PUBLICIDADE
Ceará
Noticia

Ceará ocupa 6º posição entre estados nordestinos que mais vacinaram grupos prioritários contra a gripe

Número reflete a baixa procura pela vacina contra a Influenza registrada em todo o País. Ministério da Saúde antecipou início da vacinação contra a gripe para a população na segunda, 5

Marília Freitas
13:14 | 06/07/2021
Neste ano, as campanhas de vacinação contra o coronavírus e contra a Influenza ocorrem simultaneamente (Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil)
Neste ano, as campanhas de vacinação contra o coronavírus e contra a Influenza ocorrem simultaneamente (Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil)

O Ceará ocupa a sexta posição entre os nove estados nordestinos com maior público prioritário vacinado contra a gripe. A porcentagem estadual de imunizados no Estado é de 38,9%, número que reflete a baixa adesão à vacina, enquanto a meta mínima pretendida pelo Ministério da Saúde (MS) é de 90% - índice não alcançado em nenhum estado brasileiro. Entre todos os 27 estados e o Distrito Federal, o Ceará ocupa a 17º posição na imunização contra a Influenza.

Segundo dos dados do órgão, de um total de 3,2 milhões de doses da vacina Influenza enviadas ao Ceará, 1,3 milhão delas foram aplicadas até segunda, 5. Quando comparado com os estados nordestinos, o Ceará fica atrás da Paraíba e de Sergipe: ambas as cidades com 49,90%, maior índice registrado no Nordeste. Em seguida, vem  Piauí (48,90%), Alagoas (44,80%) e Maranhão (43,40%).

Já o Ceará fica na frente, no ranking e vacinação contra a gripe dos grupos prioritários,  apenas de três estados: Bahia e Pernambuco, com o mesmo índice de 38,60%, e Rio Grande do Norte, com 2,20% de imunizados dos públicos prioritários. Os dados mostram que este número, inclusive, é o menor percentual de vacinação contra a influenza registrado na campanha de 2021.

Confira o ranking no Nordeste:

1. Paraíba (49,90%)
2. Sergipe (49,90%)
3. Piauí (48,90%)
4. Alagoas (44,80%)
5. Maranhão (43,40%)
6. Ceará (38,90%)
7. Bahia (38,60%)
8. Pernambuco (38,60%)
9. Rio Grande do Norte (2,20%)

Em Fortaleza, a meta era vacinar mais de 900 mil pessoas até a próxima sexta, 9, dia previsto para finalizar a terceira etapa da campanha. Entretanto, ciente da baixa cobertura vacinal em todo o Brasil, o MS decidiu antecipar o início da vacinação contra a gripe para a população geral nessa segunda, 5. 

Renata Dias, assessora técnica de imunização da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), confirma que a meta de vacinação dos grupos prioritários não foi atingida na Capital e relembra que a vacinação dos públicos continua em paralelo à vacinação da população geral. 

A assessora lamenta a baixa cobertura vacinal e reforça que a transmissão de outras patologias, como sarampo, rubéola e a própria H1N1, podem voltar a circular fortemente na Capital cearense caso a população não se vacine. "Pedimos que as pessoas procurem os postos de saúde, independentemente da sua idade, e confira quais vacinas estão contemplando. Além de levar as crianças, veja também seu próprio esquema vacinal".

A Secretaria da Saúde do Estado (Sesa) informou que a cobertura vacinal contra a gripe nos anos de 2020 e 2019 atingiu, respectivamente, 96,98% e 94,94% da meta de imunização. Segundo a orientadora da Célula de Imunização da Secretaria, Kelvia Maria Oliveira Borges, a baixa cobertura deve-se ao receio do contágio da Covid-19 ou falsas informações disseminadas pela internet.

Neste ano, as campanhas de vacinação contra o coronavírus e a Influenza ocorrem simultaneamente. A Sesa estabelece um intervalo de 14 dias, antes e depois, entre as doses das duas vacinas. Renata destaca uma informação importante aos imunizados contra a Covid-19 com a CoronaVac em Fortaleza. "Pedimos que as pessoas terminem as duas doses e, depois de 14 dias, procurem o posto para tomar a vacina da gripe", cita. Caso tenha sido imunizado com outras vacinas, como a Pfizer e AstraZeneca, podem tomar a dose após 14 dias da aplicação da primeira ou segunda dose.

Os grupos prioritários no Ceará

A primeira etapa da vacinação alcançou 62% da cobertura vacinal, segundo dados da Sesa. Direcionada às crianças de 6 meses a menores de 6 anos, gestantes, puérperas, povos indígenas e trabalhadores da saúde, a etapa seguiu do dia 12 de abril ao dia 12 de maio. Foram distribuídas 1.083.330 doses para este grupo. Destas, 672.868 foram aplicadas.

Na segunda etapa, entre os dias 11 de maio a 8 de junho, 43% da meta foi alcançada. O grupo incluiu idosos e professores dos ensinos básico e superior. Foram distribuídas 1.294.290 doses (100% da meta) e, destas, 565.715 foram aplicadas.

Na terceira etapa, prevista para encerrar na última sexta, 9, foram distribuídas 833.010 doses (93%) e aplicadas 66.652 doses. Integram os grupos prioritários: pessoas com comorbidades; com deficiência permanente; caminhoneiros; trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros urbano e de longo curso; trabalhadores portuários; forças de Segurança e Salvamento; Forças Armadas; funcionários do Sistema de Privação de Liberdade, população privada de liberdade e adolescentes e jovens sob medidas socioeducativas - totalizando 922.591 pessoas. 

Onde se vacinar em Fortaleza

Fortaleza dispõe de 116 postos de saúde com salas de vacinação disponíveis para vacina contra a Influenza. Confira aqui a lista de postos de saúde na Capital. As unidades funcionam de segunda a sexta-feira, das 8 às 17 horas. A população pode procurar os locais com documento oficial com foto e cartão do SUS. Não é necessário portar o cartão de vacinação para ter acesso à vacina.

A Sesa dispõe do Centro de Especialidades Pediátricas, que funciona entre às segundas e sextas-feiras, das 8 às 12 horas, e das 13 às 16 horas, na avenida Antônio Justa, 3113.

No fim de semana, dois postos de saúde imunizam contra a Influenza, das 8 às 16h30min:

- Paulo Marcelo: Rua Vinte e Cinco de Março, 607 - Centro 
- Messejana: Rua Coronel Guilherme Alencar, s/n - Messejana

Caso a pessoa tenha recebido a vacina da Covid-19, ela deve aguardar para receber a vacina da gripe respeitando o intervalo de, no mínimo, 14 dias, e vice-versa. A vacina contra a gripe protege contra três tipos de vírus: Influenza A (H1N1), H3N2 e Influenza B. A gripe H1N1 foi declarada como pandemia em 2009 pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e infectou mais de 70 países. Em 2010, a vacina contra o vírus foi incorporada à vacinação contra as outras influenzas, e o H1N1 circula hoje como uma influenza sazonal.