Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Avião cai em Piracicaba e mata sete pessoas

Segundo o Corpo de Bombeiros, não há sobreviventes
11:00 | Set. 14, 2021
Autor Redação O POVO
Foto do autor
Redação O POVO Jornal
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Sete pessoas morreram após queda de avião em uma área de mata em Piracicaba, interior de São Paulo, na manhã desta terça-feira, 14. De acordo com o Corpo de Bombeiros local, a aeronave teria caído por volta das 9h e atingido algumas árvores próximas à Faculdade de Tecnologia do Estado de São Paulo (Fatec).


Com a queda, um incêndio começou na mata próxima à instituição de ensino. O fogo já foi controlado pela equipe de Bombeiros.


Mais detalhes serão divulgados em breve.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Tribunal confirma condenação de deputado Bolsonarista por ofensas a Alexandre

POLÍTICA
12:18 | Set. 14, 2021
Autor Agência Estado
Foto do autor
Agência Estado Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia
Os desembargadores da 5ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo confirmaram a sentença que condenou o deputado federal Otoni de Paula (PSC-RJ) por ter se referido ao ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, de forma pejorativa, chamando-lhe de 'cabeça de ovo', 'cabeça de piroca', 'Alexandre de Morais você é um lixo', 'você é um esgoto'. Os magistrados, no entanto, acolheram parcialmente um recurso do parlamentar aliado do presidente Jair Bolsonaro e reduziram o valor a ser pago a Alexandre de R$ 70 mil para R$ 50 mil.
Em julgamento realizado na sexta-feira, 10, os magistrados seguiram o entendimento do relator J.L. Mônaco da Silva, que ressaltou que as palavras usadas por Otoni de Paula nas publicações não estão sob o manto da imunidade material parlamentar. Na avaliação do desembargador, as expressões ofensivas 'cabeça de piroca' e 'cabeça de ovo' 'não podem ser consideradas um mero dissabor e tampouco conduta de caráter inofensivo, existindo efetiva lesão à honra'.
"A liberdade de expressão deve ser exercida com consciência e responsabilidade, em respeito a outros valores igualmente importantes e protegidos pelo texto constitucional, quais sejam, a dignidade da pessoa humana, a intimidade, a vida privada e, sobretudo, a honra e a imagem, que, uma vez expostas de forma vexatória, reclamam a devida reparação", ponderou o relator.
Por outro lado, o magistrado considerou que o valor fixado na sentença proferida pelo juízo da 44ª Vara Cível de São Paulo, de R$ 70 mil, comportava redução para R$ 50 mil. De acordo com o desembargador, o montante compensa 'os transtornos e constrangimentos' suportados por Alexandre, uma vez que Otoni de Paula teria 'atendido prontamente comando judicial retirando os vídeos questionados das mídias sociais'.
Bolsonarista de primeira hora, Otoni de Paula foi recentemente alvo de mandado de busca e apreensão expedido por Alexandre de Moraes, a pedido da Procuradoria-Geral da República. Ele e outros aliados do presidente são investigados por suspeita de articular atos violentos contra o Congresso e o STF.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Silva e Luna: nem toda mudança de preço de combustível tem relação com Petrobras

ECONOMIA
12:18 | Set. 14, 2021
Autor Agência Estado
Foto do autor
Agência Estado Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia
O presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna, disse nesta terça-feira, 14, que nem todas as alterações de preços de combustíveis têm relação direta com atuações da estatal. "Quando há flutuação dos preços, não quer dizer que a Petrobras teve alguma atuação sobre o preço", afirmou, durante um debate sobre a situação da operação das usinas térmicas, o preço dos combustíveis e outros assuntos relacionados à empresa no plenário da Câmara dos Deputados.
Segundo ele, a parte que corresponde à estatal é de aproximadamente R$ 2, considerando um preço de R$ 6. "O que impacta é o ICMS e outros impostos federais, como PIS e Cofins", comentou.
No governo Michel Temer, a Petrobras alterou a sua política de preços de combustíveis para seguir a paridade com o mercado internacional. Ou seja, os preços de venda dos combustíveis praticados pela estatal passaram a seguir o valor do petróleo no mercado internacional e a variação cambial. Dessa forma, uma cotação mais elevada da commodity e uma desvalorização do real têm potencial para contribuir com uma alta de preços no Brasil.
A formação do preço dos combustíveis é composta pelo preço cobrado pela Petrobras nas refinarias (a maior margem), mais tributos federais (PIS/Pasep, Cofins e Cide) e estadual (ICMS), além do custo de distribuição e revenda. Há ainda o custo do etanol anidro na gasolina, e o diesel tem a incidência do biodiesel.
Bolsonaro já reclamou publicamente da alta dos preços e tirou Roberto Castelo Branco do comando da estatal no início deste ano. Ele foi substituído por Silva e Luna.
Em algumas cidades do País, o preço do litro da gasolina já passa dos R$ 7 - e se transformou num dos vilões da inflação deste ano, responsável por afetar duramente o orçamento das famílias brasileiras.
Os preços cobrados nas bombas viraram motivo de embate entre o presidente e os governadores. Bolsonaro tem cobrado publicamente que os estados reduzam o ICMS, imposto estadual, para que, dessa forma, os preços da gasolina e do diesel recuem.
Na noite de segunda-feira, 13, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), criticou a gestão da Petrobras, causando forte reação nos papéis da petroleira em Nova York. A mensagem foi publicada no Twitter após a Casa confirmar que o presidente da estatal participaria do debate. "Tudo caro: gasolina, diesel, gás de cozinha. O que a Petrobras tem a ver com isso? Amanhã [hoje], a partir das 9h, o plenário vira Comissão Geral para questionar o peso dos preços da empresa no bolso de todos nós. A Petrobras deve ser lembrada: os brasileiros são seus acionistas", escreveu o presidente da Câmara.
Após as declarações do presidente da Câmara, o ADR da Petrobras em Nova York mergulhou mais de 2% na sessão estendida. Depois de certa oscilação, o papel encerrou o pregão extra da segunda-feira em US$ 10,19, baixa de 1,16%.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Queiroga prevê fim da obrigatoriedade de máscara ao ar livre em novembro

COVID-19
12:16 | Set. 14, 2021
Autor Angélica Feitosa
Foto do autor
Angélica Feitosa Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A previsão do titular do Ministério da Saúde, Marcelo Queiroga, para o fim da obrigatoriedade do uso de máscara no País é a partir de novembro deste ano. Queiroga, tem feito, nos bastidores, previsão mais exata de quando o governo federal poderá “recomendar” o fim do uso obrigatório de máscaras em lugares abertos no Brasil.

Em conversas com interlocutores, Queiroga arquiteta que, se os números da Covid-19 no País continuarem caindo, o Ministério vai poder orientar o fim da obrigatoriedade do uso de máscaras ao ar livre a partir de novembro deste ano. As informações são do jornal Metrópole.

LEIA MAIS| Marcelo Queiroga nega saída do Ministério da Saúde

Nessa segunda-feira, 13, a média móvel de casos de Covid-19 no Brasil foi de 15.336. É o menor número desde 20 de maio de 2020, quando o indicador registrou 14.647 infecções, em média.

Nos bastidores, o titular da Saúde ressalta ser pessoalmente favorável ao uso do equipamento de proteção. Ele pondera, no entanto, ser contra tornar a medida obrigatória por meio de lei.

Queiroga tem sido pressionado pelo presidente Jair Bolsonaro. Na segunda-feira, 13, o ministro recebeu do chefe do executivo uma mensagem de WhatsApp com a notícia de que Portugal liberou o uso de máscaras nas ruas (Com informações do portal Metrópoles).

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Petrobras pagou tributos e dividendos, a melhor maneira de contribuir para o Brasil, diz presidente da empresa sobre combustíveis

ECONOMIA
12:09 | Set. 14, 2021
Autor Beatriz Cavalcante
Foto do autor
Beatriz Cavalcante Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna, afirmou que a estatal é uma empresa forte e atenta às demandas e necessidade da sociedade brasileira. Segundo ele, a melhor forma de a estatal contribuir ao Brasil é pagando tributos e dividendos. "Combustível mais caro do mundo é aquele que não existe, por isso nosso esforço para que não falte combustível", complementou.

Joaquim frisa que o sistema de governança corporativa da empresa garante transparência e a melhoria dos investimentos.

Luna participa neste momento de comissão geral no Plenário da Câmara dos Deputados para debater a situação da operação das termelétricas, o preço dos combustíveis e outros assuntos relacionados à empresa.

Assista ao debate ao vivo

“A Petrobras Pagou R$ 533 bilhões de tributos e R$ 20 bilhões de dividendos, o que caracteriza a melhor maneira que a Petrobras contribui para o Brasil. Faz investimentos selecionados e tem uma forte governança para evitar qualquer desvio. A empresa soma com foco naquilo que ela faz de melhor. Só uma empresa forte pode fazer isso”, afirmou.

Silva e Luna destacou que, em relação ao preço da gasolina, uma parte desse valor é para cobrir os custos de produção, investimentos e juros da dívida, e outra parte corresponde ao pagamento de impostos.

“Qualquer termo dessa equação que é modificada, gera uma volatilidade no preço dos combustíveis”, disse. Já em relação ao preço do gás de cozinha, Joaquim Silva e Luna explicou que sobre eles só incide impostos estaduais, pois os impostos federais foram zerados.

“Temos uma rigorosa governança: não tem espaço para aventura na empresa. A Petrobras triplicou a entrega de gás para operação das termoelétricas nos últimos 12 meses e contribui para este momento de crise energética”, afirmou. (Com Agência Câmara de Notícias)

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

AO VIVO: Petrobras esclarece na Câmara sobre combustíveis caros e uso de térmicas a carvão

ECONOMIA
11:58 | Set. 14, 2021
Autor Beatriz Cavalcante
Foto do autor
Beatriz Cavalcante Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna, esclarece na Câmara dos Deputados, nesta terça-feira, 14, o alto preço dos combustíveis e o uso maior de térmicas a carvão.

Ontem, segunda-feira, 13, Arthur Lira (PP-AL), presidente da Casa publicou: "Tudo caro: gasolina, diesel, gás de cozinha. O que a Petrobras tem a ver com isso? Amanhã, a partir das 9h, o plenário vira Comissão Geral para questionar o peso dos preços da empresa no bolso de todos nós. A Petrobras deve ser lembrada: os brasileiros são seus acionistas".

Veja debate ao vivo:

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags