PUBLICIDADE
Fortaleza Esporte Clube
Noticia

Nos pênaltis, Fortaleza perde para Bahia e é eliminado da Copa do Nordeste

Após 0 a 0 no tempo normal, Tricolor é derrotado por 4 a 2 nas penalidades pelo Esquadrão e se despede do torneio regional. Ceará e Bahia repetirão decisão de 2020

22:41 | 24/04/2021
Wellington Paulista em partida do Fortaleza diante do Bahia no Castelão em jogo válido pela Copa do Nordeste 2021.  (Foto: Fábio Lima/O POVO)
Wellington Paulista em partida do Fortaleza diante do Bahia no Castelão em jogo válido pela Copa do Nordeste 2021. (Foto: Fábio Lima/O POVO)

Após empate em 0 a 0 no tempo normal, o Fortaleza foi derrotado por 4 a 2 pelo Bahia nos pênaltis, neste sábado, 24, na Arena Castelão, pela semifinal da Copa do Nordeste, e deu adeus à atual edição do torneio regional.

Fora do Nordestão, o Leão do Pici agora aguarda a tabela da segunda fase do Campeonato Cearense, que será retomada no próximo fim de semana após a liberação do Governo do Estado no novo decreto.

Na decisão da Lampions League, o Esquadrão reencontrará o Ceará, na reedição das finais de 2015 e 2020 - o Vovô conquistou o título em ambas. O Alvinegro despachou o Vitória-BA por 2 a 0 para carimbar a classificação em busca do tricampeonato.

Esquadrão superior

Para o duelo tricolor, o técnico Enderson Moreira escalou o Fortaleza com três volantes, promovendo a entrada da Gustavo Blanco no posto de Matheus Vargas. Além disso, Quintero apareceu na defesa no lugar de Wanderson, que não pode enfrentar o Bahia por cláusula contratual. Já os visitantes não contaram com o goleiro Douglas, diagnosticado com Covid-19.

O Esquadrão aproveitou a postura mais cautelosa do Leão e conseguiu ter maior volume de jogo, com domínio da posse de bola. A equipe de Salvador explorava os lados do campo, principalmente pela direita, com Rossi. Os donos da casa, por sua vez, tentavam aproveitar contra-ataques, mas esbarravam em passes errados e na marcação rival.

Aos cinco minutos, Nino Paraíba aproveitou rebote da defesa da equipe do Pici, após cobrança de escanteio de Rodriguinho, mas chutou sem direção. No minuto seguinte, Gustavo Blanco desarmou adversário no meio-campo, Wellington Paulista viu o goleiro Matheus Teixeira adiantado e arriscou o chute de longe, levando perigo.

O camisa 9 do Leão apareceu novamente aos 13, quando recebeu passe na entrada da área, ganhou de Thaciano, girou e bateu por cima da meta. O duelo ganhou equilíbrio, com boa postura dos sistemas defensivos, mas o Bahia voltou a criar oportunidades nos minutos finais do primeiro teve e quase abriu o placar no Castelão.

Aos 37 minutos, Rossi recebeu lançamento na ponta direita, ganhou na velocidade e invadiu a área para bater cruzado, mas a finalização saiu sem perigo. Quatro minutos depois, Matheus Bahia tabelou com Rodriguinho, cruzou rasteiro e encontrou Rossi, que dominou na área e encheu o pé para acertar o travessão de Felipe Alves. Por fim, aos 44, Matheus Bahia cruzou, o camisa 12 do Leão cortou mal a bola, e Rossi ficou com o rebote, mas chutou por cima do gol.

Empate persiste no placar

Na volta do intervalo, o Fortaleza teve a entrada de Bruno Melo no posto de Carlinhos e tentou adotar nova postura em campo, mas o Bahia manteve o volume de jogo ofensivo. Logo aos cinco minutos, Gilberto recebeu cruzamento na área, enroscou-se com Tinga, caiu e pediu pênalti. O árbitro não marcou a infração, decisão confirmada pelo VAR.

Dois minutos depois, Thaciano arriscou chute cruzado da entrada da área e a bola saiu sem perigo. Aos 12, após troca de passes no ataque, Rodriguinho driblou Éderson e tocou para Thaciano, que experimentou novo chute rasteiro para a meta dos donos da casa. No minuto seguinte, Nino Paraíba recebeu passe na ponta direita da área, dominou, girou e chutou, mas Felipe Alvez encaixou a bola.

Com dificuldade para construir jogadas ofensivas, o Leão do Pici tentou balançar as redes na bola parada. Aos 22 minutos, Éderson cobrou falta rasteira da intermediária, à direita de Matheus Teixeira, e levou perigo. O Esquadrão respondeu três minutos depois, quando Nino tabelou na ponta direita, cruzou, e Thaciano não conseguiu cabecear. Rossi ficou com a sobra na área, finalizou, a bola desviou na zaga e saiu em escanteio.

Na reta final da segunda etapa, as equipes sentiram o desgaste físico e passaram a fazer substituições para ganhar novo gás e também em preparação para uma possível disputa de pênaltis. Com ritmo mais lento e maior cautela, o 0 a 0 persistiu no placar e levou a decisão da vaga na final para as penalidades.

Bahia vence nos pênaltis

Nas penalidades, os visitantes levaram a melhor e ganharam por 4 a 2. Bruno Melo e Robson, pelo Fortaleza, tiveram as cobranças defendidas por Felipe Alves, enquanto Juninho Capixaba parou em Felipe Alves.