PUBLICIDADE
Ceará
Noticia

Padrasto suspeito de estuprar enteada no Ceará é preso em Minas após 9 anos

De acordo com a Polícia Civil, o homem foi encaminhado para unidade prisional do Ceará. Para quem comete esse tipo de crime, a pena é de oito a 15 anos de prisão

14:32 | 15/01/2021

Um homem de 58 anos foi preso na tarde dessa quinta-feira, 14, na cidade de Juiz de Fora, Minas Gerais. O suspeito é procurado pelo crime de estupro contra a enteada no município de Jaguaruana, a 189 quilômetros de Fortaleza, no ano de 2011, há nove anos atrás. A prisão ocorreu por meio de uma ação conjunta entre a Polícia Civil de Minas Gerais e a Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE). A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) do Ceará não informou o nome do preso.

Conforme investigações policiais, o suspeito teria aproveitado a proximidade com a enteada, na época com 13 anos, para cometer o crime. Após o caso, o homem teria fugido para outra cidade com intuito de não ser encontrado pelas autoridades cearenses.

Leia Também | Foragido acusado de envolvimento em 200 assassinatos na Bahia é preso em Iguatu, no Ceará

A operação de investigação para captura do foragido aconteceu por meio de trocas de informações entre as Polícias Civis do Ceará e de Minas Gerais. A captura foi efetivada cumprido um mandado de prisão preventiva, expedido pela Justiça da Comarca de Jaguaruana, que estava aberto pelo crime de estupro de vulnerável.

De acordo com a Polícia Civil do Ceará, o homem foi encaminhado para uma unidade prisional do Estado. Para quem comete esse tipo de crime, estupro contra vulnerável, a pena é de oito a 15 anos de prisão, em regime fechado.

Leia Também | Preso homem apontado como responsável por matar gestante e queimar cadáver

A polícia ressalta que a população pode ajudar as autoridades policiais por meio de denúncias repassando informações que possam auxiliar os trabalhos policiais. Neste caso, as denúncias podem ser feitas para o número (88) 3411 8567, da Delegacia Regional de Russas, ou ainda para o número (85) 98616-6688, que é o WhatsApp da unidade policial, por onde podem ser feitas denúncias via mensagem. Segundo o órgão, o sigilo e o anonimato são garantidos.