Participamos do

Arthur Cabral alcança os mesmos 20 gols da temporada passada com 20 partidas a menos

Ex-Ceará, centroavante do Basel iguala a própria marca de tentos de 2020/2021, que o fez o principal goleador brasileiro na Europa, porém bem mais cedo
18:42 | Set. 30, 2021
Autor Brenno Rebouças
Foto do autor
Brenno Rebouças Repórter
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O centroavante Arthur Cabral segue voando na temporada 2021/2022 do futebol europeu. Nesta quinta-feira, 30, o atual camisa 10 do Basel-SUI alcançou a marca de gols que o fez o principal goleador brasileiro na Europa na temporada anterior, porém com bem menos jogos.

Ao abrir o placar da vitória do Basel por 4 a 2 sobre o Kairat, do Cazaquistão, em jogo válido pela segunda rodada da fase de grupos da Liga Conferência da Europa, o ex-Ceará chegou aos mesmo 20 gols de 2020/2021, porém, enquanto na temporada passada ele fez isso em 36 jogos, na atual ele alcançou a marca com apenas 16, ou seja, 20 partidas a menos.

Com média de 1,25 gols por partida no geral, Arthur é artilheiro do Campeonato Suíço, tendo marcado 11 gols em oito jogos até aqui e artilheiro da Liga Conferência da Europa, com nove tentos em oito partidas (seis de qualifiers e dois pela fase de grupos).

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

A boa atuação do atacante tem chamado a atenção de gigantes da Europa. Recentemente, o jornalista italiano Rudy Galetti, da Calcio Mercato, informou que o Milan está de olho no centroavante do Basel. Na última janela de transferências, equipes como Bayer Leverkusen-ALE, Hertha Berlin-ALE e Royal Antwerp-BEL sondaram os empresários de Arthur.

O Ceará monitora a situação do atacante, pois é detentor de 15% do valor, sendo o Palmeiras-SP dono de outros 15%.

O Ceará vendeu Arthur Cabral ao Palmeiras por R$ 5.5 milhões e lucrou mais R$ 9.4 milhões na transferência ao Basel. Clubes divergem sobre a porcentagem de uma possível venda, pois os paulistas alegam ter direito dos 30% integrais do valor de uma futura venda.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags