PUBLICIDADE
Fortaleza Esporte Clube
Noticia

Por reclamação contra arbitragem, dirigentes do Fortaleza serão julgados no STJD

Assessor da presidência, executivo de futebol e dois funcionários do Leão são denunciados por conduta no jogo contra o Grêmio, pela Série A

15:20 | 22/03/2021
Atuação da arbitragem no empate sem gols com o Grêmio, pelo Brasileirão, gerou críticas de dirigentes do Fortaleza (Foto: Aurelio Alves)
Atuação da arbitragem no empate sem gols com o Grêmio, pelo Brasileirão, gerou críticas de dirigentes do Fortaleza (Foto: Aurelio Alves)

Na próxima terça-feira, 23, a partir das 10 horas, em sessão virtual, dois dirigentes e dois funcionários do Fortaleza, além do próprio clube, serão julgados pela 2ª Comissão Disciplinar do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por reclamações contra a arbitragem no jogo contra o Grêmio-RS, pelo Campeonato Brasileiro de 2020.

O Leão do Pici enfrentou o clube gaúcho no dia 9 de janeiro, na Arena Castelão, em duelo que marcou a estreia do técnico Enderson Moreira. O duelo terminou empatado em 0 a 0 e com críticas à atuação do árbitro goiano Jefferson Ferreira de Moraes por parte dos donos da casa.

A súmula da partida relata que, no decorrer do segundo tempo, "identificamos um grupo de pessoas na arquibancada reclamando acintosamente e persistentemente contra as decisões da arbitragem, conduta essa que atrapalhava o bom andamento da partida". Foram identificados o ex-diretor de futebol e atual assessor da presidência, Daniel de Paula Pessoa, o executivo de futebol Sérgio Papellin, o segurança Wellyson e o cinegrafista Bruno Oliveira.

LEIA MAIS

+ Sistema defensivo do Fortaleza ganha cara nova com Enderson no início da temporada
+ Apesar da rotatividade, defesa do Fortaleza tomou apenas um gol em seis jogos

O árbitro afirmou ainda que "foi solicitado ao policiamento do estádio que se deslocasse ao local para conter as reclamações, porém sem sucesso". O quarteto tricolor foi denunciado no artigo 258 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), que versa sobre "desrespeitar os membros da equipe de arbitragem, ou reclamar desrespeitosamente contra suas decisões" e prevê suspensão de 15 a 180 dias.

Já o Tricolor foi enquadrado no artigo 191 do CBJD, que se refere a "Deixar de cumprir, ou dificultar o cumprimento de regulamento, geral ou especial, de competição" e prevê multa de R$ 100 a R$ 100 mil.

Com a temporada 2021 já em andamento, o Fortaleza volta a campo na própria terça, 23, às 21h30min, diante do Santa Cruz-PE, no Castelão, pela quinta rodada da Copa do Nordeste. O time do Pici é o vice-líder do Grupo B do torneio regional, com oito pontos.