Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Lucão diz que o Brasil fez boa partida e valoriza a disputa pelo bronze em Tóquio

Após a partida, Lucão analisou o desempenho da equipe no confronto, apontando o terceiro set como decisivo para o resultado final
04:18 | Ago. 05, 2021
Autor - Gazeta Esportiva
Foto do autor
- Gazeta Esportiva Autor
Tipo Notícia

Nesta quinta-feira, o Brasil foi derrotado pelo Comitê Olímpico Russo na semifinal do vôlei masculino e ficará de fora da grande decisão da modalidade nos Jogos Olímpicos de Tóquio. Após a partida, Lucão analisou o desempenho da equipe no confronto, apontando o terceiro set como decisivo para o resultado final.

"Acho que a gente fez uma partida boa. Eles fizeram a reviravolta no terceiro set, que foi complicado. Você está lá em cima e cai uma pedra em você, é difícil de reverter isso. Mas a equipe começou bem no quarto set, começou lá em cima. A gente virou o set, conseguiu ficar na frente, mas eles começaram a ter confiança", disse Lucão à TV Globo.

"Eles cresceram e fizeram o que melhor sabem, sacaram forte e dificultaram a nossa virada de bola, foi o que aconteceu no final do terceiro e do quarto set. A gente sabia que é uma equipe pesada e que tem potência no saque, geralmente isso acontece quando você está confiante. A culpa foi nossa de colocá-los de volta no jogo. Depois, ficou difícil de controlar", completou.

+ Renan analisa "apagão" do Brasil no terceiro set da derrota para os russos no vôlei

Com a derrota, o Brasil interrompeu uma sequência de quatro finais seguidas no vôlei masculino em Jogos Olímpicos. O país foi ouro em 2004 (Atenas) e 2016 (no Rio), e prata em 2008 (Pequim) e 2012 (Londres). Apesar disso, Lucão valorizou a importância da disputa pelo bronze em Olimpíadas.

"Para ter as três cores em casa. A gente sempre quer chegar na final. Se for pegar o histórico da seleção masculina, a gente está sempre brigando entre os quatro. Durante todo esse tempo, se a gente ficou fora de três ou quatro pódios é muita coisa. Claro que bate uma tristeza quando acaba o jogo, a gente fica decepcionado, mas uma medalha olímpica é uma medalha olímpica, a gente não pode tirar esse valor", afirmou Lucão.

"Eu aprendi isso em Londres, quando perdi o ouro. Fiquei muito triste, mas depois de um tempo você reflete e percebe que ganhou uma medalha de prata. A gente sabe o quão difícil é para o Brasil levar uma medalha para lá, vai estar de excelente tamanho. A gente tem que botar uma pá de cal nesse jogo e esquecê-lo o mais rápido possível, porque virá outra pedreira na disputa pelo bronze", finalizou.

A disputa de bronze está marcada para o próximo sábado, às 01h30 (horário de Brasília). O Brasil terá pela frente o perdedor do confronto entre Argentina e França, que se enfrentam na manhã desta quarta.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Renan analisa "apagão" do Brasil no terceiro set da derrota para os russos no vôlei

04:13 | Ago. 05, 2021
Autor Gazeta Esportiva
Foto do autor
Gazeta Esportiva Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Nesta quinta-feira, o Brasil foi derrotado pelo Comitê Olímpico Russo na semifinal do vôlei masculino e ficará de fora da grande decisão da modalidade nos Jogos Olímpicos de Tóquio. O revés ficou marcado pelo terceiro set, no qual os brasileiros tinham uma vantagem de oito pontos no placar e permitiram que os russos virassem.

Após a partida, Renan dal Zotto analisou o jogo e deixou claro que o time brasileiro já pensa na disputa pelo bronze.

"A gente lamenta demais não sair daqui com uma vitória, a gente queria demais disputar uma final. Mas vamos olhar para frente, dar parabéns à equipe russa, porque jogou agressiva o tempo todo. A gente suportou por um bom tempo, mas, da metade para frente, não conseguimos mais imprimir um ritmo forte no saque, e eles jogaram com o passe na mão. É difícil de jogar com eles assim. A garotada está de parabéns, porque se entregou ao máximo. Agora, vamos pensar na medalha de bronze", afirmou à TV Globo.

Ao falar sobre o terceiro set, Renan destacou a importância da entrada Yaroslav Podlesnykh em um momento critico do confronto, que permitiu que os russos crescessem na partida.

"São coisas que acontecem no esporte, não é a primeira vez que a gente vê isso acontecer em Jogos Olímpicos, de travar às vezes em uma rede. Foi o que aconteceu, eles foram felizes com a entrada do número 1, todos os saques dele entraram, travou aquela rede. São coisas que, infelizmente, acontecem no esporte. Ficam os aprendizados, para que a gente encontre outras soluções em momentos delicados", disse Renan.

Com a derrota, o Brasil interrompeu uma sequência de quatro finais seguidas no vôlei masculino em Jogos Olímpicos. O país foi ouro em 2004 (Atenas) e 2016 (no Rio), e prata em 2008 (Pequim) e 2012 (Londres).

A disputa de bronze está marcada para o próximo sábado, às 01h30 (horário de Brasília). O Brasil terá pela frente o perdedor do confronto entre Argentina e França, que se enfrentam na manhã desta quarta.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

"Nobre guerreiro": Hebert Conceição agradece Olodum e mira ouro no boxe em Tóquio

04:06 | Ago. 05, 2021
Autor Lucas Mota
Foto do autor
Lucas Mota Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

"Nobre guerreiro negro de alma leve, nobre guerreiro negro lutador", é o trecho da música "Madiba", do Olodum, que embala o pugilista baiano Hebert Conceição a cada entrada para a luta na Olimpíada em Tóquio. Na madrugada desta quinta-feira, 5 (horário de Fortaleza), mais uma vez o brasileiro entrou ao som da canção para vencer o russo Gleb Sergejewitsch Bakschi na semifinal e garantir a disputa pela medalha de ouro na final do peso-médio.

"Queria agradecer a banda Olodum. Me deu muita energia positiva depois que escutou a música que entrei na luta. Estou muito feliz", comentou Hebert após a vitória na semifinal em entrevista ao canal SporTV.

+ Olimpíadas ao vivo: tempo real de resultado dos Jogos hoje, 4, e quinta

Hebert deu show dentro do ringue diante do oponente russo. Com esquiva em dia, ele desviou dos principais golpes do adversário e conectou socos contudentes para carimbar a vaga na final. Em 2019, o baiano tinha perdido para Gleb Sergejewitsch Bakschi na semifinal do Mundial.

"Que bom que reverti. Hoje, como sempre foi, eu nunca perdi uma revanche", comemorou o pugilista baiano.

Ele enfrentará o ucraniano Oleksandr Khyzhniak pela medalha de ouro na final em Tóquio. O duelo está previsto para a madrugada de sábado, 7, às 2h45min.

"Estou muito feliz com a minha classificação e performance. Acho que estou representando todos os brasileiros que ficaram na torcida, minha equipe, meus colegas e minha família. Vamos focar para buscar esse ouro", afirmou.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Boxe: Hebert Conceição vence russo e disputará o ouro na final em Tóquio

03:42 | Ago. 05, 2021
Autor Lucas Mota
Foto do autor
Lucas Mota Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O baiano Hebert Conceição teve atuação brilhante, com show de esquiva, para superar o russo Gleb Sergejewitsch Bakschi na semifinal da categoria peso-médio do boxe, na madrugada desta quinta-feira, 5. Com a vitória, o brasileiro avançou e enfrentará o ucraniano Oleksandr Khyzhniak pela medalha de ouro na Olimpíada de Tóquio.

+ Boxe: Bia Ferreira domina finlandesa e está na final da Olimpíada de Tóquio

Hebert venceu três adversários para chegar até a final olímpica no boxe. Na estreia, ele superou o chinês Tuoheta Erbieke. Nas quartas de final, o baiano venceu o cazaque Abilkhan Amankul antes de encarar o russo na semifinal.

A final entre Hebert Conceição e o ucraniano Oleksandr Khyzhniak está marcada para sábado, 7, às 2h45min (horário de Fortaleza).


Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Vôlei masculino: Brasil perde para Rússia e está fora da final na Olimpíada

Tóquio 2021
03:26 | Ago. 05, 2021
Autor Bemfica de Oliva
Foto do autor
Bemfica de Oliva Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O Brasil disputará a medalha de bronze no vôlei masculino, na Olimpíada de Tóquio. Por 3 sets a 1, a seleção perdeu para o Comitê Olímpico Russo e está fora da final da modalidade.

No primeiro set, o Brasil teve boa dominância, conseguindo chegar a sete pontos de vantagem duas vezes. O placar ficou em 25 a 18 para o Brasil.

A segunda rodada começou com reação dos adversários, que deixou o jogo mais agressivo: os russos também abriram sete pontos de vantagem em certa altura, mas o placar ficou apertado no final: 25-21, com desvantagem brasileira.

O terceiro tempo teve jogadas agressivas de ambos os lados, com o Brasil ficando em vantagem boa parte do set, chegando a 20-12. No final, a seleção do Comitê Olímpico Russo reverteu a distância e virou o jogo. O resultado foi de 26-24 para a Rússia.

O quarto set teve disputa ponto a ponto, mas os russos levaram a melhor. O placar ficou em 25-23 para o Comitê Olímpico Russo.

Brasil segue para a disputa do bronze no vôlei masculino

Com a derrota, o Brasil pega quem perder a partida França x Argentina, que acontece ainda nesta quinta-feira, 5, às 9 horas (horário de Brasília), na disputa pelo terceiro lugar. Ambas as seleções já enfrentaram o Brasil na fase de grupos do vôlei masculino, e ambas foram derrotadas.

O Comitê Olímpico Russo, por sua vez, disputará a final contra o vencedor da partida. A partida da medalha de bronze acontece no sábado à 1h30min (horário de Brasília), enquanto a final será no mesmo dia, às 9h15min (horário de Brasília).

OLIMPÍADAS DE TÓQUIO: CONFIRA AS ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

"Eu quero a dourada", diz Bia Ferreira, finalista no boxe feminino em Tóquio

03:18 | Ago. 05, 2021
Autor Lucas Mota
Foto do autor
Lucas Mota Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Bia Ferreira bateu a finlandesa Mira Potkonen e garantiu vaga na final da categoria peso-leve do boxe, na Olimpíada de Tóquio. A pugilista disputará a medalha de ouro contra a irlandesa Kellie Harrington no próximo domingo, 8. Após a classificação, a baiana comentou sobre o desejo pela medalha de ouro e comemorou o resultado positivo.

+ Olimpíadas ao vivo: tempo real de resultado dos Jogos hoje, 4, e quinta

"Eu quero a dourada. Vou brigar até o fim. Eu sou capaz. Consegui, acreditei e tive as melhores pessoas do meu lado para chegar até aqui. Vamos subir no pódio, ficar no lugar mais alto e escutar o nosso hino", disse Bia em entrevista ao canal SporTV.

 

Poucos minutos depois de derrotar a finlandesa Potkonen na semifinal, a brasileira mostrou o foco e a obsessão pelo lugar mais alto do pódio para fazer história no boxe feminino. "É acreditar e brigar até o fim. Vai ser difícil tirar ela (medalha de ouro) de mim. O foco é esse, imaginei o tempo todo e treinei o tempo todo."

A campanha de Bia em Tóquio tem três vitórias. Na estreia, ela venceu Wu Shih-yi, representante do Taipé Chinês. Nas quartas de final, a baiana superou a uzbeque Raykhona Kodirova antes de enfrentar a finlandesa.

A baiana é campeã mundial na categoria leve (60kg), lidera o ranking internacional e é a grande favorita na modalidade.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags