PUBLICIDADE
Brasil
NOTÍCIA

Corpos de deslizamento em Recife são enterrados nesta quarta; saiba quem são as vítimas

Apesar de não chover na hora do deslizamento, moradores afirmam que a tragédia foi causada por um cano que teria vazado água

21:33 | 25/12/2019
Emanuel Henrique de França, 25; Érika Virgínia Abade, 18; e Érick Júnior, 2 meses.
Emanuel Henrique de França, 25; Érika Virgínia Abade, 18; e Érick Júnior, 2 meses. (Foto: Reprodução/Jornal do Commercio/Acervo Pessoal)

A tragédia na Zona Norte de Recife contabiliza sete mortes até o momento. O deslizamento de uma barreira no Córrego do Morcego, bairro Dois Unidos, ainda deixou três feridos. Hoje foram enterradas seis vítimas. Saiba quem são:

Emanuel Henrique de França

O homem de 25 anos era casado com Érika Virginia, 18, também vítima do desabamento. Ambos são pais de Erick Junior, 2 meses, e estavam em casa na hora da fatalidade. Emanuel foi sepultada em Palmares, na Zona da Mata Sul de Pernambuco.

Érika Virginia Abade

Esposa de Emanuel, Érika tinha 18 anos e um filho de 2 meses chamado Érick. Érika foi sepultada em Palmares, na Zona da Mata Sul de Pernambuco.

Érick Junior

O bebê de 2 meses era filho de Emanuel Henrique de França e Érika Virginia Abade. O bebê estava em casa, junto dos pais, quando foi atingido pelo deslizamento da barreira. Érick Junior foi sepultado em Palmares, na Zona da Mata Sul de Pernambuco.

Lucimar Alves

Lucimar Alves tinha 50 anos e era a avó de Daffyne Kauane Alves, também morta no deslizamento. Ela foi sepultada no Cemitério de Santo Amaro, no Centro de Recife.

Daffyne Kauane Alves

Neta de Lucimar Alves, a garota tinha apenas 9 anos. Ela foi sepultada no Cemitério de Santo Amaro, no Centro de Recife.

Claudia Bezerra

Claudia tinha 47 anos e teve o corpo encontrado às 11h30min de terça-feira, 24. Ela foi sepultada no Cemitério de Santo Amaro, no Centro de Recife.

Lia de Oliveira, 45

Lia tinha 45 anos e teve o corpo encontrado às 11h30min de terça-feira, 24. Dos sete, Lia é a única que ainda não foi enterrada. Ela será sepultada no Maranhão.

O QUE CAUSOU O DESLIZAMENTO?

Apesar de não chover na hora do deslizamento, moradores afirmam que a tragédia foi causada por um cano que teria vazado água. Segundo o motorista de aplicativo Erivaldo Barbosa, a terra já teria cedida antes e atingido duas casas, em julho de 2000.

Apesar da afirmação, o engenheiro civiil Aprigio Trajano, afirma que não houve vazamento e que será feita uma vistoria na área para detectar o que ocasionou a fatalidade. "Há registros antigos de reclamação, que já foram sanados. Ontem e hoje não houve nenhum registro de vazamento", disse.

com informações do Jornal do Commercio e Agência Brasil