PUBLICIDADE
Ceará
NOTÍCIA

Estudantes e gestores se preocupam com eventual adiamento do Enem 2021

Datas ainda não foram divulgadas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Órgão garante que existe recursos para fazer a prova ainda neste ano

Lais Oliveira
17:29 | 14/05/2021
Rebeca Sales Mota, 17, sonha em cursar Direito no ensino superior com a nota do Enem.  (Foto: Acervo Pessoal)
Rebeca Sales Mota, 17, sonha em cursar Direito no ensino superior com a nota do Enem. (Foto: Acervo Pessoal)

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2021 ainda não tem data oficial para acontecer. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) informou nessa quinta-feira, 13, que finaliza o cronograma da prova e está “engajado” para que o exame seja realizado ainda neste ano. A autarquia também garantiu que existe orçamento para a prova. Estudantes e gestores escolares, no entanto, avaliam que a indefinição do cronograma até agora cria cenário de incerteza.

O Enem ocorre geralmente em outubro ou novembro e reúne milhares de estudantes em todo o Brasil. A prova é a principal porta de entrada para o ensino superior no País. A estudante Rebeca Sales Mota, 17, da Escola de Ensino Fundamental e Médio (EEFM) Dr. Gentil Barreira, em Fortaleza, opina que existe um descaso do governo com a educação evidenciado pela indefinição do cronograma do Enem 2021.

“O que nos causa insegurança, ansiedade e até desânimo para estudar. Nunca somos tratados como prioridade, como deveríamos ser”, acrescenta. Para Rebeca, as datas deveriam ser pensadas em conjunto com os estudantes e adaptadas de acordo com a realidade do momento. A aluna pretende ingressar no curso superior de Direito com a nota do Exame.

O professor Rodrigo Santaella, docente do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE) e integrante da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, avalia que há prejuízos diversos na falta de definição do cronograma do Enem. As repercussões vão desde o planejamento das escolas até a saúde emocional dos estudantes.

“Se fosse um adiamento planejado que envolvesse, por exemplo, a vacinação de quem vai fazer o Enem garantindo condições sanitárias para realização da prova, seria perfeito. Agora, um adiamento por questões orçamentárias é sem planejamento algum”, considera. O especialista também aponta a existência de um “elemento de incompetência” na gestão educacional no País, que repercute também na organização do Enem.

A estudante Sara Bella Bezerra Moreira, 16, cursa o terceiro ano do ensino médio na escola Escola Estadual de Educação Profissional (EEEP) Paulo VI, em Fortaleza. Ela conta que tem sido desafiador encontrar motivação para estudar.

Um possível adiamento do Enem significaria também adiar seus planos. “Sair do roteiro traz uma grande insegurança, além de sentir que o nosso esforço de estar estudando por tanto tempo em uma situação tão difícil não está sendo valorizado ou priorizado”, desabafa. Sara sonha em fazer o curso de escrita criativa no exterior. Algumas universidades estrangeiras aceitam a nota do Enem. 

Clique na imagem para abrir a galeria

  

Fábio de Castro, 18, aluno do Colégio Christus, também se diz preocupado e ansioso com a possibilidade de um possível adiamento do Enem 2021. “Acho que o maior impacto é o atraso dos processos seletivos. Afeta muita coisa”, comenta. O estudante se prepara para cursar Medicina e dedica a maior parte da rotina aos estudos.

Nas edições anteriores, a data do Enem foi confirmada no início do ano e as inscrições já estavam abertas em maio. Em 2019, por exemplo, a data do exame foi anunciada em fevereiro e as inscrições foram abertas no dia 6 de maio. Em 2018, o anúncio da data da prova ocorreu em janeiro, com inscrições também no mês de maio.

Este ano, porém, só foi publicado até agora um edital para pedidos de isenção da taxa de inscrição. O Enem 2020 foi adiado para janeiro deste ano por causa da pandemia da Covid-19. A prova teve abstenção recorde e falhas logísticas. (com informações da Agência Estado)

Escolas avaliam impactos no planejamento

Enquanto os estudantes se preparam para a prova ainda sem data, gestores escolares observam com preocupação a indefinição do cronograma do Enem 2021. Matheus Leitão, diretor executivo do Colégio Master, explica que existe todo um planejamento pedagógico elaborado que envolve alunos e professores na preparação para a prova.

“A partir do momento que não temos [datas definidas], isso prejudica a nossa organização. O ideal é que as datas sejam cumpridas de acordo com o que é feito todos os anos. O adiamento consiste num replanejamento das atividades como um todo”, pondera.

Edmilson Gomes é coordenador da Escola de Ensino Médio em Tempo Integral (EEMTI) Professor Plácido Aderaldo Castelo, no bairro Conjunto Ceará. Ele ressalta a importância e o significado da prova para os alunos, que acabam sendo impactados por sentimentos de apreensão e ansiedade.

“Caso ocorra um adiamento do Enem, aguardaremos as orientações da Secretaria de Educação para, em conjunto com docentes e discentes, definirmos a adaptação do calendário escolar a uma nova realidade, infelizmente, ainda indefinida”, projeta. Para ajudar os estudantes a lidar com essa incerteza, o coordenador explica que há um trabalho para oportunizar aos discentes a melhor preparação cognitiva e emocional.

Questionada sobre eventuais prejuízos ao cronograma escolar de um adiamento do Enem 2021, a Secretaria da Educação do Ceará (Seduc) informou apenas que ainda não recebeu ofício sobre mudança de data para aplicação da prova. “Dessa forma, logo que seja feita a comunicação oficial, a instituição poderá se manifestar a respeito”, completou em nota ao O POVO.

O Conselho Estadual de Educação do Ceará (CEE) deve realizar uma reunião na próxima quarta-feira, 19, para discutir o eventual adiamento do Enem 2021. Um posicionamento conjunto sobre o tema só será divulgado após deliberação entre o grupo de conselheiros.

Acesse a cobertura completa do Coronavírus >


Inep garante orçamento e tenta realizar a prova neste ano

Em nota divulgada nessa quinta-feira, 13, o Inep disse que está concluindo o planejamento e a elaboração do cronograma de aplicação do Enem 2021. O órgão vinculado ao MEC também informou que está "engajado" para que as provas sejam realizadas ainda neste ano. "Todas as informações sobre o exame serão publicadas nos editais, assim que houver as definições necessárias", afirma o Inep.

Na portaria nº 196, publicada pelo Instituto no Diário Oficial da União (DOU) de quarta-feira, 12, consta que seriam feitos "planejamento e preparação técnica" do Exame. A aplicação, no entanto, não está prevista entre as metas do órgão para o ano. A reportagem questionou o Inep sobre a previsão para divulgação do cronograma oficial do Enem, mas a pasta retornou com a mesma nota já divulgada. 

Confira na íntegra a nota do Inep divulgada na quinta-feira, 13:

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) reafirma que está concluindo o processo de planejamento e elaboração do cronograma de aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2021 e engajado para que as provas sejam realizadas ainda neste ano. Para tanto, a Autarquia busca excelência no processo de planejamento, com o intuito de atender a todos os requisitos sanitários e garantir uma aplicação segura a todos os envolvidos, desde sua elaboração. O Instituto reafirma, ainda, que tem orçamento suficiente para realizar o Enem 2021 e que tentar antecipar a divulgação da data de realização do exame com base em documentos preparatórios é desinformar a população.

O objetivo do Inep é garantir o acesso de estudantes à educação superior, por meio do acesso a programas e políticas que dependem dos resultados das provas. Todas as informações sobre o exame serão publicadas nos editais, assim que houver as definições necessárias. Não há, ainda, confirmação sobre a data de realização das etapas, com exceção do período para solicitação de isenção e justificativa de ausência. Esta fase está prevista em edital publicado separadamente, para facilitar a compreensão das regras específicas de gratuidade e evitar que haja problemas na homologação da inscrição dos interessados em realizar as provas.