Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Após incêndio no prédio do TJ-CE, Luiz Fux presta solidariedade e oferece apoio ao Judiciário Cearense

Presidente da suprema corte brasileira ofereceu ajuda em telefonema prestado à presidente do TJ-CE nesta segunda-feira, 6
23:59 | Set. 06, 2021
Autor Luciano Cesário
Foto do autor
Luciano Cesário Jornal
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Em um gesto de solidariedade, após o incêndio registrado no prédio do TJ-CE, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, que também preside o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), telefonou para a chefe do Poder Judiciário Cearense, Maria Nailde Pinheiro, no fim da tarde desta segunda-feira, 6, para oferecer suporte técnico e apoio operacional, caso seja necessário.

“O ministro Luiz Fux foi muito sensível a esse lamentável acontecimento e me disse que poderia contar com toda sua assistência. Também colocou-se à disposição para acompanhar a apuração do fato. Assegurei ao ministro Fux que o Poder Judiciário cearense continua trabalhando de forma remota. Importante trabalharmos agora na reconstrução das áreas afetadas em parte do prédio do Tribunal", agradeceu a presidente do TJCE.

LEIA MAIS  | Com prédio interditado por risco de desabamento, TJ-CE transfere parte das atividades para o Fórum Clóvis Beviláqua

Além da suprema corte, órgãos do Sistema de Justiça do Estado, como o Ministério Público (MPCE), Defensoria Pública e a Ordem dos Advogados do Brasil, Secção Ceará (OAB-CE), também manifestaram solidariedade ao TJCE.

Ainda emitiram mensagens apoio a Associação Cearense de Magistrados e Magistradas (ACM), Associação dos Procuradores e Procuradoras (APEGE), Associação dos Advogados e Advogadas do Ceará (AACE), Associação dos Defensores e Defensoras Públicos do Ceará (ADPEC), Sindicato dos Oficiais de Justiça (Sindojus) e Tribunal de Defesa de Prerrogativas e Valorização da Advocacia (TDF), além des procuradorias municipais em várias cidades do Estado.

Interdição

Após o incêndio, o prédio do TJ-CE foi interditado por tempo indeterminado pela Defesa Civil de Fortaleza (DCF), que apontou risco de desabamento em decorrência dos danos causados pelo fogo. O órgão deve avaliar a segurança da estrutura por meio de uma vistoria técnica, que deve ser realizada após a conclusão do serviço de rescaldo, pelo Corpo de Bombeiros Militar, na tarde desta terça-feira, 7. "A vistoria só será realizada após a liberação do Corpo de Bombeiros, mas o prédio já foi interditado por conta dos danos estruturais visualizados a olho nu", informou a DCF.

Causas

A apuração das circunstâncias e causas do incêndio será conduzida pelo 26º Distrito Policial, que instaurou procedimento investigativo ainda nesta segunda-feira, 6, segundo informou a Polícia Civil do Ceará (PC-CE) em nota enviada ao O POVO. Ainda de acordo com o órgão, agentes do Núcleo de Perícia em Engenharia Legal e Meio Ambiente (Nupelm), da Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce), já trabalham na investigação sobre a origem das chamas.

“Nesse primeiro momento, realizou-se exames cujos levantamentos concentraram-se na parte externa, por meio da coleta de dados e obtenção de imagens, inclusive com uso de drone. Uma vez que o Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Ceará (CBMCE) continua no local realizando trabalho de rescaldo, quando for possível, a Pefoce voltará ao prédio para dar continuidade aos levantamentos periciais que auxiliarão na investigação acerca das causas e circunstâncias do incêndio”, diz trecho da nota.


Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Com prédio interditado por risco de desabamento, TJCE transfere parte das atividades para o Fórum Clóvis Beviláqua

Fortaleza
23:33 | Set. 06, 2021
Autor Luciano Cesário
Foto do autor
Luciano Cesário Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Após o incêndio que atingiu o prédio do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE) na madrugada desta segunda-feira, 6, no Centro Administrativo do Cambeba, as atividades da presidência do órgão serão transferidas para o Fórum Clóvis Beviláqua, de forma provisória, a partir de quarta-feira, 8. Em virtude do incidente, as atividades administrativas presenciais foram suspensas por tempo indeterminado e passarão a funcionar de forma exclusivamente remota, segundo informou a presidente do Tribunal, Maria Nailde Pinheiro.

Ainda conforme a desembargadora, apesar das mudanças operacionais de última hora, o andamento dos processos judiciais não será prejudicado. “Mesmo com esse triste acontecimento, o trabalho do Judiciário não vai parar. Os setores atingidos pelo incêndio também passarão a atuar no Fórum ou em outras unidades da Justiça. O mais importante é garantir que a população continue sendo assistida sem prejuízos”, pontuou a chefe do Poder Judiciário Cearense. O incêndio, segundo ela, atingiu em maior proporção as salas dos setores administrativos, onde não havia processos físicos.

Em nota, o TJCE ressaltou que quase 100% do seu acervo processual encontra-se preservado em meios digitais, o que garantiria a disponibilidade dos documentos, mesmo se o incêndio tivesse provocado danos maiores. As chamas, de acordo com o Corpo de Bombeiros, atingiram pelo menos três andares na ala administrativa do prédio. No local, estavam apenas dois profissionais da segurança, que tiveram escoriações leves.

O fogo começou por volta das 4h10min, no almoxarifado, onde havia produtos com maior potencial inflamável, e rapidamente se alastrou para as outras áreas da estrutura. As chamas foram debeladas por completo às 13horas. A operação contou com a participação de 60 agentes do Corpo de Bombeiros. Parte do efetivo seguirá no local até a tarde desta quarta-feira, 7, para a execução do trabalho de rescaldo.

O governador Camilo Santana (PT) esteve no local do incêndio durante a manhão. "Vamos aguardar a perícia fazer a avaliação. Me coloquei à disposição para que a gente possa recuperar o mais rápido possível", conta sobre conversa com a presidente do TJCE, Naílde Pinheiro. 

O prédio foi interditado por tempo indeterminado pela Defesa Civil de Fortaleza (DCF), que apontou risco de desabamento em decorrência dos danos causados pelo fogo. O órgão deve avaliar a segurança da estrutura por meio de uma vistoria técnica, que deve ser realizada após a conclusão do rescaldo. "A vistoria só será realizada após a liberação do Corpo de Bombeiros, mas o prédio já foi interditado por conta dos danos estruturais visualizados a olho nu", informou a DCF.

Causas

A apuração das circunstâncias e causas do incêndio será conduzida pelo 26º Distrito Policial, que instaurou procedimento investigativo ainda nesta segunda-feira, 6, segundo informou a Polícia Civil do Ceará (PC-CE) em nota enviada ao O POVO. Ainda de acordo com o órgão, agentes do Núcleo de Perícia em Engenharia Legal e Meio Ambiente (Nupelm), da Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce), já trabalham na investigação sobre a origem das chamas.

“Nesse primeiro momento, realizou-se exames cujos levantamentos concentraram-se na parte externa, por meio da coleta de dados e obtenção de imagens, inclusive com uso de drone. Uma vez que o Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Ceará (CBMCE) continua no local realizando trabalho de rescaldo, quando for possível, a Pefoce voltará ao prédio para dar continuidade aos levantamentos periciais que auxiliarão na investigação acerca das causas e circunstâncias do incêndio”, diz trecho da nota.

Fux se solidariza e oferece apoio ao TJCE

Em um gesto de solidariedade, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, que também comanda o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), telefonou para a chefe do Poder Judiciário Cearense, no fim da tarde desta segunda-feira, para oferecer apoio técnico e operacional.

“O ministro Luiz Fux foi muito sensível a esse lamentável acontecimento e me disse que poderia contar com toda sua assistência. Também colocou-se à disposição para acompanhar a apuração do fato. Assegurei ao ministro Fux que o Poder Judiciário cearense continua trabalhando de forma remota. Importante trabalharmos agora na reconstrução das áreas afetadas em parte do prédio do Tribunal", agradeceu a presidente do TJCE.

Além da suprema corte, órgãos do Sistema de Justiça do Estado, como o Ministério Público (MPCE), Defensoria Pública e a Ordem dos Advogados do Brasil, Secção Ceará (OAB-CE), também manifestaram solidariedade ao TJCE.

Ainda emitiram mensagens apoio a Associação Cearense de Magistrados e Magistradas (ACM), Associação dos Procuradores e Procuradoras (APEGE), Associação dos Advogados e Advogadas do Ceará (AACE), Associação dos Defensores e Defensoras Públicos do Ceará (ADPEC), Sindicato dos Oficiais de Justiça (Sindojus) e Tribunal de Defesa de Prerrogativas e Valorização da Advocacia (TDF), além des procuradorias municipais em várias cidades do Estado.


Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Incêndio no TJCE: Defesa Civil está no local e avalia os danos ao prédio; veja vídeo

Sem vítimas
07:03 | Set. 06, 2021
Autor Redação O POVO
Foto do autor
Redação O POVO Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Atualizada às 10h40min

Um incêndio atingiu, na manhã desta segunda-feira, 6, a sede do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE). Localizado no bairro Cambeba, em Fortaleza, o órgão suspendeu o expediente presencial do dia (veja mais sobre o funcionamento do local abaixo). Ninguém ficou gravemente ferido.

Às 10 horas, o comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar do Ceará (CBMCE), Coronel Ronaldo Roque de Araújo, informou que a Defesa Civil está no local avaliando os danos causados à estrutura do prédio. "Estamos também entrando no prédio para avaliar possíveis causas", acrescenta. 

Segundo o TJCE, dois policiais que fazem a ronda noturna no Centro Administrativo tiveram apenas arranhões e não precisaram de atendimento médico. Desde as primeiras horas da manhã, a presidente do TJ, Naílde Pinheiro, está no local acompanhando as ações dos Bombeiros desde as 6h30.

O governador do Estado, Camilo Santana, chegou no local de helicóptero por volta das 8h30. Camilo acompanha o trabalho dos bombeiros no controle das chamas. No local estão também o presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará (Alec), Evandro Leitão, e os secretários da Segurança, Sandro Caron; e da Casa Civil, Chagas Vieira.

"O fogo ficou concentrado na recepção e no lado direito do prédio. Conseguimos fazer o trabalho preventivo para que não se expandisse a toda a estrutura", explica Coronel Ronaldo Roque de Araújo. "Criou maiores proporções porque é um ambiente que possui material combustível, papel, madeira, móveis, o que facilita a propagação do incêndio."

Araújo explica ainda que estrondos ouvidos no local se devem a expansão de ar nos compressores da central de ar-condicionado.

As chamas se iniciaram por volta das 4 horas no almoxarifado do prédio, no térreo, e atingiram até o segundo andar. No momento em que começou o incêndio, apenas profissionais que atuam na segurança do TJ estavam no local.

As causas do incêndio estão sendo investigadas e os danos serão avaliados pela Defesa Civil após as chamas serem debeladas completamente. Toda a área, que concentra o Centro Administrativo, está isolada.

A intensa fumaça causada pelo incêndio pode ser vista a partir de diversos bairros da Capital. 

Equipes do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar estão no local desde as 4h18min, quando bombeiros do Quartel de Messejana chegaram ao local. Sessenta bombeiros foram acionados para o combate das chamas os bombeiros. Foram empregados cinco caminhões Auto Bombas Tanques e Salvamento, três guarnições de busca e salvamento, duas ambulâncias de atendimento pré-hospitalar, um caminhão pipa e a escada mecânica Magirus M42L-AS, que possui cinco lances de escada.

Equipes da Polícia Militar do Ceará (PMCE) e da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer) da SSPDS foram acionadas para o local. A Enel também enviou equipes para o local a fim de interromper o provimento de energia elétrica e evitar outros danos.

Expediente suspenso

Devido ao incêndio, o TJCE suspendeu o expediente desta segunda-feira, 6. Outros órgãos públicos também adotaram a mesma decisão. Os servidores que chegam ao Centro Administrativo do Cambeba estão sendo orientados a voltar para casa e cumprirem suas atividades de forma remota.

A Defensoria Pública Geral do Estado do Ceará (DPCE) também decidiu adotar o teletrabalho e emitiu nota de solidariedade. Leia o comunicado:

"A Defensoria Pública Geral do Estado do Ceará (DPCE) lamenta o incêndio ocorrido nesta segunda-feira (6) na sede do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE), localizada no Centro Administrativo do Cambeba, em Fortaleza, e se solidariza com membros, servidores, estagiários e colaboradores da instituição.

A Defensoria se coloca à disposição do TJCE para auxiliar no que for preciso quanto à recuperação dos danos e reafirma total apoio à presidente do Tribunal, desembargadora Maria Nailde Pinheiro Nogueira, nesse momento delicado da história de uma instituição tão necessária ao sistema democrático."

  

Com informações dos repórteres Mônica Damasceno/ Rádio O POVO CBN e Gabriel Borges

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags