PUBLICIDADE
Brasil
NOTÍCIA

"Veículo não identificou que era da Polícia", diz cantora sobre ação da PM na Bahia

"Eles deram 38 tiros", diz a cantora. Na ação, a dançarina Gabriela Amorim, de 25 anos, morreu

13:03 | 06/07/2019

A vocalista da banda de forró Sala de Reboco, Joelma Rios, que também foi baleada na ação da Polícia Militar que terminou com a morte da dançarina Gabriela Amorim, 25 anos, na madrugada desta sexta-feira, 5, em Irecê, na Bahia, disse que o carro que iniciou a perseguição não sinalizou para que eles parassem.

"O veículo que iniciou a perseguição não identificou que era da polícia, não ligou sirene, não deu alerta para que a gente parasse, nada. Até porque a gente não cometeu nada ilícito. Mas ficamos com medo e mandamos o motorista fugir”, contou, ao Correio.

A versão é diferente da que foi apresentada pela Polícia Militar, que afirmou ter atirado após o grupo furar dois bloqueios policiais em Irecê, enquanto transitava em alta velocidade e na contramão.

Joelma disse que, em um determinado momento, eles pensaram que a perseguição tinha acabado. Mas, quando voltaram para a avenida que dá acesso à saída de Irecê, foram surpreendidos por policiais militares, dessa vez, em duas barreiras.

“Eles deram 38 tiros”, afirmou a cantora. “Saí desesperada gritando que éramos músicos, o sanfoneiro ficou com uma fratura exposta na perna. Foi uma atitude impensada e despreparada”, declarou.

Nessa sexta-feira, Joelma, que foi baleada nas nádegas, prestou depoimento à Polícia Civil. Segundo o delegado Almir Fernandes dos Santos, coordenador da 14ª Coordenadoria de Polícia do Interior (Corpin/Irecê), o caso é investigado como homicídio. Também nesta sexta, os policiais envolvidos na ação foram ouvidos.

Perseguição

Havia cinco pessoas na picape Hilux SW4 preta e com vidros escuros. Segundo a Polícia, por volta da 0h30min, o veículo seguia em direção perigosa em Irecê, no centro-Norte da Bahia, andando em alta velocidade e pela contramão. Isso teria levado a viatura a iniciar uma perseguição.

Os policiais desconfiaram que o veículo poderia ser de assaltantes de banco e, então, reforços foram chamados e mais duas viaturas montaram barreiras em dois pontos do centro da Cidade. Contudo, o motorista do veículo continuou com a direção perigosa, conforme a Polícia.

Na segunda barreira, os policiais resolveram atirar contra o carro, logo depois de o mesmo não parar. A picape era conduzida por Claudio Pereira Bastos, que foi preso em flagrante por direção perigosa e embriaguez ao volante.

De acordo com o delegado Almir Fernandes dos Santos, nas três viaturas estavam cerca de 10 policiais da Rondesp, unidade de rondas especiais da Polícia Militar da Bahia. Segundo ele, estima-se que tenham sido dados mais de 30 tiros. “Só a perícia para confirmar esse número”, disse o delegado, segundo o qual a dançarina Gabriela Amorim foi atingida com um tiro na coluna e morreu a caminho do Hospital Regional de Irecê. Ela era solteira e tinha um filho de 7 anos.

Bebidas

O delegado informou que, dentro do veículo, foram encontrados pelos PMs vários litros de bebidas alcoólicas, mas não havia drogas ilícitas ou armas. Todos os ocupantes do carro pertencem à banda cearense de forró Sala de Reboco, de Fortaleza.

Além da cantora Joelma Martins, foi baleado o sanfoneiro Eliedelson Possidônio Júnior, 32, que recebeu um tiro na perna. Ambos estão fora de perigo. A Polícia não informou a identidade da outra dançarina que estava no veículo.

O Comando de Policiamento Regional da Chapada (CPR) informou que foi instaurado “Inquérito Policial Militar (IPM) que vai apurar as circunstâncias da ocorrência registrada no município de Irecê.”

Gabriela Amorim: dançarina e estudante de Biomedicina foi socorrida, mas não resistiu
Gabriela Amorim: dançarina e estudante de Biomedicina foi socorrida, mas não resistiu (Foto: Arquivo pessoal)

A PM declarou que “houve uma abordagem a um veículo que trafegava na contramão, em alta velocidade. Imediatamente após o ocorrido, os PMs registraram a ocorrência na Delegacia de Irecê, onde foram ouvidos”.

Segundo informações da Companhia Independente de Policiamento Tático (CIPT)/ Rondesp Chapada, “uma guarnição da unidade flagrou o veículo Hilux trafegando na contramão e iniciou o acompanhamento ao perceber que o motorista permanecia com uma direção perigosa”.

“Foi pedido apoio ao 7º Batalhão e formado o primeiro bloqueio, na altura da Rua 1º de Janeiro. O condutor não respeitou o alerta de parada e um novo bloqueio foi estabelecido por equipes do 7º Batalhão, desta vez na Avenida Santos Lopes”, diz a nota.

A polícia diz que “mais uma vez o veículo não obedeceu à ordem de parada, manobrando perigosamente pelo acostamento e dando continuidade à fuga pelo centro da cidade, em alta velocidade, transitando pela contramão, expondo a risco os próprios ocupantes do carro, outros usuários da via e transeuntes”.

O comunicado oficial da Polícia Militar da Bahia relata que “após terem furado dois pontos ostensivos de bloqueio, houve disparo de arma de fogo e os PMs abordaram os ocupantes, momento em que foram constatados dois feridos”.

“Garrafas de bebidas alcoólicas foram encontradas no interior do automóvel. A guarnição imediatamente acionou o Samu que socorreu um homem, ferido na perna, e uma mulher, para o Hospital Geral de Irecê, onde a mulher não resistiu ao ferimento.

A Polícia Militar lamenta profundamente o falecimento de Gabriela Moura e reafirma o compromisso com a apuração dos fatos”, encerra o comunicado.

Mário Bittencourt, do Correio 24 horas

para a rede nordeste