PUBLICIDADE
Ceará
NOTÍCIA

Empresário acusado de tentar matar ex-mulher se entrega à Justiça 21 anos após o crime

Marcelo Fontenele Maia atirou contra a cabeça de ex-mulher em dezembro de 1998

16:38 | 15/09/2019
Caso Roberta Carneiro - julgamento de Marcelo Fontenele Maia, ele é acusado da tentativa de homicídio contra a ex-companheira Roberta Viana Carneiro à nove anos, na 3ª Vara do Júri do Fórum Clóvis Beviláqua
Foto: Sebastião Bisneto, em 13/12/2007
Caso Roberta Carneiro - julgamento de Marcelo Fontenele Maia, ele é acusado da tentativa de homicídio contra a ex-companheira Roberta Viana Carneiro à nove anos, na 3ª Vara do Júri do Fórum Clóvis Beviláqua Foto: Sebastião Bisneto, em 13/12/2007(Foto: O POVO)

O empresário cearense Marcelo Fontenele Maia, acusado de tentar matar a ex-mulher, Roberta Viana Carneiro, se entregou à Justiça na última sexta-feira, 13, 21 anos após o crime. O mandado de prisão condenatória foi deferido no último 6 de setembro, uma vez que não havia mais a possibilidade de recursos da decisão, emitida pela 3ª Vara do Júri.

Em dezembro de 1998, Marcelo atirou na cabeça de Roberta no apartamento em que viviam com três filhas da vítima. O empresário foi denunciado e condenado a oito anos em regime semiaberto por tentativa de homicídio duplamente qualificado, em 2007

Na época, ele reconheceu que atirou em Roberta motivado “pela emoção, sem a intenção de matar, tanto que chegou a socorrer a vítima”. Julgado e condenado pela tentativa de homicídio duplamente qualificado, ele ficou preso seis meses até obter habeas corpus para aguardar julgamento de recurso em liberdade, em 30 de janeiro de 2008.

Ele chegou a ser preso em 16 de julho de 2010, mas foi solto onze horas depois, com base em recurso que tramitava no Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Marcelo Fontenele Maia chegou inclusive a ser considerado foragido em 2016, quando aguardava em liberdade o julgamento de um recurso. Em 2017, a justiça havia determinado a prisão de empresário, sendo o quarto mandado de prisão expedido contra o réu.

Roberta Viana Carneiro sobreviveu à tentativa de assassinato, mas, desde que foi baleada, sofre de problemas psicológicos e físicos, tendo perdido cerca de 80% da visão e se submetido a várias cirurgias ao longos dos anos para voltar a andar, além de reposição craniana.