PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

1.438 estabelecimentos foram fiscalizados no fim de semana de Carnaval

Em cumprimento ao decreto estadual que limita atividades no período, fiscalizações municipais e estaduais fizeram interdições, autuações e apreensões de paredões de som de sexta até domingo. Ações prosseguem até a Quarta-feira de Cinzas

Flávia Oliveira
19:17 | 15/02/2021
 Fiscalização no Centro de Fortaleza verificando cumprimento das medidas do novo decreto (Foto: Thais Mesquita/ O Povo)
Fiscalização no Centro de Fortaleza verificando cumprimento das medidas do novo decreto (Foto: Thais Mesquita/ O Povo)

O Governo do Ceará divulgou hoje, 15, o balanço da fiscalização realizada da última sexta-feira, 12, a domingo, 14, pelas equipes da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), por meio da Vigilância Sanitária, e da Polícia Militar. Foram visitados 1.387 estabelecimentos em todo o Ceará para verificar o cumprimento do decreto estadual que estabelece medidas para conter a disseminação da Covid-19 no Estado durante o período festivo. Dois estabelecimentos foram interditados, 12 autuados e 439 foram fechados temporariamente por descumprimento ao decreto.

Soma-se a esse número o balanço divulgado de manhã pela Agência de Fiscalização de Fortaleza (Agefis), que indicou a realização de 51 fiscalizações que resultaram em 13 autuações, 13 notificações, 19 interdições de estabelecimentos e cinco apreensões de paredões de som no mesmo período.

Locais com aglomerações registradas anteriormente, como o Largo da Mocinha, Gentilândia e a Praia dos Crush, tiveram a implementação de grades reforçadas no período. A titular da Agefis, Laura Jucá, as barracas de praia da Capital vêm obedecendo ao horário de funcionamento até as 15 horas, além de cumprirem o decreto municipal contra o coronavírus.

O governador Camilo Santana reforçou a necessidade de aplicar as medidas de prevenção. “Nesse momento precisamos colocar em prática ações de restrição e de isolamento social, por isso fizemos decretos – o atual e o de Carnaval, válido de 12 a 17 de fevereiro – para evitar as aglomerações e minimizar o efeito na economia do Estado. Nos preocupamos com o emprego, mas a prioridade é a vida das pessoas”, apontou.

As ações dos órgãos públicos municipais e estaduais prosseguem até a quarta-feira, 17, com o intuito de coibir desrespeitos ao decreto especial de Carnaval.