PUBLICIDADE
Fortaleza Esporte Clube
Noticia

Fortaleza planeja R$ 7,5 milhões em vendas de jogadores e vê vitrine para Romarinho e David

Dupla de ataque titular do Tricolor tem contrato até 2022, com multa rescisória alta, e deve receber propostas após o Campeonato Brasileiro

15:09 | 31/12/2020
David e Romarinho têm contrato até 2022 com o Tricolor e devem receber ofertas na janela de transferências  (Foto: Julio Caesar)
David e Romarinho têm contrato até 2022 com o Tricolor e devem receber ofertas na janela de transferências (Foto: Julio Caesar)

Com os maiores números da história do clube, o orçamento de 2021 do Fortaleza projeta que pouco mais de 6% do valor total da receita de R$ 113 milhões serão obtidos em negociações de direitos econômicos de jogadores. A diretoria tricolor pretende arrecadar R$ 7,5 milhões em vendas de atletas e vê os atacantes David e Romarinho como mais atrativos para o mercado, apurou o Esportes O POVO.

Titulares absolutos do setor ofensivo desde a época de Rogério Ceni - que bancou a dupla -, os jogadores têm vínculos longos com o Leão, mas trajetórias diferentes no Pici. Enquanto Romarinho tem contrato até julho de 2022, David pertence ao clube até o final do mesmo ano.

+ Série A, equilíbrio financeiro e mais: as perspectivas do Fortaleza em 2021

Destaque do Globo-RN, o potiguar Romarinho chegou ao Tricolor no segundo semestre de 2018. Enfrentou forte contestação da torcida até marcar o gol da vitória sobre o Santa Cruz-PE, em 2019, pela semifinal da Copa do Nordeste. Daí em diante, ganhou moral, assumiu cadeira cativa na equipe e virou destaque pela habilidade com a bola nos pés - o número de gols, porém, é baixo.

Valorizado, o camisa 20 renovou contrato em setembro de 2019. Adquirido por pouco menos de R$ 50 mil, viu a multa rescisória saltar para R$ 20 milhões para o mercado nacional. O atacante esteve na mira dos árabes do Al-Ittihad, comandado pelo técnico Fábio Carille. A expectativa é que o atleta de 26 anos receba propostas na próxima janela.

O capixaba David, por sua vez, foi comprado pelo Fortaleza na maior transação do futebol cearense: R$ 5 milhões por 45% dos direitos econômicos. Indicado por Ceni, com quem trabalhara no Cruzeiro-MG, o atacante de 25 anos viveu altos e baixos com a camisa tricolor. Após longo jejum, engatou boa sequência de bolas nas redes e se tornou o vice-artilheiro do elenco na temporada.

Com vínculo até dezembro de 2022, a multa rescisória é de R$ 30 milhões para o mercado nacional e 15 milhões de euros (cerca de R$ 96 milhões pela cotação atual) para clubes do exterior, conforme publicou o Esportes O POVO. As características do camisa 17 e a força no mercado do agente André Cury - mesmo empresário de Vina, do Ceará, por exemplo - fazem o Leão do Pici acreditar que chegarão ofertas.

Dupla da terra na fila

Além da dupla de atacantes, dois jogadores cearenses despertam a atenção do mercado para possíveis negociações: o lateral-esquerdo Bruno Melo e o volante Felipe.

O defensor de 28 anos foi procurado neste ano pelo Trabzonspor, da Turquia, mas as tratativas não avançaram. No ano anterior, o camisa 30 já havia recebido sondagem do Internacional-RS. O contrato com o Tricolor tem duração até o final de 2021.

Já o meio-campista de 26 anos chegou a ser sondado pelo Grêmio-RS e foi especulado no Santos-SP, mas sem proposta oficial. O camisa 15 também tem vínculo até dezembro do próximo ano.