Participamos do

Nunca pare de sonhar

00:00 | Jan. 07, 2018
Autor O POVO
Foto do autor
O POVO Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia
[FOTO1]

As pessoas sonham, lutam para alcançar as metas que estabeleceram, insistem, caem, levantam, se reestruturam. Porém algumas pessoas, após conquistar algumas dessas metas, caem em um grande erro: param de sonhar. Gonzaguinha colocava nas letras de suas canções todo o seu idealismo político. Ele fazia da música um instrumento de manifestação do pensamento voltado para a necessidade da sociedade acordar e manter-se na luta em busca de melhores dias. “Nunca pare de sonhar” é bem nesse sentido, realçando a importância de sempre acreditar que podemos contribuir para a conquista de um mundo menos injusto e mais igualitário.


Alguns se dão por satisfeitos, após alcançarem seus objetivos mais importantes. É rotineiro ver pessoas ainda jovens, dizendo: “Eu já conquistei tudo que queria. Pronto, agora eu já posso morrer”. Provavelmente você já ouviu pessoas falando coisas parecidas, ou até mesmo, falando exatamente igual. O que acontece, para uma pessoa se dar por satisfeita e não esperar mais nada da vida? Se analisarmos por outro ângulo, nos vem outro questionamento: O que me motiva a querer viver? O que me move para nunca desistir? A resposta é: sonhar. Todos nós temos sonhos, dos mais simples aos mais ambiciosos, todos sonham. Temos diversos tipos de sonho, onde um simples sonho pode ser comprar um celular, uma roupa, um sapato; ou pode ser algo ambicioso, como a ideia de mudar o mundo para melhor, tentar fazer a diferença na vida das pessoas, recuperar a saúde, ser bem sucedido em sua carreira.


No verso “Ontem um menino que brincava falou/hoje é a semente do amanhã”, Gonzaguinha faz de um menino o intérprete da sua afirmação de que o futuro tem que ser preparado no presente. A semente que plantarmos na atualidade vai germinar e produzir resultados no amanhã. E só plantamos uma semente quando acreditamos que ela vai gerar frutos. É preciso, portanto, antes de tudo, motivação, garra e determinação. O problema é quando as pessoas desistem de sonhar! Sempre existe mais alguma coisa a se conquistar; podemos nos aprimorar cada vez mais, em todos os pilares de nossas vidas.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

 

Eu sou daqueles que não param de sonhar, não vivo em um mundo imaginário, mas nunca deixo de sonhar. Em “Nunca se entregue, nasça sempre com as manhãs/deixe a luz do sol brilhar no céu do seu olhar”, Gonzaguinha estimula todos a não renunciar aos projetos, não se acovardar, não desistir jamais. Fazer com que em cada nascer de um novo dia fosse renovada a esperança da vitória. Transmitir no olhar o brilho da confiança que teria efeito de ânimo aos que marchassem juntos na realização dos sonhos. Acreditar na vida, na capacidade individual para a peleja que se inspira numa vontade coletiva. Crer que estará por vir um tempo de glória, de vitórias, de paz social. Ter a convicção de que “podemos tudo”, querer é poder, avançar é uma ação própria dos bravos. Você, para ter motivação, precisa sonhar com algo pelo qual você lutará para conquistar. A vida sem sonhos, é como um filme sem roteiro, onde os atores não sabem o que falar e não sabem exatamente o que fazer. Por isso, nunca pare de sonhar!

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente