Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Richard, do Ceará, é o goleiro com a maior percentual de jogos sem sofrer gols no Brasileirão

Arqueiro do Vovô foi vazado em quatro dos dez jogos em que defendeu o Alvinegro de Porangabuçu no certame nacional
Autor - Iara Costa
Foto do autor
- Iara Costa Estagiária do caderno de Esportes
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Titular em 10 dos 14 jogos disputados pelo Ceará no Brasileirão 2021, Richard é o goleiro com maior porcentagem de jogos sem sofrer gols no certame nacional. O dado é do site de estatísticas, Sofascore. De acordo com a plataforma, o arqueiro passou 60% dos jogos em que defendeu o Vovô sem ser vazado.

Ceará é a equipe com melhor aproveitamento contra os times do atual G-6 da Série A

Nessas disputas, o Ceará soma três vitórias, seis empates e uma derrota. Até o momento, o defensor tomou sete gols no Brasileirão. Três foram marcados pelo time do Santos, um pelo São Paulo, dois pelo Cuiabá e um pelo Fortaleza. Dos times que enfrentou, Richard defendeu as redes com êxito diante de Chapecoense, RB Bragantino, Juventude, Fluminense, Athletico-PR e Sport.

Na série invicta de 10 jogos no Brasileirão, somente três times pontuaram mais que o Ceará

No ranking de goleiros com as maiores porcentagens de jogos sem sofrer gols no Brasileirão, Éverson, do Atlético-MG, e Fernando Miguel, do Atlético-GO, aparecem na segunda e terceira colocação com 50% e 46%, respectivamente. Marcos Felipe, do Fluminense, possui 45% de jogos sem tomar gols e Mailson, do Sport, 43%. 

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Ceará, Fortaleza e FCF finalizam protocolo e querem liberação de 40% de público nos estádios

Volta aos estádios
16:38 | Ago. 03, 2021
Autor Afonso Ribeiro
Foto do autor
Afonso Ribeiro Autor
Ver perfil do autor
Tipo Noticia

Em reunião na tarde desta terça-feira, 3, Ceará, Fortaleza e Federação Cearense de Futebol (FCF) ajustaram os últimos detalhes do protocolo para o retorno dos torcedores aos estádios. O Esportes O POVO apurou que o documento, que será enviado ao Governo do Estado na próxima quarta-feira, 4, solicita liberação de 40% da capacidade dos estádios e prevê acesso para torcedores com imunização completa pela vacina ou testagem prévia para Covid-19.

O protocolo estabelece dois critérios principais para o acesso dos torcedores: as duas doses da vacina tomadas - ou dose única, no caso da Janssen - ou realização de teste PCR até 48 horas antes da partida. No caso da Arena Castelão, utilizada pelos dois clubes, a liberação de 40% de público seria equivalente a 24 mil torcedores - a capacidade total atual é de 60 mil pessoas.

O pedido oficial será encaminhado ao Governo na quarta-feira, 4, e deverá entrar em pauta na reunião semanal do Comitê estadual de combate à pandemia, na próxima sexta-feira, 6.

Diante da intenção da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) de permitir a presença de público a partir das quartas de final da Copa do Brasil - e, possivelmente, ampliar para outras competições -, os dois clubes cearenses da Série A e a Federação decidiram se antecipar para tentar avançar.

As três partes mantinham conversas há alguns meses e já se movimentavam nos bastidores para dar esse passo. Uma reunião chegou a ser marcada com a Secretaria de Saúde, mas sem sucesso pela ausência do titular da pasta, Carlos Roberto Martins Rodrigues Sobrinho, o Dr. Cabeto.

Alvinegros e tricolores, inclusive, chegaram a firmar parceria com uma empresa de tecnologia que disponibilizaria um aplicativo para controlar a entrada dos torcedores de acordo com os requisitos.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

CBF altera o dia do confronto entre Ceará e América-MG pela Série A

Mudança no Calendário
10:40 | Ago. 03, 2021
Autor Horácio Neto
Foto do autor
Horácio Neto Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) alterou o dia do confronto de Ceará e América-MG, duelo válido pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro. Inicialmente no sábado, 28, a entidade mudou para o dia seguinte, no domingo, 29. Os horários e a localidade permaneceram intactas. O embate ainda ocorrerá às 11 horas, no Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG).

|Leia mais| 

Apesar da distância da data do confronto, a CBF se antecipou e mudou o dia do embate alegando ajuste na tabela.

Antes de encarar o Coelho no Independência, pela 18ª rodada da Série A, o Vovô enfrenta o Atlético-GO (15ª), a Corinthians (16ª) e o Flamengo (17ª) no torneio. Dos próximos adversários, o duelo contra o Dragão e o Rubro-Negro serão na Arena Castelão.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Sequência como titular monstra evolução de Gabriel Lacerda; disputa interna deve crescer

Números
00:30 | Ago. 03, 2021
Autor Brenno Rebouças
Foto do autor
Brenno Rebouças Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Pensar em titularidade na Série A do Campeonato Brasileiro aos 21 anos e ainda por cima tendo como concorrentes diretos a dupla de zagueiros Messias e Luiz Otávio talvez estivesse um pouco distante na cabeça de Gabriel Lacerda. Mas quando a oportunidade apareceu no Ceará, ele soube agarrar.

Ele já havia ganhado o status de substituto imediato quando uma das “Torres Gêmeas” não podia estar em campo — superando o mais experiente Klaus. Na hora em que Luiz Otávio precisou ficar um longo período afastado, formou dupla com Messias e deu conta do recado. Tanto que nos últimos dois jogos, mesmo com o Luiz Otávio totalmente recuperado, o técnico Guto Ferreira optou por não mexer no miolo de de zaga e deixou o ídolo alvinegro no banco.

A evolução no desempenho do defensor é notável em campo. Lacerda tem mostrado segurança para destruir ataques e afastar bolas, bem como senso de colocação para ajudar no ataque. Não é à toa que com ele em campo, na Série A, o Ceará passou 5 de 12 jogos sem tomar gols e o zagueiro tem três participações diretas em tentos marcados pelo Alvinegro no Campeonato Brasileiro. É o terceiro no quesito, junto a Rick, só atrás de Lima e Jorginho.

As três participações diretas de Gabriel Lacerda em gols foram determinantes para as vitórias do Ceará. Foram elas, o tento da virada nos minutos finais contra o Atlético-MG, o segundo gol enfrentando o Juventude-RS e, mais recentemente, a assistência para Cléber no Clássico-Rei desse domingo. Mesmo sendo um jogador de defesa, ele é o terceiro atleta do Vovô que mais tem contribuições para os tentos marcados.

Os números defensivos dele também têm chamado atenção. O camisa 15 do Alvinegro é o segundo em rebatidas (79) do time, cometeu apenas quatro faltas — obtendo média de uma infração a cada quatro partidas —, três cartões amarelos e nenhum vermelho.

Por conta da sequência de amarelos, porém, ele está fora do duelo contra o Atlético-GO, no domingo. Luiz Otávio deve retornar à condição de titular. A partir daí, o que no início da temporada parecia consolidado deve se tornar uma disputa interna interessante pela posição. Nessa briga por espaço, Messias também não é mais intocável.

Na atual temporada, Gabriel Lacerda já participou de 19 jogos, sendo os últimos dez de forma consecutiva e todos pela elite nacional. No ano passado, ele jogou 11 partidas ao todo e nove na Série A. Também foi bastante aproveitado no time de aspirantes — que foi campeão brasileiro — , ou seja, teve sequência e melhorou o futebol apresentado.

“Desde o ano passado vinha trabalhando muito, o Guto me deu a confiança de jogar. Ele sempre me deu essa confiança. Acho que também é a questão de quanto mais joga, vai ganhando mais bagagem, pegando mais ritmo e mais experiência. Desde a época que eu joguei pelo sub-23, pelo Cearense, isso foi me ajudando a pegar maturidade, a melhorar a cada dia. Meu trabalho dentro e fora de campo tem me ajudado muito para que eu possa continuar me destacando não só na parte ofensiva, que é uma consequência, mas na parte defensiva”, disse o zagueiro, em coletiva concedida no dia 6 de julho. (Colaborou Horácio Neto/Especial para O POVO)

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

As lições que o Clássico-Rei deixa para Ceará e Fortaleza

Futebol cearense
00:30 | Ago. 03, 2021
Autor Alan Neto
Foto do autor
Alan Neto Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

- ERRO maior do técnico argentino Vojvoda foi o de ter escalado goleiro Felipe Alves, no lugar do Boeck que vinha muito bem, se firmando na posição. A mudança não foi justa, além de infeliz. Boeck estava bem, não merecia sair. Felipe Alves, sem ritmo e reflexo, acabou colaborando em pelo menos dois gols do Ceará. Um deles, o de Rick, um tanto desmoralizante.

INTERROGAÇÃO

- 48 HORAS após após os 3 a 1 impostos pelo Ceará ao maior rival, até hoje Guto Ferreira não explicou por qual razão escalou o time sem um centroavante de oficio e lateral de origem, optando por improvisar. Pelo sim, pelo não, acabou dando certo. Sobral tinha a missão de acompanhar as pegadas de Crispim. Guto redimiu-se quando fez entrar Cléber e, depois, escalou Rick no posto de Mendoza, figura totalmente nula.

FICÇÃO

- O QUE sobrou de soberba ao Fortaleza, faltou-lhe no quesito de preparo físico na derrota. Tinha tudo pra fazer dois ou três gols no primeiro tempo. Chutou todas por cima ou pra fora. As chuteiras dos atletas pareciam trocadas. Domínio fictício, até dá a impressão de que poderá vencer, mas a realidade da bola rolando é outra bem diferente.

VARINHA MÁGICA

- MEXIDAS na equipe, por vezes, são um desastre, botam tudo a perder. Em outras, se acerta em cheio. Varinha mágica da saída de Kelvyn, por exemplo, pra entrada de Cléber, que sempre foi centroavante, pra completar entrada do garoto Rick, no posto de Mendoza, zero à esquerda. Rick deu outra vida ao Ceará.

CALOR DO JOGO

- FICOU mais uma vez provado. Rick é pra entrar no decorrer no jogo, calor da partida. Seu gol, aliás, foi uma pintura, entortando com drible curto e seco a dupla Crispim e Benevenuto. Depois daí, escolheu o canto pra concluir às redes. Rick é a mais nova joia do Ceará.

DOSE CAVALAR

- EFEITOS da derrota (3 a 1) no Clássico-Rei vieram em dose, digamos assim, cavalar. Atentem. Fortaleza perdeu a invencibilidade de cinco vitórias seguidas; de não ter perdido para o Ceará este ano, por último, não ter experimentado uma derrota em 19 jogos no Castelão. Tudo isso ruiu por terra pois, em futebol, como na vida, nada é para sempre.

MEMÓRIA

- FALTOU ser dito. Se-lo-á agora. No Castelão, o Fortaleza não perdia desde de 23 março, logo, 4 meses, longos 129 dias. Uma boa trajetória, mas que um dia teria fim. Só não esperava fosse para o Ceará. Detalhe — o Tricolor do primeiro tempo, simplesmente sumiu no segundo tempo, com mexidas erradas e, lógico, subida de produção do Ceará. Simples assim.

SACUDINDO A POEIRA

- GALALAU Cléber, após dois meses, voltou a balançar as redes, de novo (e que coincidência!) em cima do Fortaleza. O último, se a memória não falhar, aconteceu na Copa do Brasil, junho.

FANTASMAS

- CLÁSSICO-Rei de domingo, pasmem, foi o de número 12 sem presença de público e o sexto só este ano. Não fica só aí. Falta mais um. Qual? Returno do Brasileirão, na maldita virada da montanha.

BOA FORNADA

- REPARARAM? Gols da virada do Ceará foram de atletas cearenses, prata da casa — Kelvyn e Rick — em bom estilo. Outro detalhe que poucos notaram. Gol de Cléber, de cabeça, quem estava a assediá-lo era o baixinho Wellington Paulista. Cléber é muito mais alto. Cabe pergunta ingênua. O que fazia ali, feito zagueiro, o WP9, que nada tinha a ver zanzando na zaga, feito barata tonta. Cléber cabeceou livre sem assédio da parte dele. Pudera.

CONSOLAÇÃO

- DOIS dias antes do clássico, o presidente Robinson de Castro chamou o lateral Buiú à sua sala, fito renovar contrato. Acordo rápido. Mais 30 meses de contrato, 2 anos e meio. Ganhou bonificação especial, com aumento salarial de 40%. Saltou para R$ 25 mil, merecidamente. Dinheiro que jamais viu na sua vida.

TURMA DA CASA

- PRESTÍGIO da categoria de bases, neste momento em que o mercado do futebol brasileiro está asfixiante, quase todas as posições preenchidas. Ceará relacionou seis jovens atletas (dois entraram de saída), enquanto Fortaleza, apenas um, que pouco apareceu. Quem, ao menos, lembra dele?

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Ceará é a equipe com melhor aproveitamento contra os times do atual G-6 da Série A

EFICIENTE
18:57 | Ago. 02, 2021
Autor Mateus Moura
Foto do autor
Mateus Moura Autor
Ver perfil do autor
Tipo Noticia

Com a vitória por 3 a 1 no Clássico-Rei deste domingo, 1, na Arena Castelão, pela 14ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro, o Ceará se tornou a equipe com o melhor desempenho contra os times que ocupam as seis primeiras colocações do Brasileirão, com 83% de aproveitamento. O Vovô venceu o Fortaleza (3º), o Athletico-PR (5º), o Atlético-MG (2º) e empatou com o RB Bragantino (4º).

Na sétima colocação e invicto a 10 jogos, o Alvinegro está incomodando os clubes da parte de cima da tabela. A equipe comandada pelo técnico Guto Ferreira ainda não sofreu nenhuma derrota para os times que compõem o atual G-6. O Ceará ainda encara o Flamengo (5º), na 17ª rodada, e o Palmeiras (1ª), no fechamento do primeiro turno.

O bom desempenho está associado à eficiência do sistema defensivo. Sétima melhor defesa do campeonato com 13 gols sofridos, dois a mais que o Atlético-MG, time menos vazado da competição, o Vovô é a equipe que menos sofre finalizações no gol, com média de 3,3 chutes por partida, segundo o site de estatística Footstats.

Contra os times da zona de baixo, no entanto, o Ceará conseguiu apenas uma vitória, diante do Grêmio (19º), por 3 a 2, na Arena Castelão, pela primeira rodada da Série A. Contra o Sport (15º), Cuiabá (16º), São Paulo (17º), e Chapecoense (20º), o Alvinegro empatou com todos.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags