essa conexão para todos os 184 municípios cearenses", argumenta o governador.

Entre os municípios que já estão sendo alvos de estudos para implementação dos pontos de acesso gratuito estão: Maranguape, Pacajus, Horizonte, Acaraú, Chaval. O foco é permitir que todas os órgãos de gestão e administração públicos das cidades cearenses possuam internet gratuita, com fornecimento do Estado. 

"Essa rede poderá servir as prefeituras dos municípios, as escolas, aos órgãos municipais. A conectividade nas praças centrais do municípios", projeta Camilo ao mencionar que os locais exatos da instalação dos pontos de acessos serão decididos por meio de reuniões com cada prefeitura. 

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Com franquias, Blue Sol Energia Solar mira expansão no Ceará

ECONOMIA
11:46 | Set. 14, 2021
Autor Alan Magno
Foto do autor
Alan Magno Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Presente em outros 19 estados brasileiros, a empresa Blue Sol Energia Solar, especializada em sistemas de geração de energia fotovoltaica, dá início às operações no Ceará neste mês. Por meio do sistema de franquias, o grupo pretende expandir a presença no Estado e fortalecer sistemas de geração distribuída para residências e empreendimentos.

A primeira unidade no Ceará está localizada no município de Cascavel, na Grande Fortaleza, e será operacionalizada pelo empreendedor Ronald Alves. “Pretendo me tornar referência como franqueado Blue Sol em minha região, em Cascavel e, também, nacionalmente, alcançando pequenos negócios e gerando renda”, afirma Ronald à empresa.

Os R$ 23 mil investidos por Ronald para adquirir a franquia da Blue Solar, de acordo com as projeções feitas ao contratar o plano de franquia, serão recuperados em até 6 meses. A partir disso, o empreendedor projeta a abertura de uma segunda sede da franquia também na Região Metropolitana de Fortaleza.

“Temos interesse em iniciar as atividades com o novo formato de franquia em todas as regiões do Brasil. A expectativa é de que ao fim de 2021 a Blue Sol contabilize cerca de 300 franquias com o modelo Next em operação e um total de mais de 330 unidades franqueadas se somados os outros modelos da marca”, detalha Marcio Santin, gestor de franquias da empresa.

A perspectiva para o setor é de crescimento, tanto pela questão socioambiental da preocupação com energias renováveis, mas principalmente pela compensação com relação aos recentes reajustes na tarifa de energia elétrica no Brasil.

Em atuação há 11 anos, a franquia aberta em Cascavel é a primeira da empresa no Ceará, sendo a 97 em funcionamento no País e a 13ª em operação no Nordeste. Na região, os estados do Maranhão, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco e Bahia já integravam a rede de comércio fotovoltaico da Blue Sol.

Como funciona o sistema de franquias para negócios de produção de energia solar na Blue Sol?

Batizado de Next, o modelo de franquias da Blue Solar propõem um modelo de negócios dinâmico e independente por meio do qual, o franqueado se responsabiliza apenas pela parte comercial. Assim, não é necessário contratar colaboradores ou ter um ponto comercial para o desenvolvimento das atividades.

A proposta tem intuito de viabilizar a conquista de mercado de municípios do interior dos estados brasileiros, com interesse especial em município com menos de 20 mil habitantes. Para alcançar tal feito, o sistema de franquias da companhia encarrega a própria empresa de toda engenharia e desenvolvimento de projeto, instalação dos sistemas de energia solar, homologação e conexão à rede elétrica de cada sistema de energia vendido pelos franqueados. 



Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Porto do Pecém bate a marca de 1.052 pás eólicas movimentadas com outros países

ECONOMIA
11:42 | Set. 14, 2021
Autor Beatriz Cavalcante
Foto do autor
Beatriz Cavalcante Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O Complexo do Pecém divulgou a marca de 1.052 pás eólicas movimentadas no Porto em 2021, dentre exportações e importações. Os equipamentos variaram de 54 metros a 84 metros de comprimento.

Segundo o balanço da empresa, a maior parte é destinada à exportação, principalmente para portos dos Estados Unidos, Alemanha e Chile.

Já na importação as pás chegam principalmente da China, desembarcando no Pecém direto para serem instaladas em parques eólicos do Nordeste, em estados como Piauí, Rio Grande do Norte e Bahia. 

 

Embarque das pás eólicas no navio Quetzal Arrow rumo aos Estados Unidos
Embarque das pás eólicas no navio Quetzal Arrow rumo aos Estados Unidos (Foto: Divulgação)

Um exemplo de movimentação foi o do navio Quetzal Arrow, que carregou 30 pás eólicas e desatracou, no início desse mês, do terminal portuário do Pecém em direção ao Porto de Houston, nos Estados Unidos.

O Porto cearense tem como uma de suas especializações o fluxo destas chamadas cargas de projeto, como são as pás eólicas. Ou seja, todas as cargas cujas medidas, dimensões e peso são fora dos padrões para o embarque em contêineres convencionais.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Atividades turísticas do Ceará expandem 6,9% em 2021

ECONOMIA
11:07 | Set. 14, 2021
Autor Beatriz Cavalcante
Foto do autor
Beatriz Cavalcante Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O índice de atividades turísticas do Ceará expandiu 6,9% no acumulado do ano de 2021, de janeiro a julho, na análise com igual período de 2020.  

Impulsionaram o salto as receitas de empresas que atuam nos ramos de hotéis, transporte aéreo, restaurantes, rodoviário coletivo de passageiros, locação de automóveis e serviços de bufê.

Frente ao mês anterior, julho apresentou variação de 0,9% no Estado, a quarta taxa positiva consecutiva, acumulando ganho de 51,5%. Contudo, o segmento de turismo ainda necessita crescer para retornar ao patamar de fevereiro de 2020.

Ante julho de 2020, o índice de volume de atividades turísticas cearense apresentou expansão de 122,9%, quarta taxa positiva seguida.

Já na variação dos últimos 12 meses, o indicador do volume das atividades turísticas aponta queda de 18,7%.

Os dados foram divulgados nesta terça-feira, 14, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags