PUBLICIDADE
Ceará
NOTÍCIA

Absorventes íntimos devem ser distribuídos para estudantes a partir do segundo semestre

As entregas deverão acontecer com o início do próximo semestre letivo, previsto para agosto deste ano. A medida vai beneficiar cerca de 115 mil estudantes

23:26 | 14/07/2021
O projeto ainda precisa ser aprovado pela Assembleia (Foto: Mateus Dantas)
O projeto ainda precisa ser aprovado pela Assembleia (Foto: Mateus Dantas)

O Governo do Ceará deve começar a distribuir kits com absorventes íntimos para estudantes do ensino médio e superior a partir do segundo semestre de 2020. De acordo com Eliana Estrela, à frente da Secretaria da Educação do Estado do Ceará (Seduc), o objetivo é que os itens sejam entregues no início do próximo semestre letivo, previsto para agosto deste ano. O projeto foi assinado pelo governador Camilo Santana (PT) nessa terça-feira, 13, e deve contemplar, mensalmente, quase 115 mil estudantes.

LEIA MAIS | Projetos cearenses buscam reduzir os impactos da pobreza menstrual no Estado

Durante conversa para a rádio O POVO CBN, Eliana Estrela declarou que as aulas estaduais estão previstas para começar em agosto e devem se estender até dezembro, no formato híbrido. O projeto foi encaminhado à Assembleia Legislativa (AL) em caráter de urgência. A estimativa é que seja aprovado ainda nesta semana e início de vigência ainda neste mês. Segundo a Seduc, assim que o projeto for aprovado pela Assembleia, imediatamente o governo fará a licitação para o fornecimento.

A ideia partiu da primeira-dama do Estado, Onélia Santana. Segundo ela, o período menstrual pode influenciar, inclusive, nos índices de evasão escolar. “Nós identificamos através de vários estudos e indicadores de desistências escolares por falta de condições de ir até à escola por não ter absorvente. Além da higiene, [a medida influencia] também [em] um risco menor de adoecimento”, disse Onélia. De acordo com a primeira-dama, pessoas que necessitam dos absorventes priorizam, muitas vezes, sua própria alimentação em detrimento da saúde íntima.

LEIA MAIS | Lei que garante distribuição de absorventes a alunas é aprovada em SP

A higiene menstrual está diretamente relacionada à garantia da dignidade humana, já que a menstruação é um processo fisiológico natural e que indica saúde no funcionamento do corpo das mulheres. É também uma transição na vida de jovens que, ao passarem pelo seu primeiro ciclo menstrual, iniciam a sua produção hormonal cíclica que seguirá até a menopausa, marcando o início da vida reprodutiva.