PUBLICIDADE
Brasil
NOTÍCIA

Homem branco é preso suspeito de furtar bicicleta de casal que acusou jovem negro

O suspeito, conhecido como "Lorão", tinha 28 passagens na polícia por diversos crimes e foi preso sete vezes

15:11 | 17/06/2021
As imagens de segurança ajudaram a inteligência da delegacia a encontrarem o suspeito  (Foto: Reprodução/O Globo e G1)
As imagens de segurança ajudaram a inteligência da delegacia a encontrarem o suspeito (Foto: Reprodução/O Globo e G1)

Um homem de 22 anos, identificado como Igor Martins Pinheiro, foi preso preventivamente por agentes da 14ª Departamento Policial no Leblon, Rio de Janeiro, suspeito de furtar a bicicleta elétrica que motivou a abordagem de um casal branco ao instrutor de surfe Matheus Nunes Ribeiro.

O jovem negro foi abordado na saída de um shopping na região e acusado pelo casal, Mariana Spinelli e Tomás Oliveira, de ter furtado a bicicleta. O transporte elétrico em que Matheus estava pertencia a ele, mas o instrutor precisou provar aos dois, com fotos antigas, que era realmente o dono da bicicleta.

Segundo a Polícia Civil, Igor foi detido após ter sido reconhecido por um segurança do shopping que prestou depoimento na delegacia. Imagens de câmeras de segurança também ajudam no caso. As informações são do G1. Também conhecido como "Lorão", que é branco, já foi preso por outros furtos, como em 2018.

Ao O Globo, a delegada Natacha Alves de Oliveira, titular da 14ª DP, informou que na casa do suspeito no bairro Botafogo, na Zona Sul da cidade, além da bermuda que ele usava no momento do furto, foram encontradas ferramentas para a prática do crime, como alicate de corte usado para romper cadeados. O homem já tinha 28 passagens na polícia por diversos crimes e foi preso sete vezes.

LEIA MAIS"Se eu fosse branco não seria abordado de tal forma", diz jovem negro acusado de roubar bicicleta

Entenda o caso


No sábado, 12, Dia dos Namorados, o instrutor de surfe Matheus Nunes Ribeiro esperava a namorada do lado de fora de um shopping no Leblon. Ele foi abordado pelo casal que o acusava de furtar uma bicicleta elétrica, pertencente à mulher. A dupla afirmava que tinha sido roubada há poucos minutos e continou a insistir na abordagem, como mostram as imagens registradas por Matheus.

“Você pegou essa bicicleta ali agora, não foi?”, perguntou a jovem. Mesmo após o jovem negar, ela continuou: “É sim, essa bicicleta é minha”. Matheus teve que mostrar a chave do equipamento e chegou a mostrar fotos antigas dele no veículo elétrico, mas não adiantou. Sem a permissão do proprietário, Tomás retirou a trava de segurança da bicicleta do instrutor e testou a chave que portava, se convencendo que a bicicleta não era roubada.

Em um desabafo nas redes sociais, o Matheus compartilhou os vídeos e afirmou que estava “sem clima de amor”. "E pra você, que é 'pretin' igual eu, seja cuidadoso ao andar em lugares assim. Eles vão te culpar, pra depois verem o que aconteceu", disse o jovem.

Com a repercussão, o casal foi desligado de suas funções em seus respectivos trabalhos. A empresa onde Mariana trabalhava divulgou nota se solidarizando com Matheus pela "dor sofrida". "Mesmo que o gesto condenável não tenha ocorrido dentro de nosso espaço, esta é uma violência que todos temos que combater juntos", afirmou a Espaço Vibre no comunicado.

LEIA MAIS | Empresária negra é acusada em shopping de furtar peça de roupa que já pertencia a ela

Matheus prestou depoimento na 14ª DP no Leblon na terça-feira, 16. A delegacia também investiga o caso por calúnia, após o jovem negro prestar uma queixa sobre a abordagem do casal. Segundo ele, o caso foi um ato de racismo por parte do dupla. Na delegacia, segundo depoimento divulgado pelo O Globo, Mariana e Tomás negaram ter abordado o jovem em razão da cor da pele, mas sim em razão das bicicletas e os cadeados serem idênticos.