PUBLICIDADE
Ceará
NOTÍCIA

Duas comunidades quilombolas de Aracati reivindicam vacinação contra a Covid-19

De acordo com representante da Coordenação Nacional de Articulação de Quilombos no Ceará, o prefeito não reconhece os dois territórios quilombolas localizados no município que ainda não iniciaram a imunização

14:55 | 27/04/2021
Vacinação nas comunidades quilombolas integra a 2ª fase do Programa Nacional de Imunização (PNI), (Foto: Divulgação/Sesa)
Vacinação nas comunidades quilombolas integra a 2ª fase do Programa Nacional de Imunização (PNI), (Foto: Divulgação/Sesa)

As comunidades quilombolas do Cumbe e do Córrego de Ubaranas, localizadas no município de Aracati, à 145 km da Capital, não iniciaram o processo de vacinação contra o coronavírus. De acordo com a liderança da Coordenação Nacional de Articulação de Quilombos no Ceará (Conaq), Isabel Cristina, a Prefeitura não reconhece os territórios quilombolas do Município e por isso não iniciou o processo de imunização dessa população nas duas comunidades. As 30.456 doses destinadas a essa população já foram distribuídas aos 42 municípios que possuem comunidades quilombolas no Estado, que iniciou a imunização desse grupo no dia 29 de março.   

As comunidades em questão são reconhecidas pela Coordenação das Comunidades Quilombolas do Ceará (Cerquice), pela Conaq e pela Fundação Cultural Palmares (FCP), tendo assim o aval necessário para receberem o imunizante como prioridade na segunda fase do Plano Nacional de Imunização (PNI). A comunidade quilombola do Cumbe foi reconhecida pela FCP em 2014 e a do Córrego de Ubaranas em 2010. Em 2016, os territórios possuíam 35 e 46 famílias, respectivamente. As informações do IntegraSus mostram que foram realizados 27 cadastros para vacinação da população quilombola em Aracati.

"Como é que o prefeito vem dizer que não reconhece essas comunidades mediante um plano de vacinação nacional?", questiona Cristina. 

O POVO entrou em contato com a Assessoria da Casa Civil de Aracati, que encaminhou o contato da Secretária de Saúde, Andressa Guedes. Por telefone, a secretária afirmou apenas que "a vacinação de todos os quilombolas que se incluem no critério já foi feita".