PUBLICIDADE
Brasil
Noticia

Amazonas pede para transferir 60 bebês prematuros que correm risco de ficar sem oxigênio

O estado vive situação de calamidade com disparada de casos de Covid-19 e falta abastecimento de oxigênio medicinal nos hospital da rede pública

12:41 | 15/01/2021
Manaus, capital do Amazonas, enfrenta escassez de suprimentos de oxigênio para pacientes com Covid-19 (Foto: Michael DANTAS / AFP)
Manaus, capital do Amazonas, enfrenta escassez de suprimentos de oxigênio para pacientes com Covid-19 (Foto: Michael DANTAS / AFP)

Com o sistema de saúde colapsado, o Estado do Amazonas avisou aos outros estados que precisa transferir pelo menos 60 bebês prematuros. Eles estão internados em Manaus e correm o risco de ficar sem oxigênio. As informações são da CNN Brasil. 

O Estado vive situação caótica com disparada de casos de Covid-19 e falta abastecimento de oxigênio medicinal nos hospital da rede pública. O pedido para que governadores chequem se há leitos de internação neonatal disponíveis foi feito na manhã desta sexta-feira, 15. O presidente do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e secretário de saúde do Maranhão, Carlos Lula, confirmou a informação à CNN.

Conforme ele, o Maranhão vai conseguir receber de cinco a dez bebês. A logística para viabilizar a transferência ainda não foi definida. Outros estados ainda verificam quantos prematuros conseguiriam receber.

O Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC), da Universidade Federal do Ceará (UFC), em Fortaleza, receberá quatro pacientes vindos de Manaus.