PUBLICIDADE
Brasil
NOTÍCIA

Equipe médica afirma que Bolsonaro permanecerá internado em tratamento clínico

Em nota, o hospital informou que o presidente já realizou exames clínicos, laborais e de imagem. Até o momento, não será necessário intervenção cirúrgica

23:18 | 14/07/2021
PERFIL do presidente nas redes divulgou, com críticas a opositores, foto dele em cama de hospital (Foto: Reprodução/Twitter)
PERFIL do presidente nas redes divulgou, com críticas a opositores, foto dele em cama de hospital (Foto: Reprodução/Twitter)

De acordo com nota emitida pela equipe médica que cuida de Jair Bolsonaro (sem partido), o presidente vai permanecer em “tratamento clínico conservador”, a princípio, sem a necessidade de cirurgia. Bolsonaro deu entrada na noite desta quarta-feira, 14, no hospital Vila Nova Star, em São Paulo, com diagnóstico de obstrução intestinal. Ele foi encaminhado para a Unidade de Terapia Intensiva e chegou a ser entubado como medida de precaução.

Segundo a nota do hospital, Bolsonaro já teria feito “avaliações clínicas, laboratoriais e de imagem”. Por conta da internação, toda a agenda que o presidente teria foi suspensa pelos próximos dias. Jair Bolsonaro foi transferido para a capital paulista após permanecer hospitalizado ao longo do dia no Hospital das Forças Armadas, em Brasília.

Em entrevista para a rádio Jovem Pan, o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), declarou que a internação do pai teve como intuito evitar a broncoaspiração de líquido vindo do estômago. “Ele foi submetido a uma endoscopia. Foi constatado um entupimento no intestino. Foi para uma unidade de tratamento intensivo para ficar em observação com cuidados melhores”, afirmou.

Também à rádio Jovem Pan, o médico Antônio Luiz Macedo, responsável por operar o presidente após facada durante campanha eleitoral em 2018, declarou que em várias situações casos de obstrução intestinal podem ser revestidos sem necessidade de intervenção cirúrgica. “Se ele for operado, sempre vai ter um pós-operatório de uns cinco dias, uma semana, para ele se recuperar totalmente e voltar para o trabalho depois de uns 10, 15 dias. Se ele não for operado, a recuperação deve ser mais simples e mais tranquila.”, explicou.

Segundo Flávio, desde o último fim de semana, Bolsonaro apresenta soluços recorrentes e, inclusive, foi hospitalizado. “Não estava conseguindo dormir bem, muita apneia. Ficou em observação, fez alguns exames, estava tudo bem. Voltou para casa no domingo, fizemos até um almoço para recebê-lo”, disse.