PUBLICIDADE
Mais Esportes
NOTÍCIA

Pink se oferece para pagar multa da equipe de handebol que não usou biquíni

Cantora anunciou apoio e se dispôs a pagar a punição das jogadoras de handebol da equipe da Noruega que se recusaram a jogar de biquíni; confira a repercussão do caso

18:59 | 26/07/2021
Cantora Pink anunciou apoio à equipe e criticou as regras sexistas da Federação Europeia de Handebol (IHF) (Foto: divulgação)
Cantora Pink anunciou apoio à equipe e criticou as regras sexistas da Federação Europeia de Handebol (IHF) (Foto: divulgação)

A cantora norte-americana Pink se ofereceu para pagar a multa de 1,5 mil euros (R$ 9,2 mil) da seleção feminina de handebol da Noruega. A equipe foi punida após disputar uma partida do Campeonato Europeu de Handebol usando shorts, em um regulamento que obriga mulheres a usarem biquínis. As jogadoras justificaram que o uso de biquínis é “degradante e impraticável”.

Com a repercussão do caso, a artista anunciou apoio à equipe e criticou as regras sexistas da Federação Europeia de Handebol (IHF). “Estou muito orgulhosa da equipe norueguesa de handebol de praia por protestar contra as regras sexistas de seu uniforme. É a Federação Europeia de Handebol que deve ser multada por sexismo. Muito bem, senhoras. Ficarei feliz em pagar a multa por vocês. Continuem assim”, declarou a cantora por meio do Twitter.

Time feminino de handebol da Noruega é multado por não usar biquíni durante partida contra a Espanha
Time feminino de handebol da Noruega é multado por não usar biquíni durante partida contra a Espanha (Foto: (Foto: Reprodução: Twitter))

Além disso, a Federação Norueguesa de Handebol já tinha realizado uma proposta para pagar a multa da equipe. Vale lembrar que antes da punição, a entidade de handebol da Noruega tinha feito uma solicitação para a autorização do uso de shorts. No entanto, o pedido não foi acatado pela organização do torneio europeu.

+ Após ato de machismo, Atlético Mineiro afasta "Galo Doido" do clube
+ Ferroviário realiza homenagem às mulheres antes de duelo contra o Fortaleza
+ Em clima olímpico, exposição virtual discute esporte e diversidade
+ Clube argentino de rúgbi luta pela diversidade sexual e contra homofobia