PUBLICIDADE
Olimpíadas
NOTÍCIA

Prata na Olimpíada, Rayssa Leal cita sonho realizado e Leticia Bufoni: "Minha inspiração"

Com apenas 13 anos, a brasileira não escondeu a felicidade de estar realizando um grande sonho, mesmo que as compatriotas Leticia Bufoni e Pâmela Rosa não tenham passado para a final

06:01 | 26/07/2021
Rayssa Leal exibe medalha de prata (Foto: Jeff PACHOUD / AFP)
Rayssa Leal exibe medalha de prata (Foto: Jeff PACHOUD / AFP)

Na madrugada deste domingo, Rayssa Leal, a Fadinha, conquistou a medalha de prata no skate street feminino nos Jogos Olímpicos de Tóquio. Com apenas 13 anos, a brasileira não escondeu a felicidade de estar realizando um grande sonho, mesmo que as compatriotas Leticia Bufoni e Pâmela Rosa não tenham passado para a final.

Leia também: Rayssa Leal, a Fadinha! Saiba quem é a mais jovem brasileira a conquistar medalha em Olimpíadas

"Eu não consigo nem explicar a sensação de estar aqui realizando o meu sonho e de toda a minha família, que esteve nos melhores e piores momentos. E de estar representando as meninas, que infelizmente não conseguiram se classificar para a final. Ganhar uma medalha é muito gratificante, é muito especial para mim", disse Rayssa à TV Globo.

Ela também comentou sobre a relação especial que tem com Leticia Bufoni, que disputou a categoria e foi eliminada na fase prévia.

 

Clique na imagem para abrir a galeria

"Desde o início, quando eu nem era skatista, sempre sonhei em ver a Leticia, porque ela é minha minha inspiração todos os dias. A gente compartilhou apartamento, ficou brincando o dia inteiro, fazendo dancinha no TikTok. Saber que conheci ela em 2015 e que temos uma amizade hoje é muito legal", finalizou.

Sempre irreverente e descontraída, Fadinha explicou por que dançou e encarou as Olimpíadas de maneira leve.

"Eu estava me divertindo, vivendo o momento mais especial da minha vida. Quando eu estou animada, fico brincando, me divertindo e dançando. Querendo ou não, as brasileiras fazem muita falta na final", afirmou

Com a conquista, Rayssa Leal tornou-se a terceira medalhista mais jovem da história dos Jogos Olímpicos.