Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Olimpíada de Tóquio: Isaquias e Jacky vencem quartas de final da canoagem

Dupla brasileira ficou em primeiro lugar na bateria, na classe C-2 Sprint de 1.000 metros; Isaquias e Jacky garantem lugar na semifinal da canoagem na Olimpíada de Tóquio
01:05 | Ago. 02, 2021
Autor - Bemfica de Oliva
Foto do autor
- Bemfica de Oliva Analista de SEO
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A dupla de canoístas brasileiros Isaquias Queiroz e Jacky Godmann está na semifinal da canoagem. Competindo pela categoria C-2 sprint, em corrida de 1.000 metros, eles ficaram em primeiro na bateria das quartas de final na Olimpíada de Tóquio.

Eles competiram com duplas da Ucrânia, Romênia, Hungria e do Comitê Olímpico Russo. Com três qualificações por bateria, a dupla brasileira se classificou junto com ucranianos e romenos.

Na semifinal, o Isaquias e Jacky enfrentam duplas do Canadá, Alemanha, Cuba e República Tcheca. A disputa acontece na terça-feira, 3, às 21h52min (horário de Brasília).

OLIMPÍADAS DE TÓQUIO: CONFIRA AS ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Olimpíadas de Tóquio: Brasil perde para França e está eliminado do handebol feminino

Jogos Olímpicos
2021-08-02 00:28:00
Autor Gabriel Lopes
Foto do autor
Gabriel Lopes Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O Brasil entrou em quadra entre a noite deste domingo, 1°, e a madrugada desta segunda-feira, 2, pela última rodada da fase de grupos do handebol feminino nas Olimpíadas de Tóquio, contra a França. Para avançar às quartas de final, as brasileiras precisavam vencer ou empatar com as francesas. Contudo, a equipe europeia triunfou por 29 a 22 e eliminou o Brasil da competição.

O primeiro tempo foi de amplo domínio francês, com placar de 17 a 11. Na segunda etapa, o Brasil tentou reagir, equilibrou a partida, mas o 29 a 22 classificou a França. 

Ex-campeãs mundiais em 2013, as brasileiras caem na primeira fase, ficando em quinto lugar em um grupo com seis equipes — as quatro primeiras (Espanha, Comitê Russo, Suécia e França) avançaram. O Brasil e a Hungria foram eliminados.

As brasileiras estrearam bem, com empate com as russas. Depois, derrotou a Hungria e pareciam destinada a vaga. Mas a sequência de três derrotas para as demais rivais europeias resultou na eliminação.

Assim como o time feminino, o masculino do Brasil também terminou em quinto num grupo de seis times e foi eliminado na primeira fase.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Olimpíadas de Tóquio: brasileiras são eliminadas nos 200 metros rasos

Jogos Olímpicos
2021-08-01 23:08:00
Autor Gabriel Lopes
Foto do autor
Gabriel Lopes Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

As brasileiras Ana Carolina Azevedo e Vitória Rosa participaram na noite deste domingo, 1°, das baterias eliminatórias dos 200 metros rasos e não conseguiram avançar de fase na competição. Carolina ficou na quinta colocação de sua prova, com tempo de 23.20, a melhor marca da temporada para a atleta. Vitória, por sua vez, atingiu a marca de 23.59 e terminou na sexta posição.

Somente as três primeiras colocadas das provas avançaram para as semifinais. Marie-Josee Ta Lou (Costa do Marfim), Shaunae Miller-Uibo (Bahamas) e Nzubechi Grace Nwokocha (Nigéria) foram as classificadas da bateria de Ana Carolina.

Christine Mboma (Namíbia), Gabrielle Thomas (Estados Unidos) e Aminatou Seyni (Níger) se qualificaram na chave de Vitória Rosa.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Resumo das modalidades já encerradas

Opinião
2021-08-01 22:53:35
Autor Marcelo Romano
Foto do autor
Marcelo Romano Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Chegamos à segunda e última semana da Olimpíada de Tóquio. Porém, algumas modalidades já tiveram suas competições finalizadas. Vamos a um resumo geral do que ocorreu em cada uma delas e avaliar a participação do Brasil.

Natação - Em piscinas foram 35 provas disputadas e 21 países conquistando medalhas. Os Estados Unidos levaram 11 ouros, contra 9 da Austrália e 4 da Grã-Bretanha. Os principais medalhistas foram o americano Caeleb Dressel com 5 ouros e a australiana Emma McKeon, com 4. Antes do início da Olimpíada, a expectativa brasileira era apenas uma medalha de Bruno Fratus nos 50 livres. Essa medalha ocorreu e a surpresa foi outro bronze de Fernando Scheffer nos 200 livres. O Brasil ainda teve Leo de Deus finalista nos 200 borboleta e Guilherme Costa nos 800 livres. Em relação a finais, a participação do Brasil podia ter sido melhor. 

Judô - Competindo em casa, esperava-se um domínio japonês. Mas foi além do esperado. De 15 ouros, os japoneses levaram 9. França e o pequeno Kosovo, dois. A surpresa foi a derrota japonesa para a França na prova por equipes. O Brasil piorou sua campanha em relação as duas últimas Olimpíadas. Em 2012 foram quatro medalhas, três em 2016 e agora apenas duas em 2020. Mayra Aguiar obteve seu terceiro bronze olímpico e Daniel Cargnin foi a boa surpresa com outro bronze.

Tiro com arco - Mais uma vez a grande potência da modalidade, Coreia do Sul, faturou 4 dos 5 ouros possíveis. A desconfiança de antes da Olimpíada de que o jovem time coreano feminino não suportaria a pressão não ocorreu. San An, de 20 anos, foi o grande destaque. Ela venceu o individual feminino, bateu o recorde olímpico na fase de classificação e ainda ajudou nas conquistas de duplas mistas e equipes. O Brasil obteve seu melhor resultado olímpico com Marcus D' Almeida terminando entre os 16.

Canoagem slalom - Nas quatro provas disputadas, quatro países diferentes foram ouro, todos que constavam entre os favoritos antes da competição: Benjamin Savsek, da Eslovênia e Jessica Fox, da Austrália ,no C1; Jiri Prskavec da República Tcheca e Ricarda Funk, da Alemanha, no K1. O Brasil tinha expectativa que Ana Satila brigasse por medalha nas duas provas femininas. Mas isso não ocorreu. Ela pegou final apenas no C1 e terminou em 10º lugar.

Esgrima - Como semprem muito equilíbrio na divisão das medalhas entre as principais potências do esporte. Apenas 13 países faturaram medalhas nas 12 provas disputadas. A Rússia foi o destaque com três ouros, todos no feminino. O Brasil contou com dois atletas e saiu sem nenhuma vitória. A campeã mundial Nathalie Moellhausen deu azar no sorteio e logo na estreia enfrentou e foi eliminada pela italiana Rossela Fiamingo, dona de dois títulos do mundo.

Remo - Nas 14 provas realizadas, a Nova Zelândia levou 3 ouros e a Austrália 2. Dezoito países faturaram medalhas. O Brasil só levou um atleta, mas ele conseguiu um resultado acima do esperado: Lucas Verthien no single skiff terminou entre os 12 melhores. O remo é um dos esportes que menos apresenta evolução no Brasil nos últimos 20 anos.

Rugby Sevens - Fiji, país de 880 mil habitantes, repetiu o histórico ouro de 2016 agora em 2020 no masculino e ainda levou bronze no feminino, vencido pela Nova Zelândia. O Brasil fez uma campanha pior do que o esperado no feminino. Terminou em penúltimo lugar com uma vitória sobre o Japão. O detalhe foi que sofreu 114 pontos em três jogos da fase de classificação, sendo massacrado por Canadá, França e Fiji.

Tiro - As competições terminam nesta segunda-feira; das 13 realizadas, 17 países foram medalhistas. Destaque para EUA e China com três. O Brasil teve um péssimo ciclo olímpico. Só classificou um atleta para Tóquio, Felipe Wu, que ficou longe de repetir o desempenho de 2016, quando foi medalhista de prata.

Surfe - A modalidade estreou em Tóquio e os favoritos foram os vencedores: o brasileiro Ítalo Ferreira e a americana Carissa Moore. A surpresa foi Gabriel Medina, líder do ranking mundial 2021, que terminou sem medalha.

Taekwondo - Um dos esportes mais democráticos do programa olímpico deu medalhas para 21 nações nas oito provas, incluindo Costa do Marfim, Jordânia e Macedônia do Norte. A pátria da modalidade, Coreia do Sul, terminou sem ouros, com uma prata e dois bronzes. A Rússia foi a única a obter dois ouros. O Brasil tinha três atletas que tinham sido medalhistas no mundial 2019, mas apenas Talisca Reis fez boa campanha e chegou a disputar o bronze, sem sucesso.

Tênis - O favorito no masculino Novak Djokovic foi um grande fiasco e terminou sem medalhas. Eliminado no individual, também não contribuiu com a Sérvia nas disputas de duplas, desistindo da decisão do bronze. Em cinco disputas de ouro, cinco países diferentes com campeões: Rússia, Croácia, República Tcheca, Suíça e Alemanha. O Brasil teve sua medalha mais inesperada no tênis. A dupla Laura Pigossi e Luisa Stefani entrou no torneio de duplas femininas com um convite na última semana antes do início, devido a desistências de outros países. E com uma campanha belíssima, com direito a várias viradas, terminaram com a medalha de bronze.

Triatlo - O destaque foi a vencedora do feminino, Flora Dufffy, com a primeira medalha de ouro da história de Bermudas. O Brasil disputou as provas masculina e feminina, mas nenhum atleta obteve posição entre os 20 melhores.

Ciclismo BMX race - Os brasileiros no masculino e feminino não eram cotados para terminar entre os oito melhores e isso ocorreu. No masculino, o campeão foi o holandês Niek Kiemmann, colecionador de medalhas em Copas do Mundo. No feminino, uma surpresa, com o ouro da britânica Beth Shriever. 

Ciclismo MTB - Uma das modalidades em que o Brasil poderia surpreender com a primeira medalha da história. Mas Henrique Avancini sequer terminou entre os 10 melhores. A Suíça levou ouro, prata e bronze no feminino. No masculino o britânico Tom Pidcock superou os favoritos holandeses e suíços.

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Olimpíadas de Tóquio: Izaquias Queiroz e Jacky Jamael vão para as quartas da canoagem velocidade

Jogos Olímpicos
2021-08-01 22:13:00
Autor Gabriel Lopes
Foto do autor
Gabriel Lopes Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A dupla brasileira Izaquias Queiroz e Jacky Jamael entrou na água na noite deste domingo, 1°, pela prova classificatória da canoagem velocidade, com 1000 metros de distância, nas Olimpíadas de Tóquio. Os brasileiros ficaram na terceira posição, com tempo de 3:48.378, e, dessa forma, passaram para as quartas de final.

Somente os dois primeiros lugares da prova foram diretamente para as semifinais. A dupla chinesa Zheng e Liu ficou na liderança, com tempo de 3:37.783, enquanto os cubanos Torres Madrigal e Jorge Enriquez ficaram em segundo, após marca de 3:39.028.

As quartas de final estão programadas para acontecer em duas baterias, à 0h21min e à 0h29min (horários de Brasília).

1000 metros individual

Na modalidade individual da prova de Izaquias e Jacky, o brasileiro Vagner Junior ficou em quinto (último) lugar na sua bateria, com tempo de 3:57.178, e disputará as quartas de final, que serão disputadas em três provas, à 0h37min, 0h45min e 0h53 min (horário de Brasília).

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Nas quartas do vôlei nas Olimpíadas de Tóquio, Douglas Souza promete sumir das redes sociais

Jogos Olímpicos
2021-08-01 20:48:28
Autor Gazeta Esportiva
Foto do autor
Gazeta Esportiva Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O Brasil conseguiu avançar às quartas de final no vôlei masculino em Tóquio. Neste domingo, 1°, a Seleção derrotou a França por 3 sets a 2 e chegou a dez pontos. O Comitê Olímpico Russo venceu a Tunísia e fechou a primeira fase na liderança do Grupo B. Desta forma, o Brasil avança em segundo e enfrentará o Japão nas quartas.

Douglas Souza, ponteiro da seleção de vôlei do Brasil, virou um astro nas redes sociais desde que chegou em Tóquio. Com publicações diárias nos stories do Instagram, o jogador conquistou milhões de seguidores.

Após a vitória do Brasil diante da França, Douglas avisou no Twitter que irá “dar uma sumida das redes”. Neste momento, é necessário foco para os próximos jogos, pois "a final é logo ali".

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags