PUBLICIDADE
Ceará Sporting Club
NOTÍCIA

"Acho que o (Marcelo) Paz foi um pouco infeliz na manifestação dele", afirma Robinson de Castro

O Presidente do Ceará negou que tenha tentado contratar lateral esquerdo Bruno Melo e confessou ter recebido proposta de um suposto representante do goleiro Felipe Alves durante a Série A

18:58 | 12/12/2019
Robinson de Castro, presidente do Ceará
Robinson de Castro, presidente do Ceará (Foto: MARCELO VIDAL / Cearasc.com)

O presidente do Ceará, Robinson de Castro, apresentou no início da noite desta quinta-feira, 12, os novos gestores do departamento de futebol do Vovô. Na ocasião, o dirigente foi questionado sobre a proposta feita para o goleiro do Fortaleza, Felipe Alves, e revelou que achou a manifestação do presidente do Tricolor, Marcelo Paz, sobre o tema "infeliz". 

"Não houve prazo de resposta (da proposta feita para Felipe Alves). Só expus o fato porque acho que o Paz foi um pouco infeliz na manifestação dele. Nós fizemos uma proposta para um atleta que vai estar livre próximo ano. Natural isso. O atleta não é escravo lá. Eu atuei como eles podem atuar com os atletas que terminaram o contrato aqui", respondeu Robinson.

O presidente do Vovô destacou ainda que o presidente tricolor havia levado a proposta para o lado pessoal e negou, em algumas ocasiões, que tenha tentado contratar Bruno Melo. "Colocou no campo pessoal, com ironias. Não estou jogando para a torcida. Não ia falar em Felipe Alves. E depois (ele) colocou que coloquei proposta pro Bruno Melo, mas eu não o traria. Não constou em nenhuma lista nossa. Não sei se isso foi coisa para tergiversar, incendiar, bagunçar uma opinião da torcida deles ou se o atleta chegou lá e 'Olha o Ceará tá atrás de mim', para falar que precisa melhorar as condições, mas pelo que entendi ele tem um contrato longo", contou ainda Robinson, que falou ainda que, tentar contratar o Bruno Melo seria o mesmo que "tentarem tirar o Luiz Otávio".

Robinson ainda confidenciou que havia recebido proposta de um suposto representante do goleiro do Fortaleza durante a Série A. "O que fiz com Felipe Alves foi só isso e digo mais: o agente ou não sei, alguém que disse que conversou com o atleta, que queria vir jogar no Ceará e isso não foi agora, foi antes, durante o campeonato e não fiz proposta para ele naquela época porque achei muito frágil ele me procurar no meio do campeonato. Rapaz, não tem lógica. Terminou o campeonato, novamente me procuraram. Agora, eu pensei 'vou botar no papel'",  expôs.

Assista o novo episódio do NA PRANCHETA: